domingo, 31 de maio de 2009

Cuiabá... COPA 2014

Cuiabá eleita

Cuiabá foi eleita como uma das 12 cidades que abrigarão jogos do mundial de futebol 2014. A disputa foi fechadíssima com Campo Grande-MS, cujos organizadores elaboraram uma campanha em duas frentes. A primeira, obviamente, enaltecendo o projeto local, mas isso nós daqui de Cuiabá também fizemos. A segunda, inesperadamente agressiva, visando denegrir a cidade rival. Inclusive com palavras chulas, sim, a despeito da negação.

Disseram entre outras coisas que o povo é festeiro, irresponsável e não gosta de trabalhar. Eu sou paulista e moro aqui há mais de 20 anos... e sinceramente, não vejo nada disso que tanto afirmaram.

E agora se perguntam onde erraram...

E eu respondo: Na arrogância. E a arrogância precede a queda.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Sério de menos

Certa vez eu vi uma frase em uma entrevista da Folha de São Paulo que achei muito legal. Era um jogo de perguntas e respostas e, solicitada a responder "algo que você detesta", a entrevistada (famosa) respondeu: "Pessoas que se levam a sério demais".

Como bom virginiano, não entendi muito bem na hora, não por falta de entendimento, mas por excesso de opções. Uma "pessoa que se leva a sério demais" pode significar muita coisa, veja.

Poderia ser gente chata, dessas que precisam se esforçar para serem levadas a sério, o que deveria ser algo natural. Poderia ser gente literalmente séria demais, que não ri, que nunca se diverte. Ou gente amarga mesmo, dessas cuja existência é dolorosa para si mesma, ou que faça a dos outros cáustica. Ou gente com alergia a bom humor. Talvez gente que não goste de palhaços, de crianças, de cães, ou de piadas. Quem sabe, gente que córa de raiva quando alguém faz um colocação engraçada durante uma reunião na empresa, ou no púlpito da igreja, ou durante aquele procedimento complicado. Ou gente que não admite erros: nem os próprios, nem o dos outros. Ou quem goste de sofrer, aquele tipo de pessoa que acha que a felicidade é imoral, e o sofrimento, libertador. Talvez quem não goste de amar. Ou que tenha medo de ser. Ou pessoas contagiantemente deprimentes... puxa!...

De qualquer forma, vendo isso tudo, cheguei à conclusão que por aí não ia dar. Há muitas maneiras de se levar à sério demais, todas chatas. Até porque se levar a sério não é o problema. O problema é o sutil complemento: "demais".

Melhor olhar para o OUTRO lado. Portanto imagine - como eu imaginei - uma pessoa que não se leva a sério demais.

Descomplicada, ama e aceita a si mesma, se dá bem com os outros (pelo menos a maioria. Ninguém é de ferro).

...

A propósito, a entrevistada era a Adriana Calcanhoto.

Fui.

Guarde esses nomes

Duas bandas POP interessantes, telentosas e criativas, com suas músicas muito bem elaboradas tecnicamente, além de serem um tremendo barato... divertidas demais!

Guarde esses nomes, porque eu acho qeu farão muito sucesso:

OS SEMINOVOS
Escolha já seu nerd



PEDRA LETÍCIA
Como os nossos pais... (nos aguentam)



PEDTA LETÍCIA
Teorema de Carlão

sexta-feira, 22 de maio de 2009

o vale




Voltei aos meus vales ocultos
Sozinho, sereno, revejo as paragens
pisam meus pés caminhos conhecidos
de lágrimas derramadas e de sonhos furtados
registrados em caules de árvores
sob as quais adormeci amando e sofrendo

Fui eu quem os fiz, então os toco e recordo
que me dêem o alento de um dia ter sonhado

Folhas passam correndo, brincando como crianças
como vivas, porém mortas
e como tal, lembram a mim

A vida é um paradoxo
Pois quem é este que está vivo,
que não anseia por viver?
Todos anseiam, pois mortos se sentem
Como folhas que o vento leva, tão cheias de vida

O grito mais dorido é o feito em silêncio
Quase ouço os meus, andando nesses vales
Ecoam como rumores, ao sabor desses ventos
Me lembram prazeres, confidências e tremores
que o amor e a dor propiciam

O sol não se mostra de todo
Nuvens encobrem sua luz
Tudo na vida é meio encoberto, nada é completo
nem aquele amor que te declaram
Completo é só o momento
pleno em seus início, meio e fim
gotas da chuva, faíscas de fogo,
um molha, outro consome
um entristece, outro alegra,
e ambos colorem

Nesse lugar de profundos quietude e paz
fecho meus olhos para ver melhor
a linda menina mulher
que amei e que me lembra o poder
de todo amor de que sou capaz
não há nada mais perfeito
do que ser o que se é
sem medo

Permito-me amar de novo assim
entre ecos de tortura e desejo
rindo, mergulhado neste momento mágico
Pois nos poucos mas intensos dias da minha vida
não há dor que não tem seu devido tempo
e nem amor que não seja sofrimento

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Sobre homens e cães


Recebi uma interessante apresentação falando sobre o comportamento canino dos cães. A pessoa que o fez, os compara passo a passo com o comportamento humano dos homens para, no final, tascar duas verdades (dele): "O cão é o melhor amigo do homem" e a nova que já virou um clássico: "Quanto mais eu conheço os homens mais eu gosto do meu cão".

Mas eu que já tive vários cães e hoje tenho dois Rotweillers, um macho e uma fêmea posso garantir:

- O cão realmente ama você incondicionalmente. Especialmente se você mantiver o pote de ração dele constantemente de meio para mais.

- O cão realmente ama você incondicionalmente. Mas só vale enquanto não está comendo sua ração. Melhor não testar o amor de um cão enquanto nessa hora. Ele poderá pular direto na sua jugular. (O que não quer dizer que ele não ame você incondicionalmente).

- Cães estão cagando e andando para o fato de você ser rico, pobre, preto, branco, feio, bonito, homem, mulher ou qualquer outra coisa. E cagando e andando, literalmente.

- Cães não se importam se você cheira mal. Não importa o que você faça, dificilmente você irá cheirar pior do que ele depois de uma semana sem banho.

- Cães abandonam a casa em nome de uma boa.... cruzada! (Se fossem humanos eu usaria outra palavra). Eles vão pra cima, pulam o muro, atropelam qualquer um. E você terá que buscar o seu amigão lá, seis quadras adiante, enroscado por meia hora com uma qualquer. (Isso não vale se você tem uma fêmea. Nesse caso, acostume-se com a enxurrada de vira-latas na porta da sua casa de olho na sua musa).

- Cães são fiéis? São. A você e a todos os que brincarem com ele, derem comida a ele, etc. Se um cão abanar o rabinho enquanto te olha, meu amigo, ele já se tornou fiel a você. Inclusive, considerando aparatos mínimos de segurança (corrente), eles podem ir até embora para sempre, junto com aquela nova pessoa à qual o danado do bixinho acabou de se tornar fiel.

...

Brincadeiras a parte, eu sou um admirador de cães, acho super bacana a psicologia canina, embora eu não entenda nada, o que pode ser um indício que eles já estão mais adiantados do que eu neuro-psicologicamente falando.

...

E realmente, os cães são muito mais fiéis que os homens. Quer um exemplo? Experimente prender sua mulher no bagageiro do automóvel por meia hora, e depois faça o mesmo com seu cão.

E registre qual dos dois saiu pulando todo feliz e carinhoso quando você abriu o capô.

domingo, 17 de maio de 2009

Maísa

Considerando as notícias abaixo...

"Menina Maísa chora no palco por medo de mostro"
"Maísa bate a cabeça, chora e chama a mãe durante programa"

... fica a minha pergunta:

Ninguém vai para a cadeia pelo que estão fazendo com essa guria?!

Aborto

Os homens tendem a se fixar em uma posição mecanicamente. Antes que você pense besteira, não estou falando de física, anatomia, em muito menos de xéxo.

Estou falando da tendência humana em colocar os neurônios em ponto morto, como se fosse um carro numa linha reta: acelera-se até um certo ponto considerado como ideal, desengata-se a marcha, e deixa ele seguir sozinho fluindo pela estrada, levado pela inércia, sem qualquer controle a não ser o da direção.

Os seres humanos enquanto criaturas pensantes (ou quase), são assim: pegam carona no raciocínio de alguém que teve menos preguiça para o formular, e montam estruturas sociais às vezes imensas sobre pensamentos, filosofias e culturas que eles mesmo não entendem muito bem. E por não entender muito bem, não o conseguem explicar, ou superar um obstáculo um pouco mais complexo que seja contrário ao que defende.

Ah, daria para citar muitos exemplos de situações que se encaixam nessa verdade. Por exemplo, pessoas que defendem o aborto e pessoas que o combatem; pessoas que seguem um determinado líder religioso ou político e pessoas que o detestam; pessoas que defendem o homossexualismo e pessoas que o condenam. E tem até coisas incompreensíveis como torcer para o Corinthians.

Eu vou aproveitar essa deixa para falar sobre o aborto. No Brasil, o atual código penal só permite o aborto quando a gestante não pode ter sua vida preservada de outra forma, ou caso a gestação seja resultado de um estupro. O código não fala nada, por exemplo, de anomalias fatais do próprio feto.

Há uma proposta de alteração do código penal que sugere o seguinte texto:

Exclusão de Ilicitude

Art. 128. Não constitui crime o aborto praticado por médico se:
I - não há outro meio de salvar a vida ou preservar a saúde da gestante;
II - a gravidez resulta de violação da liberdade sexual, ou do emprego não consentido de técnica de reprodução assistida;
III - há fundada probabilidade, atestada por dois outros médicos, de o nascituro apresentar graves e irreversíveis anomalias físicas ou mentais.

Parágrafo 1o. Nos casos dos incisos II e III e da segunda parte do inciso I, o aborto deve ser precedido de consentimento da gestante, ou quando menor, incapaz ou impossibilitada de consentir, de seu representante legal, do cônjuge ou de seu companheiro;
Parágrafo 2o. No caso do inciso III, o aborto depende, também, da não oposição justificada do cônjuge ou companheiro.

Aqui já se incluem três figuras novas:
A primeira é que fala não só de salvar a vida da gestante, mas "preservar" sua saúde. Muito, muito vago. A segunda é a que inclui anomalias do feto (como anencefalia, por exemplo, o que eu acho bem razoável). E a terceira, a que inclui a necessidade de consentimento, ora da gestante, ora de seu responsável, ora do cônjuge ou companheiro, dependendo de cada caso.

Pois bem.

Não pretendo expôr minha opinião agora, até porque eu não tenho o aparato biológico necessário para uma gestação, o que me deixa apenas na torcida por uma decisão razoável e inteligente das autoridades. Quem sente pra valer o efeito de uma decisão sobre o aborto é, na verdade, a mulher.

A maioria das mulheres irão gerar filhos naturalmente. Mas há aquelas que terão bebês anencéfalos, ou com alguma doença fatal, ou ainda há aquelas que sofrerão abuso, violência sexual, e que engravidarão, e ainda há aquelas que simplesmente - por mais que desejem o filho - estarão sujeitas a morte se continuarem com a gestação. Essas são as maiores interessadas.

(Uh, droga.. eu falei que não ia expôr minha opinião...)
...

Voltando ao tema desse texto, eu percebo que há milhões de pessoas que se colocam em uma posição sem analisar profundamente os porquês, as causas e consequências de um processo de aborto. Apenas são contra ou a favor e pronto. Uns porque viram um powerpoint de um bebezinho segurando o dedo de um médico (aliás, que imagem maravilhosa né não?)... outros porque tem suas razões baseadas basicamente em lógica (1 + 1 = 2), sem levar em conta princípios, valores e questões filosóficas ou religiosas.

Mas há uma coisa em que todos concordam: o que está em jogo não é entregar a uma adolescente que dormiu com o namorado e engravidou, o poder de interromper sua gravidez, ou seja, tornar essa uma decisão tão difícil quando escolher a cor do batom que vai usar para ir para a balada.

O que está em jogo são questões muito mais complexas, de preservação da vida, de defesa da mulher vítima de violência, entre outras coisas. E talvez até mesmo de avançar enquanto sociedade, nos aproximando mais de um modelo com pleno poder do senso crítico, e cada vez mais distante do pensamento medieval.

...

Uma coisa curiosa: Um presidente protestante (Bush) foi o maior aliado da Igreja Católica, ao ser radicalmente contra aborto, união homossexual e pesquisas com células tronco. Agora outro presidente protestante (Obama), é o pior inimigo da linha dura dessa mesma igreja, ao se tornar um (moderado) defensor dessas mesmas idéias.

sábado, 16 de maio de 2009

O que é , o que é

Que tal Quintana ?

Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos – onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo…


(Mario Quintana - Esconderijos do Tempo)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A insustentável inocência do ser

Enquanto eu dilacerava as entranhas de um X-Tudo de três ou quatro andares, observava pela janela, reflexivo, o movimento lento dos carros na avenida a três quilômetros de distância da minha janela, no segundo andar desse prédio público. A avenida tem uma elevação lá naquele ponto, o que torna o movimento dos automóveis, à noite, interessante de observar, especialmente para quem está matando 6 horas de trabalho lentamente, minuto a minuto, com a frieza dos mais experientes assassinos.

Não sei exatamente o que me levou a isso, se foi o deslocamento de recursos e energia de regiões periféricas (como o meu cérebro) para regiões de maior... digamos... "atividade" (como o meu estômago naquele momento), ou se foi algum milagre ou efeito físico ainda não explicado que me tornara repentinamente um filósofo dos problemas da atualidade... mas o fato é que eu passei a pensar sobre as grandes catástrofes contemporâneas, metaforicamente falando.

Entre uma mordida e outra em meu supersanduba, me lembrei da hipocrisia humana. A hipocrisia é, basicamente, uma mentira, normalmente muito bem contada. Às vezes tão bem contada que até o próprio hipócrita não sabe que a está contando. Se a sua hipocrisia vem de uma fonte natural (seja lá o que isso quer dizer), isso faz dele inocente. Pelo menos inocente no sentido de não ter refletido muito bem sobre seus princípios, e portanto de não ter tido inteligência o suficiente para perceber que eram hipocrisia pura.

E isso me leva a pensar: é impossível ao ser, enquanto humano - eu incluído, não ter nem sequer uma leve brisa, ou uma sutil sombra de hipocrisia em alguma área de sua vida, de seu comportamento.

Vou citar um exemplo: o religioso que apareceu hoje no Terra, acusado de estuprar por mais de 10 anos as duas próprias filhas, hoje com 17 e 21 anos. Esse é um autêntico exemplo de hipócrita, daqueles indesculpáveis. Prega uma coisa, e pratica outra. Esse é um hipócrita por opção, pois é consciente de sua ambiguidade. De que crê (ou confessa que crê) em uma coisa, mas pratica outra absolutamente contrária.

Mas tem também o exemplo da "hipocrisia implícita" (se é que o termo existe). Imagine uma pessoa preparando uma festa para o próprio aniversário. Ele está exercendo a sua dose de hipocrisia quando - e se - disser coisas como "Ah, gente, não precisa de presentes", "Minha intenção é só alegrar meus amados" ou a máxima "Deixa tudo aí que depois eu limpo tudo com o maior prazer". Embora a palavra "hipocrisia" pareça forte aqui, no fundo no fundo, é ela mesmo mostrando sua cara pois no fundo no fundo, o que o aniversariante mais quer é ser lembrado, se sentir querido, alguns até mesmo paparicados. E alguns até presentes querem (que horror). Senão nem teria feito uma festa.

Pode não ser a clássica e corrosiva hipocrisia do religioso pedófilo, do homossexual enrustido, do policial criminoso, ou do político ladrão. Mas os princípios estão lá: os gestos - muitos deles pensados - apontando para o contrário do que se gostaria de dizer, ou do que se sente. Porque não são gestos naturais. São encenações da vida ideal, mas não da vida real.

Porque a vida real, se fosse vivida ao pé da letra, seria feia.

Políticos diriam que estão indo lá para ajudar a si próprios em primeiro lugar, à família e aos chegados em segundo lugar, e ao resto do povo se sobrar tempo.

Muitos - eu incluído de novo - fariam careta ao comer um prato. Ou nem mesmo comeriam: já fariam careta só de olhar a comida chegando na mesa. Imagine o cara chegando em casa com um pacotinho contendo um X-Tudo (tipo esse aqui que eu acabei de devorar) e uma coca, e isso porque não gosta da comida da mulher. Se ele for hipócrita vai dar uma desculpinha. Se ele não for, vai dizer que não gosta da comida dela, ainda que diga com jeitinho. (Olhando por esse lado... acho é que muitos maridos e mulheres sequer se casariam).

Muitos empregados mandando o patrão ir tomar naquele lugar. E muitos vice-versas.

...

Muita franqueza até aqui, mas não quer dizer que franqueza seja sinônimo de verdade. Uma pessoa pode ser franca, acreditando estar certa, sem estar, e isso porque todo mundo confunde franqueza hoje em dia com arrogância e petulância. Quer um exemplo?

Imagine uma pessoa "A" dizer para a uma pessoa "B" (que acabou de conhecer) que ela é uma prostituta. A pessoa "A" chegou a essa conclusão pelas roupas, estilo, acessórios e postura da outra. E PÁ!! tascou, franqueza pura. Mas não quer dizer que a outra seja, e se não for, tá feita a merda (deixo por conta de sua imaginação o desfecho desse cenário).

Aliás, adoro pessoas que dizem "Ah, eu sou super franca! O que eu tenho que dizer, digo logo na lata.", e dizem como se tivessem acabado de chegar em primeiro lugar em uma maratona - rompendo a fita da chegada. Cabeça erguida, olhar expressivo, passando a idéia de seriedade e objetividade.

Comportamento encontrado no universo feminimo mais do que no masculino, essa normalmente é a personificação da hipocrisia mista (sim, mais um termo novo). Metade da sua hipocrisia é deliberada, a outra metade é inata. Ela (ou ele) normalmente é arrogante, quando quis dizer franca (ou franco).

Porque - digo por experiência própria enquanto vítima - pessoas "super francas" só exercem sua tão abundante franqueza quando é interessante impôr sua presença, sua voz, sua personalidade, sua vontade. Ou quem sabe para humilhar alguém mesmo, que ninguém é de ferro.

...

A verdade sim, essa é importante. Assim como é importante a maneira como ela é dita.

Porque somos todos ilustres amantes da verdade: queremos a verdade acima de tudo! (mas dependendo de qual seja, esperamos que ela seja contada a conta-gotas. Sabe como é... pra não doer muito.)

Ou desejamos, deliciosamente hipócritas, que ela sequer seja dita. (Não éramos nós que queríamos a verdade acima de tudo?)

...

Poxa, muito gostoso isso. Acho que eu preciso fazer mais vezes isso.

To falando do X-Tudo.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

A mulher com o melhor físico do mundo

Você pode imaginar uma mulher com um físico realmente incrível?
Um físico daqueles capazes de mudar a história da humanidade?

Clique aqui e concorde comigo: essa é realmente, a mulher com o melhor físico do mundo!! Sem sombra de dúvida.

O paradoxo do Pinóquio



Pinóquio declara:

- Meu nariz vai crescer agora.

Pinóquio mentiu, pois ele não tem como ter certeza de sua afirmação, portanto seu nariz deve crescer.

Mas se seu nariz crescer, isso fará com que sua declaração se torne uma verdade.


...



Mas afinal, Pinóquio mentiu ou não mentiu?...

terça-feira, 5 de maio de 2009

O elo perdido da humanidade

Torcedores de futebol são uns seres meio estranhos, situados num estágio do desenvolvimento ainda intermediário, um ponto entre nossos ancestrais e o Homo Sapiens que habita em nós. São Sapiens na aparência, gorilas no comportamento. Provavelmente são um tipo de "elo perdido" que está passando despercebido pela ciência, uma vez que arqueólogos não se interessam por nada que não pode ser desenterrado, o que não é o caso dessas criaturas. Pelo menos a maioria.

O que eu não consegui definir muito bem ainda é se eles são uma categoria intermediária entre o Homem de Neanderthal e Sapiens, ou se são alguma outra coisa ainda não totalmente formada. Uma... falha na linha evolutiva. Normalmente equilibrados, essa falha é ativada, curiosamente, por partidas de futebol...

Capazes de tarefas complexas, tudo vai por água abaixo quando a bola começa a rolar. Eu andei analisando seu comportamento e cheguei a algumas conclusões:



Sob circunstâncias normais

Sob influência do futebol

Capacidade de segurar objetos

Arremessa os objetos nos outros... saquinho de refrigerante cheio de urina é um exemplo.

Capacidade de fazer cálculos

Calcula coisas como o tempo que falta para acabar o jogo, quantos pontos faltam para seu time ser campeão... etc.

Habilidade de comunicar-se

Usa sua capacidade para xingar a mãe do juiz, mandar os torcedores rivais tomar naquele lugar, zoar semelhantes, etc.

Habilidade de expressão corporal

Emitem grunhidos, saltam, botam as duas mãos na cabeça com expressões faciais das mais variadas, dão murros no ar, pulam... etc. O mais interessante é a parte em que eles se contorcem com cara de intenso sofrimento, sem que haja, obviamente, dor alguma.

Capacidade de expressar emoções

Normalmente acompanhado da emissão de algum tipo de som, eles ora mostram aflição “UUUUUHHH!...”, ora dão gargalhadas esfuziantes acompanhadas de gritos de “GOOOOOLL” ou “EU JÁ SABIAAA!” e finalmente demonstram raiva ou choram, aos sons de “PUUUUTAQUEPARIU!!!”... etc.

Capacidade de expressar amor

Nessa hora não. No máximo, observações explícitas das bundas alheias.

Capacidade de expressar compaixão

Muito menos. Mas há controvérsias. Alguns estudiosos acham que sim, se “compaixão” tiver alguma relação com o formato e proporção da bunda alheia que estiver sendo observada.

Capacidade de socialização

Usam para ir em grupos, pequenos ou grandes, assistir a jogos. Seja na TV da sala de alguém, seja em um estádio. Também usam para zoar grupos alheios, telefonando, enviando emails, fazendo buzinaços nas ruas da sua cidade, etc.

Capacidade de comparar e associar

Estranhamente, essa capacidade fica reduzida a comparar-se, e aos demais (inclusive os rivais) a animais. Acredito que deve ser algum gene que os aproxima de suas origens na natureza livre. Assim, alguns passam a ser galos, peixes, raposas... e até mesmo gambás, urubus e porcos! (Já se ouviu o termo “veado” em algumas situações).