terça-feira, 11 de agosto de 2009

A realidade da fé I

Opinar sobre esse tipo de coisa é sempre uma faca de dois gumes, porque há duas situações coexistindo: a questão da fé, e a questão da ética. O assunto é que acaba de sair na mídia notícias sobre a cúpula administrativa da Igreja Universal, trocando em português miúdo, indiciada por lavagem de dinheiro.

A questão da fé
Todo ser humano nasceu para usufruir a bênção da vida, e exercer essa mesma vida em uma relação de amor e louvor ao seu criador, Deus.

E a Igreja é mais do que que estruturas, templos, riqueza e prosperidade. A Igreja é o pleno exercício dos valores mais elevados, pelos homens, entre si, e em relação ao seu Criador. É o reino de Deus na terra... mas esse reino é implícito, ele é a vida de Deus dentro de cada indivíduo, tornando-o melhor... mais ético, mais sensível, mais sublime, mais justo. E essa interação do Espírito de Deus com o espírito do homem, faz de cada ser humano um exemplo.

Na Igreja se aprende a tolerar, amar o próximo, praticar a boa ação, desenvolver e exercer a fé, e adorar ao Criador. Também se aprende a superar as dificuldades e problemas da vida, num ambiente de amor, esperança e alegria.

Portanto, em nada eu questiono a capacidade humana de ter uma relação de amor com Deus e com o próximo, e muitos alcançam isso em todas as Igrejas, inclusive na Universal.

A questão da ética
No âmbito administrativo a Igreja tem se tornado cada dia mais próxima de uma empresa, uma estrutura secular, do que o reino de Deus na Terra. E o abuso e a falta de ética tem tornado a pobre Igreja motivo de chacota e sinônimo de banditismo nesse Brasil e mundo afora.

Na verdade essas denúncias recentes em nada surpreendem a quem possui um mínimo de senso crítico e inteligência - itens tão apregoados nos sermões do Bispo Edir Macedo.

É notório e conhecido de muitos a multiplicação de negócios, a expansão de tentáculos da Igreja-Empresa sobre o cenário empresarial no Brasil inteiro. Usando a premissa da isenção de impostos sobre templos religiosos para todo tipo de operação "legal", inclusive com transferência de riqueza para contas pessoais, manutenção de programas de TV a valores estratosféricos em horários cujo público é inconsistente com o valor investido ( e isso se faz justamente para transferir riqueza de uma empresa a outra), aquisição de empresas em nomes de laranjas, etc etc etc.

E o que dizer do exercício do ministério pastoral com alvo de receita (como se fosse uma equipe de vendas)?

Infelizmente o negócio "Igreja" se tornou altamente promissor, e a verdadeira Igreja, por omissão - em alguns casos exaustão - de homens de caráter, tem sido alvo fácil da ação de bandidos, marginais, pessoas de péssima índole, que se valem da habilidade de orador e da capacidade de manipulação de massas para enriquecer, à custa do dinheiro dos humildes.

E há muitos por aí, e não somente essa leva de falsos líderes.

Cúpula da Igreja Universal é indiciada por lavagem de dinheiro
JB: http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/08/11/e110819694.asp

Folha: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u607881.shtml

Estadão: http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,justica-recebe-denuncia-contra-bispo-edir-macedo-e-mais-9,416884,0.htm

O Globo: http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2009/08/10/edir-macedo-mais-nove-sao-denunciados-por-lavar-dinheiro-757350041.asp

Nenhum comentário: