domingo, 12 de julho de 2009

Vencido

Fui mão que acalenta, braço que abraça
fui beijo que aquece,
fui sexo, amor e desejo,
destas mãos brotaram gestos,
desta boca palavras
reflexos da ilusão e da paixão
de um homem, cujo maior troféu
era a imensa capacidade de amar.

O amor me atingiu com um impacto
sua flecha incandescente me feriu
cálices de ira eterna foram derramados
rasgaram-se minhas roupas e alma
o amor é bom, o homem é horrível
sou incapaz de dominá-lo e vivê-lo

Não quero mais amar,
meu coração, tranquei
com sete chaves, em sete cofres
não mais beijos,
não mais mãos entrelaçadas
não mais esperança.

Nenhum comentário: