sexta-feira, 19 de março de 2010

Caminhos da fé


Será que a Igreja não lê a Bíblia? Respondo no final desse texto.

Escândalos sexuais assolam a antes inquestionável Igreja Católica mundo afora, nos Estados Unidos, em toda a Europa, Austrália e América do Sul.

Agora, incrivelmente, escândalos respingam no próprio pontífice atual, o Papa Bento 16, e são duas acusações:

1 - O de conhecer o caso de violência de seu irmão, o padre Georg Ratzinger, contra jovens do coral da catedral de Regensburg (nesse caso o próprio Georg confessa arrependido as suas ações) e;

2 - Ter fechado os olhos à permanência do padre Peter Hullermann nos trabalhos na diocese de Munique (o atual Papa era, então, arcebispo de Munique e Freising). Nesse caso específico, o psiquiatra Werner Huth afirma haver alertado a autoridade eclesiástica várias vezes, tanto de maneira formal quanto informal, sobre as terríveis consequências da manutenção do padre Peter, que já havia sido transferido da diocese de Essen sob acusações de abuso sexual. Detalhe: passados poucos anos, começaram a surgir acusações de abuso sexual contra ele em... Munique!

O caso é um imenso problema para a já manchada Igreja Católica, pois aprofunda a desconfiança na instituição, coloca em dúvida seu procedimento, o funcionamento de toda sua estrutura, e a legitimidade de sua autoridade. E agora começaram a manchar a batina do Papa.

Somando-se isso aos flagrantes delitos contra a humanidade, seguidos do silêncio e complacência de sua hierarquia, pode-se citar o famoso escândalo financeiro do Banco Ambosiano no final dos anos 70. Se você não sabe, já naquela época "sumiram" 1,4 bilhão de dólares do banco do vaticano, provocando uma série estranha e inesperada de "suicídios", de várias pessoas envolvidas, em especial - pasme - do presidente do banco e de sua secretária, que "pulou" de um dos últimos andares do edifício, na mais mal-contada história de toda a existência da Igreja Católica. O sumiço da filha do presidente da instituição (que nunca mais apareceu), e o inesquecível "Ano Santo", usado para arrecadar fundos para o Vaticano, especificamente para cobrir o rombo e a polêmica falência do banco.

Some-se também os vários casos de homossexualismo de padres, especialmente Europa afora - mas também aqui no Brasil, como o do abade dom Sebastião Héber Vieira da Costa, de Olinda, que não só abandonou a igreja como fugiu do país. E quem não se lembra de Félix, padre preso em São Luis do Maranhão na companhia de quatro rapazes, sendo dois deles menores? E este é um dos muitos casos de pedofilia, homossexualismo e abuso sexual de autoridades da igreja só aqui no Brasil.

Isso tudo coloca em cheque doutrinas como a da castidade, pois é sabido que um ser humano é um ser humano, esteja de batina, de terno e gravata ou vestido de operário. Autoridades religiosas deveriam se casar e ter família... como diz a própria Bíblia. "Seja o presbítero marido de uma só mulher... pois, se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de Deus?" I Timóteo capítulo 3 - está em qualquer Bíblia, seja ela católica ou protestante.

Nenhum comentário: