terça-feira, 23 de junho de 2009

Teu adeus



Teu adeus me chegou sem aviso
me chegou num domingo qualquer
eu trocara minhas roupas de luto
eu lavara meu rosto e minhas mãos
e servira meu próprio café

Ele entrou pela porta da frente
remexeu os papéis sobre a estante
as toalhas e a roupa de mesa
sob a forma de um vento suave
refrescou minha pele e minha mente

Teu adeus me saudou com um sorriso
Percebi que ele errara o caminho
Não trazia consigo palavras
Nem um beijo, um porquê ou aceno
era apenas um adeus, e sozinho

Ele não tinha cor, cheiro ou forma
Nem enfeites, nada lhe reluzia
nem aromas, nem gosto ou riqueza
nem pobreza, nem nada palpável
teu adeus simplesmente existia

Teu adeus me deu quê de tristeza
Mas também despertou-me alegria
Tudo inicio, tudo meio e fim
Em um ciclo completo, lá estava!
Te adeus... era eu quem não via.

Nenhum comentário: