sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Arruda

Não é privilégio do Brasil a corrupção e a canalhice.
Mas é só no Brasil que se institucionalizou a Patifaria!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Não gosto

Não gosto de intolerância, estupidez, acidez. Não gosto de gente amarga, porque em seu estado, acham que são os arautos de toda verdade, que ela sai quase que exclusivamente de sua boca, sem perceber que é justamente a sua raiva ou revolta que estreita a sua visão.

Não gosto de gente que houve uma história e não se preocupa em ouvir o outro lado, absorvendo uma informação que, somada a inclinação de sua própria opinião, torna-se magicamente em verdade. E com base nisso julga, condena e pune.

Não gosto de mentira, não sou praticante da mentira, nem gosto de quem admite a mentira como uma prática cotidiana.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

terça-feira, 27 de outubro de 2009

A história de Katie e Nick


A moça desta foto se chama Katie Kirkpatrick, e tem 21 anos. Ao lado dela está seu noivo Nick de 23 anos. A foto foi tirada pouco antes da cerimônia de casamento dos dois, realizada em 11 de janeiro de 2005, nos EUA. Katie tem câncer em estado terminal e passa horas por dia recebendo medicação. Na foto Nick aguarda o término de mais uma de suas sessões.







Apesar de sentir muita dor, de vários órgãos esteram apresentando falências e de ter que recorrer à morfina, Katie levou adiante o casamento e fez questão de cuidar de todos os detalhes.
O vestido teve que ser ajustado várias vezes, pois Katie perde peso todos os dias devido ao câncer.









Um acessório inusitado na festa foi o tubo de oxigênio usado por Katie. Ele acompanhou a noiva em toda a cerimônia e na festa também. O outro casal da foto são os pais de Nick, emocionados com o casamento do filho com a mulher que ele foi namorado desde a adolescência.











Katie, sentada em uma cadeira de rodas e com o tubo de oxigênio, escutando o marido e os amigos cantando para ela.













No meio da festa, Katie pára para descansar um pouco. A dor a impede de ficar em pé por muito tempo.














Katie morreu 5 dias depois do casamento. Ver uma mulher tão debilitada vestida de noiva e com um sorriso nos lábios nos faz pensar... a felicidade sempre está ao alcance, dure enquanto dure, por isso devemos deixar de complicar nossas vidas...

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O jogo mais duro da história

11 a 0 do Viana sobre o Chapadinha, segunda divisão do campeonato maranhense.
9 dos 11 gols foram marcados nos últimos nove minutos de jogo.
O Viana conseguiu a vaga para a primeira divisão por saldo de gols, deixando o Moto Clube para trás.

Veja só como os gols foram suados, arrancados das últimas forças de atacantes extremamente motivados!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Líria


Nossos pensamentos e nossas orações são em prol dessa linda senhora, a Líria, que aparece na foto a direita de minha irmã Silvia.

Oramos que Deus interfira em sua situação de saúde, que ela se recupere completamente e volta a uma vida plena e saudável... e que sua família possa mais uma vez se maravilhar das grandezas de Deus.


domingo, 23 de agosto de 2009

Tenha paciência e leia!...

FÉ & FINANÇAS
Partido, igreja e televisão


Por Eugênio Bucci em 19/8/2009 (Site: Observatório da Imprensa)

O rumoroso processo contra a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), que transformou em réu o seu líder maior, bispo Edir Macedo, tem como pano de fundo um fenômeno que não tem sido pautado pelos órgãos de imprensa. Mais que a confluência entre fé e finanças, tradicionalmente problemática, esse fenômeno revela a conformação, no Brasil recente, de um tripé no mínimo preocupante: igreja, partido político e radiodifusão (setor que abarca as emissoras de rádio e TV).

Recapitulemos rapidamente o teor das recentes acusações contra a IURD antes de entrarmos na análise desse fenômeno – que será apenas uma análise preliminar. Segundo o Ministério Público, os dirigentes da igreja teriam aplicado recursos obtidos de doações de fiéis na compra de bens e empresas em seus nomes pessoais. Agora, cabe à Justiça avaliar se eles aumentaram ou não aumentaram o seu patrimônio pessoal por meio da apropriação indevida dos donativos.

A lei brasileira proíbe essa prática, e as razões para isso são fáceis de entender. Igrejas não pagam impostos. A lei autoriza que o dinheiro arrecadado pelos religiosos seja inteiramente investido em obras de caridade ou na própria igreja, atividades que não têm finalidade lucrativa. Já as empresas privadas, estas sim estão obrigadas a recolher tributos, pois seu negócio tem finalidade de lucro. Caso alguns milhões de reais vindos de doações, sobre os quais não recai nenhuma taxação, migrem para abastecer negócios privados com fins de lucro, ou mesmo para aumentar patrimônio pessoal, a burla resulta evidente. Constitui crime.

No que se refere à ação criminal em curso, a Justiça decidirá. Mas as associações crescentes no Brasil entre a fé organizada, a radiodifusão e, às vezes, partidos políticos, essas parece que prosseguirão. Sequer têm sido estudadas, discutidas, compreendidas em sua complexa extensão. Eis o pano de fundo dessa história toda – pano de fundo que mal visualizamos.

Tratemos um pouco disso, então. Vejamos como tem recrudescido entre nós esse tripé: radiodifusão, partido político e igreja. Os três elementos deveriam caminhar separadamente, mas tem se aproximado cada vez mais. Quando se juntam, constituem um vetor que aponta para o poder. O tema é crucial para os que acompanham as comunicações no Brasil.

O tripé que espreita o poder

A radiodifusão, o primeiro dos três pés, é serviço público. Sim, ela pode ser explorada por empresas particulares, mas apenas mediante concessão pública. A Constituição estabelece, em seu artigo 221, que a radiodifusão deve dar preferência a finalidades "educativas, artísticas, culturais e informativas", pois ela cumpre uma função de interesse comum e, nos conteúdos que veicula, não é desejável que as predileções de uns – predileções religiosas ou partidárias, por exemplo – difamem ou prejudiquem as preferências dos demais.

É por isso que, sobre a radiodifusão, como todos sabemos, pesam regulamentações que simplesmente não existem para os veículos impressos – que não operam a partir de concessões públicas. Isso significa que, de acordo com os princípios democráticos, que foram acolhidos pela Constituição, a radiodifusão é regida por regras que preservam o interesse geral, pois, vale repetir, é serviço público.

Os partidos políticos pertencem a outra esfera e devem assim permanecer, tanto que a lei faz restrições a vínculos entre candidatos e as emissoras. Um exemplo: o artigo 54 da Constituição impede que senadores e deputados mantenham contratos com empresas concessionárias de serviço público (e as emissoras são exatamente isso, concessionárias de serviço público).

A legislação eleitoral proíbe que candidatos a postos eletivos mantenham programas de rádio e televisão durante o período eleitoral. Essas restrições têm o objetivo de evitar que a radiodifusão deixe de ser um serviço público (serviço para todos) e se converta em serviço particular (para benefício de poucos) – ou seja, serviço que tem por único objetivo a promoção de interesses particulares. Esse tipo de legislação busca diminuir o risco de que as emissoras sejam instrumentalizadas por alguns candidatos em prejuízo de outros.

Se a lei consegue de fato atingir suas finalidades é outra conversa. Qualquer um é capaz de apontar dezenas de deputados e senadores que são, mais do que próximos, acionistas, donos ou dirigentes velados de emissoras. Não deveria ser assim, mas, infelizmente, é assim que é. Em várias regiões brasileiras, há clãs que se mantêm no poder graças ao uso abertamente partidário da radiodifusão.

Deixemos de lado essas tragédias, ao menos neste artigo. Tentemos aqui nos concentrar na lógica que orienta esses princípios democráticos. É uma lógica sábia, ainda que tão negligenciada. Tentemos identificar, apenas isso, identificar os motivos pelos quais a democracia, para funcionar melhor, tende a afastar, ou pelo menos tende a querer afastar a política partidária da condução dos meios de radiodifusão. Tentemos entender por que, para a própria saúde da democracia, é fundamental que a radiodifusão, como serviço público, e partidos políticos – que constituem feixes de interesses privados, mesmo quando se pretendem universais – operem segundo regras próprias, independentes uma da outra. Esse esforço nos mostrará que a radiodifusão articula e dá vida ao espaço público, espaço comum a todos, onde as disputas pelo poder têm lugar.

Os partidos são partes interessadas no poder e, portanto, não podem gerenciar as emissoras que prestam serviço público. Isso é – ou deveria ser – tão simples como é simples entender que o técnico de um time de futebol não pode dar ordens para o juiz e para os bandeirinhas. Isso é – ou deveria ser – tão óbvio como seria óbvio entender que a concessionária de uma rodovia federal não pode impedir a passagem dos automóveis cuja cor a desagrade. A concessionária de uma estrada mantém a estrada em bom estado, de modo a melhor atender os viajantes – ela não é dona da estrada. Do mesmo modo, a concessionária de uma freqüência de ondas eletromagnéticas não é dona da freqüência; ela apenas a explora para melhor atender os cidadãos.

E quanto às igrejas? Desde que a democracia assumiu como valor fundamental o respeito à liberdade religiosa de cada um – separando de uma vez por todas o Estado e a religião –, as igrejas pertencem à esfera privada. Por isso, dentro da lógica democrática, elas ocupam um terceiro campo em relação aos outros dois. Se emissoras de TV são serviço público e dependem de concessão do Estado para ser objeto da atividade econômica de particulares, as igrejas nascem, prosperam e morrem sem que o Estado seja chamado a interferir em seus destinos. Nem imposto elas pagam.

Se os partidos políticos, nascidos também na esfera privada, articulam-se com o objetivo de conquistar postos de comando da máquina pública, as igrejas cuidam de outros assuntos, cujo alvo não deve ser o poder político. Se o Estado é laico, não é concebível que uma religião pretenda disputar cargos eletivos para, a partir deles, imprimir aos poderes da República a sua doutrina particular. Lembremos, outra vez, a Constituição. Agora, o artigo 19:

"É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público".

Outra vez, alguém vai dizer que isso tudo não passa de declaração inócua de boas intenções. Dirá que, na prática, a promiscuidade entre igreja e Estado no Brasil é intensa, é histórica etc., etc., etc. É verdade, mas, de novo, não importa. Não aqui. O objetivo deste texto não é denunciar que as leis são ineficazes. O meu propósito, repito, é identificar as razões de fundo da democracia nessa matéria. Importa visualizar, ainda que de longe, os motivos pelos quais a cultura democrática faz mais sentido quando sabe manter em seus domínios próprios a radiodifusão, a religião e a política.

No ideal democrático, se um cidadão gosta de ser dono de uma cadeia de TV, ele será concessionário de serviço público, mas, caso ele faça essa opção, não poderá ser ao mesmo tempo, digamos, um senador. (Tudo isso, claro, segundo o espírito da lei, segundo aquele ideal antigo, que anda meio empoeirado, mas que vive lá, mesmo que esquecido.) De outro lado, se um sujeito se sente chamado por Deus e se consagra à vida religiosa, ele não está autorizado a, nessa condição, postular o poder para subordinar o Estado aos ditames de sua fé. O Estado, afinal, é de todos, inclusive daqueles que não comungam dessa fé. Se o Estado é de todos, também são de todos os órgãos públicos, as estatais, as universidades públicas e... os serviços públicos – serviços públicos como a radiodifusão.

As telerreligiões e seus desdobramentos políticos

O proselitismo religioso pela TV se popularizou nos Estados Unidos e só depois aportou no Brasil. Aqui, fez escola não apenas entre evangélicos. Também o catolicismo se arrisca em redes próprias de emissoras. O uso de câmeras, microfones, estúdios, holofotes e antenas para pregar a suposta palavra do Senhor, segundo receitas variadas, é hoje um denominador comum entre seitas, agremiações confessionais e igrejas nacionais ou mesmo globalizadas. Nem de longe, essa vertente é uma exclusividade da Rede Record, reconhecidamente identificada com a IURD. Até mesmo no "campo público" – o das emissoras não-comerciais – o fenômeno se verifica. Várias emissoras públicas e mesmo estatais reservam horários em suas grades para a transmissão de missas católicas e apenas raramente, ou quase nunca, enxergam cerimônias de outros credos.

Também nas televisões públicas, portanto, é possível localizar a opção preferencial por uma forma de culto, o que equivale à segregação dos demais. A Record apenas chamou atenção, hoje, porque atingiu dimensões continentais. O que incomoda, nela, não é a promiscuidade entre fé e radiodifusão: o que nela incomoda é a escala, a proporção, a magnitude. Não fosse isso, pouca gente iria perder seu tempo falando disso.

O problema, entretanto, não é de escala, mas de conceito. Religiões e emissoras deveriam ser negócios muito mais separados do que de fato são. Se quiséssemos seguir à risca o ideal democrático e o que estabelece a Constituição, até poderíamos considerar admissível que igrejas comprassem faixas de horários em algumas programações, mas jamais toleraríamos como um dado natural que igrejas, de forma velada ou aberta, fossem simplesmente as proprietárias de grandes redes. Não toleraríamos porque, quando isso acontece, o caráter de serviço público da radiodifusão sai muito, mas muito arranhado. Ou mesmo mutilado.

No caso da Record e de seus vínculos com a IURD, há um terceiro elemento que deveria ser considerado: o Partido Republicano Brasileiro (PRB). Seu principal expoente no Congresso Nacional é o senador Marcelo Crivella, do Rio de Janeiro, também bispo (licenciado) da Universal. O partido soma apenas cinco parlamentares em Brasília (dois senadores e três deputados federais), cujos nomes costumam figurar nas listas da chamada "bancada evangélica", que não para de crescer. O PRB se posiciona bem. Seu presidente de honra é ninguém menos que José Alencar, vice-presidente da República. Mangabeira Unger, um de seus filiados, foi titular de uma pasta no ministério do governo Lula.

Quais as reais relações entre a IURD e o PRB? Por enquanto, essa pergunta fica no ar.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Because you loved me



Because You Loved Me

Por Que Você Me Amou.

For all those times you stood by me.
For all the truth that you made me see.
For all the joy you brought to my life.
For all the wrong that you made right.
For every dream you made come true.
For all the love I found in you I'll be forever thankful baby.
You're the one who held me up.
Never let me fall.
You're the one who saw me through, though it all.

Por todas aquelas vezes que você me apoiou
Por toda a verdade que você me fez enxergar
Por toda a alegria que você trouxe para minha vida
Por tudo de errado que você transformou em certo
Por todo sonho que você tornou realidade
Por todo o amor que encontrei em você
Eu serei eternamente grata, meu bem
Você é quem me sustentou
Nunca me deixou cair
Você é quem me acompanhou, através disso tudo

You were my strength when I was weak.
You were my voice when I couldn't speak.
You were my eyes when couldn't see.
You saw the best there was in me.
Lift me up when I couldn't reach.
You gave me faith 'coz you believed.
I'm everything I'm Because you loved me.

(Refrão)
Você foi minha força quando eu estive fraca
Você foi minha voz quando eu não podia falar
Você foi meus olhos quando eu não podia ver
Você enxergou o melhor que havia em mim
Me ergueu quando eu não conseguia alcançar
Você me deu fé porque você acreditou
Eu sou tudo o que sou
Porque você me amou

You gave me wings and made me fly.
You touched my hand I could touch the sky.
I lost my faith, you gave it back to me.
You said no star was out of reach.
You stood by me and I stood tall.
I had your love I had it all.
I'm grateful for each day you gave me.
Maybe I don't know that much, but I know this much is true.
I was blessed because I was loved by you.

Você me deu asas e me fez voar
Você tocou minha mão [e] eu pude tocar o céu
Eu perdi minha fé, você devolveu-a de volta pra mim
Você disse que estrela nenhuma estava fora de alcance
Você me apoiou e eu fiquei de pé
Eu tive seu amor, eu tive isso tudo
Sou grata por cada dia que você me deu
Talvez eu não saiba tanto
Mas eu sei que isto é verdade
Eu fui abençoada porque fui amada por você

You were my strength when I was weak.
You were my voice when I couldn't speak.
You were my eyes when couldn't see.
You saw the best there was in me.
Lift me up when I couldn´t reach.
You gave me faith ´coz you believed.
I'm everything I am Because you loved me.

Você foi minha força quando eu estive fraca
Você foi minha voz quando eu não podia falar
Você foi meus olhos quando eu não podia ver
Você enxergou o melhor que havia em mim
Me ergueu quando eu não conseguia alcançar
Você me deu fé porque você acreditou
Eu sou tudo o que sou
Porque você me amou

You were always there for me.
The tender wind that carried me.
A light in the dark shining your love into my life.
You've been my inspiration.
Through the lies you were the truth.
My world is a better place because of you.

Você sempre esteve lá para mim
O vento carinhoso que me levava
Uma luz no escuro, brilhando seu amor na minha vida
Você tem sido minha inspiração
Em meio a mentiras você foi a verdade
Meu mundo é um lugar melhor por sua causa

You were my strength when I was weak.
You were my voice when I couldn't speak.
You were my eyes when couldn't see.
You saw the best there was in me.
Lift me up when I couldn't reach.
You gave me faith ´coz you believed.
I'm everything I am Because you loved me.

Você foi minha força quando eu estive fraca
Você foi minha voz quando eu não podia falar
Você foi meus olhos quando eu não podia ver
Você enxergou o melhor que havia em mim
Me ergueu quando eu não conseguia alcançar
Você me deu fé porque você acreditou
Eu sou tudo o que sou
Porque você me amou

terça-feira, 11 de agosto de 2009

A realidade da fé I

Opinar sobre esse tipo de coisa é sempre uma faca de dois gumes, porque há duas situações coexistindo: a questão da fé, e a questão da ética. O assunto é que acaba de sair na mídia notícias sobre a cúpula administrativa da Igreja Universal, trocando em português miúdo, indiciada por lavagem de dinheiro.

A questão da fé
Todo ser humano nasceu para usufruir a bênção da vida, e exercer essa mesma vida em uma relação de amor e louvor ao seu criador, Deus.

E a Igreja é mais do que que estruturas, templos, riqueza e prosperidade. A Igreja é o pleno exercício dos valores mais elevados, pelos homens, entre si, e em relação ao seu Criador. É o reino de Deus na terra... mas esse reino é implícito, ele é a vida de Deus dentro de cada indivíduo, tornando-o melhor... mais ético, mais sensível, mais sublime, mais justo. E essa interação do Espírito de Deus com o espírito do homem, faz de cada ser humano um exemplo.

Na Igreja se aprende a tolerar, amar o próximo, praticar a boa ação, desenvolver e exercer a fé, e adorar ao Criador. Também se aprende a superar as dificuldades e problemas da vida, num ambiente de amor, esperança e alegria.

Portanto, em nada eu questiono a capacidade humana de ter uma relação de amor com Deus e com o próximo, e muitos alcançam isso em todas as Igrejas, inclusive na Universal.

A questão da ética
No âmbito administrativo a Igreja tem se tornado cada dia mais próxima de uma empresa, uma estrutura secular, do que o reino de Deus na Terra. E o abuso e a falta de ética tem tornado a pobre Igreja motivo de chacota e sinônimo de banditismo nesse Brasil e mundo afora.

Na verdade essas denúncias recentes em nada surpreendem a quem possui um mínimo de senso crítico e inteligência - itens tão apregoados nos sermões do Bispo Edir Macedo.

É notório e conhecido de muitos a multiplicação de negócios, a expansão de tentáculos da Igreja-Empresa sobre o cenário empresarial no Brasil inteiro. Usando a premissa da isenção de impostos sobre templos religiosos para todo tipo de operação "legal", inclusive com transferência de riqueza para contas pessoais, manutenção de programas de TV a valores estratosféricos em horários cujo público é inconsistente com o valor investido ( e isso se faz justamente para transferir riqueza de uma empresa a outra), aquisição de empresas em nomes de laranjas, etc etc etc.

E o que dizer do exercício do ministério pastoral com alvo de receita (como se fosse uma equipe de vendas)?

Infelizmente o negócio "Igreja" se tornou altamente promissor, e a verdadeira Igreja, por omissão - em alguns casos exaustão - de homens de caráter, tem sido alvo fácil da ação de bandidos, marginais, pessoas de péssima índole, que se valem da habilidade de orador e da capacidade de manipulação de massas para enriquecer, à custa do dinheiro dos humildes.

E há muitos por aí, e não somente essa leva de falsos líderes.

Cúpula da Igreja Universal é indiciada por lavagem de dinheiro
JB: http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/08/11/e110819694.asp

Folha: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u607881.shtml

Estadão: http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,justica-recebe-denuncia-contra-bispo-edir-macedo-e-mais-9,416884,0.htm

O Globo: http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2009/08/10/edir-macedo-mais-nove-sao-denunciados-por-lavar-dinheiro-757350041.asp

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Versão brasileira..... rérberdi ríchardissss....

Só Hoje







Só Hoje - Jota Quest

Hoje eu preciso te encontrar de qualquer jeito
Nem que seja só pra te levar pra casa
Depois de um dia normal...
Olhar teus olhos de promessas fáceis
E te beijar a boca de um jeito que te faça rir
que te faça rir...

Hoje eu preciso te abraçar...
Sentir teu cheiro de roupa limpa...
Pra esquecer os meus anseios e dormir em paz!

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria
Em estar vivo...

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar
Me dizendo que eu sou o causador da tua insônia
Que eu faço tudo errado sempre, sempre...

Hoje preciso de você
Com qualquer humor, com qualquer sorriso
Hoje só tua presença vai me deixar feliz
Só hoje...

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria
Em estar vivo...

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar
Me dizendo que eu sou o causador da tua insônia
Que eu faço tudo errado sempre, sempre...

Hoje preciso de você...
Com qualquer humor, com qualquer sorriso!
Hoje só tua presença vai me deixar feliz
Só hoje...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Homens e cães

Uns sentem compaixão e compreensão pelos cães, outros pelos animais como um tôdo. Eu confio e amo a humanidade tanto como confio e amo os cães. E justamente por isso caio na retórica de me considerar diferente, embora eu realmente acredite nisso - mas para os outros é retórica. Por causa disso, vivo me decepcionando, pois embora isso esteja incrustado em minha natureza, homens aparentemente não foram feitos para serem amados. Muitos confiariam sua própria vida a um animal que, embora não pudesse salvá-lo ou curá-lo, ao menos permaneceria ali até o fim junto com ele, do que a uma pessoa. Eu confiaria a ambos, homens e cães.

Animais, e em especial os cães, são o supra sumo da honestidade, por não raciocinarem como os homens, e portanto não esperarem nada em troca, nem mesmo o próprio amor retribuído, coisa que os homens fazem muito bem.

Abaixo da fina superfície de amor, alegria e hospitalidade humanas, há todo tipo de podridão. Pessoas se agarram à quem lhes demonstra amor, para sugar-lhes toda energia e, satisfeitos, partirem para o próximo porto. Pessoas traem porque querem trair, porque houve uma história muito complexa na qual foi envolvido e, ao contar essas histórias, conseguem se auto imputar a condição de vítimas, quase sempre das circunstâncias, e assim, saírem ilesos e amados.

Pessoas envelhecem e, ao envelhecer, se tornam mais abertos à realidade da condição humana. E vão para a casa de seus filhos e netos, ou para asilos ou hospitais. E quando os visitamos, nossos corações se enchem de empatia, misericórdia e amor. E muitas vezes fazemos isso por pessoas que feriram, magoaram, traíram, deturparam ou mesmo mataram. E alguns, sequer se arrependem.

Sou um idealista, abomino a injustiça, a miséria e a violência humanas. Viro as costas frequentemente aos dignos de desprezo, mas me abro lentamente às pessoas que vou conhecendo, na esperança de que tenha encontrado um ser humano digno. E com essas atitudes, conheci alguns. Poucos.

Tão dignos quanto os cãezinhos.

domingo, 12 de julho de 2009

Vencido

Fui mão que acalenta, braço que abraça
fui beijo que aquece,
fui sexo, amor e desejo,
destas mãos brotaram gestos,
desta boca palavras
reflexos da ilusão e da paixão
de um homem, cujo maior troféu
era a imensa capacidade de amar.

O amor me atingiu com um impacto
sua flecha incandescente me feriu
cálices de ira eterna foram derramados
rasgaram-se minhas roupas e alma
o amor é bom, o homem é horrível
sou incapaz de dominá-lo e vivê-lo

Não quero mais amar,
meu coração, tranquei
com sete chaves, em sete cofres
não mais beijos,
não mais mãos entrelaçadas
não mais esperança.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Musica transcultural e transcontinental

Toque e cante uma canção ao vivo com pessoas simples sincronizadas no mundo inteiro em tempo real, de maneira fácil e simples... e tenha uma das mais incríveis manifestações culturais, exemplificando a capacidade humana de realizar, de unir e de ser - quando quer.

Viaje.

Stand By Me



One Love



War / No More Trouble



Don't Worry

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Já ouviu falar de flashMOB ?

Flash MOB, ou mobilização rápida, ou mobilização instantânea... reúna seus amigos, faça uma manifestação espontânea de qualquer natureza em um lugar público, de maneira inesperada, e você tem um flashMOB.

Há coisas incríveis que alguns grupos de amigos ou por afinidade cultural realiza mundo afora.; Veja abaixo exemplos apaixonantes!


Na estação centrald e Liverpool - Liverpool Street Station:



Dançando em uma grande loja de departamentos da California:



13.500 pessoas cantando HEY JUDE em Trafalgar Square, centro de Londres:



Num dia comum em um supermercado em Manchester:



Freeze em Beirute!



Follow me na Polônia!



Guerra de travesseiros em Birminghann - UK



Espelhos humanos no metrô de Nova York



80 clientes vestidos igual aos funcionários.. Best Buy... EUA



Freeze em Paris!! 3.000 participantes



Freeze em Tokyo.. 50 participantes

terça-feira, 23 de junho de 2009

Teu adeus



Teu adeus me chegou sem aviso
me chegou num domingo qualquer
eu trocara minhas roupas de luto
eu lavara meu rosto e minhas mãos
e servira meu próprio café

Ele entrou pela porta da frente
remexeu os papéis sobre a estante
as toalhas e a roupa de mesa
sob a forma de um vento suave
refrescou minha pele e minha mente

Ele não tinha cor, cheiro ou forma
Nem enfeites, nada lhe reluzia
Nem beleza, nem gosto ou riqueza
Nem pobreza, e nada palpável
Teu adeus simplesmente existia

Teu adeus me saudou com um sorriso
Não trazia consigo tristezas
Nem um beijo, um porquê ou palavras
Quanto a ti, percebi, não viria
Era apenas o adeus e as certezas

Teu adeus me deu quê de saudade
Mas também despertou-me alegria
Tudo inicio, tudo meio e fim
Em um ciclo completo, lá estava!
Te adeus... era eu quem não via.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Fazer ou não fazer... o gol?

Num duelo disputadíssimo de filósofos intelectuais, até fazer um gol pode ser resultado de uma profunda reflexão sobre a natureza humana e sua relação com as realidade a sua volta.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Coisas do companheiro Lula

Lula anda falando mais ultimamente. Mas o problema não é esse. O problema é que a relação de merdas por frase proferida aumentou de maneira desproporcional, exponencial. Antes falasse menos e mais acertadamente.

Eu votei nele, gosto do cara... acho que ele um bom presidente, mas chega. Já deu o que tinha que dar. Acompanha abaixo algumas das pérolas proferidas só nos últimos dias. E como não sou injusto, alguns acertos.


Desmatamento
19/06 - "Não se pode chamar de bandido quem desmatou".
Aqui ele está certo, considerando o contexto, em que ele também afirma que se deve conscientizar a sociedade que o desmatamento “joga contra” o País e deve ser evitado. Os produtos perdem preço lá fora porque o mundo está com os olhos na Amazônia. E ele está certo também porque todo o primeiro mundo de hoje eliminou suas florestas ainda na idade média (ou você acha que é só no Brasil que existia floresta?). Agora querem que cuidemos da nossa. Ok. Vamos cuidar. Mas isso não deva ser algo que nos mantenha na pobreza.

Passagens aéreas para terceiros pagas com dinheiro público
01/05 - "Não vejo onde está o tamanho do crime em o sujeito levar a mulher para Brasília."
Ele está errado. Cada centavo extra pago em despesas dos poderes públicos sai diretamente do nosso bolso. E tem muita gente que não tem o que comer amanhã cedo. O custo de uma passagem dessa manteria algumas famílias inteiras que eu conheço se alimentando por 2 ou 3 meses.


Escândalo de contratações secretas
17/06 - "O Sarney tem história no Brasil suficiente para que não seja tratado como se fosse uma pessoa comum."
Ele está errado. Ninguém está acima do bem ou do mal. Qualquer pessoa está sujeita às leis e pronto. Não que Sarney tenha cometido crime ele propriamente, mas como presidente do Senado, não pode querer que pensemos que ele não soubesse sobre a contratação secreta de parentes próximos a rodo no Senado, em cargos altamente remunerados. Isso sem falar de tantas outras negras histórias desses tais de Sarneys.

Economia I
17/06 - "Ficamos mais 'iguais' depois da crise"
Ele está certo usar de ironia na medida certa. Ele está falando que curiosamente, aqueles que impunham métodos para condução da economia no passado, aos países que precisavam de dinheiro, são os mesmos que agora colocam mais cadeiras nas mesas de negociação para encontrar caminhos para resolver os problemas econômicos do mundo. Resumindo: os países ricos nunca dividiram o lucro, mas agora se abrem para dividir o prejuízo.

Economia II
26/03 - "A crise foi causada por 'gente branca de olhos azuis'"
Ele está errado, pois exagerou na ironia. Foi preconceito puro, e logo dele, que é vítima de preconceito todo santo dia. Foi um comentário infeliz e constrangedor. Há aficanos, asiáticos, americanos, europeus e sulamericanos em todas as esferas dos conglomerados econômicos globais.

Economia III
04/10/2008- (Sobre a crise) - "Lá, ela é um tsunami; aqui, se ela chegar, vai chegar uma marolinha que não dá nem para esquiar. "
Nessa ele se arriscou, na verdade. Errou em resumir de maneira tão pobre a crise, mas como a intenção era tranquilizar os mercados, o empresariado e a população, pode-se dizer que ele conseguiu pelo menos suavizar algumas expectativas. E por ter se arriscado, vai colher agora as consequências de uma possível recessão no Brasil - o que prova que não era nenhuma marolinha.

Eleições no Irã
15/06 - "Eu não conheço ninguém, a não ser a oposição, que tenha discordado da eleição do Irã. Não tem número, não tem prova."
Ele está errado. Porque não há provas de fraude, mas também há indícios de manipulação eleitoral. Quando uma instituição quer fraudar, não sai tirando fotos para documentar. Basta ver a reeleição do FHC, em tese a maior fraude eleitoral de toda a história do Brasil. Mas todos votaram nele e o reelegeram, democratica e legalmente. Mas toda essa estrutura "democrática" foi construída encima de fatos altamente obscuros. E há provas?

Esqueci alguma em especial?

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Faça uma canção

Faça uma canção nova
Que expresse toda sua fúria
Não se conforme com padrões
Nem com palpites de gente insana

Faça tua canção com as labaredas
Que emanam da tua ardente vida
Faíscas dessa paixão que te preenche o peito
Mas que não tem saída

Faça uma loucura, mostra tua cara
Jogue nessa tela baldes de tua tinta
Lance o teu corpo sobre a aquarela
Rasgue o véu, grita o que sente

A tua arte será admirada pelos que não a entendem
E você irá admirar esse novo ser presente: você.

domingo, 31 de maio de 2009

Cuiabá... COPA 2014

Cuiabá eleita

Cuiabá foi eleita como uma das 12 cidades que abrigarão jogos do mundial de futebol 2014. A disputa foi fechadíssima com Campo Grande-MS, cujos organizadores elaboraram uma campanha em duas frentes. A primeira, obviamente, enaltecendo o projeto local, mas isso nós daqui de Cuiabá também fizemos. A segunda, inesperadamente agressiva, visando denegrir a cidade rival. Inclusive com palavras chulas, sim, a despeito da negação.

Disseram entre outras coisas que o povo é festeiro, irresponsável e não gosta de trabalhar. Eu sou paulista e moro aqui há mais de 20 anos... e sinceramente, não vejo nada disso que tanto afirmaram.

E agora se perguntam onde erraram...

E eu respondo: Na arrogância. E a arrogância precede a queda.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Sério de menos

Certa vez eu vi uma frase em uma entrevista da Folha de São Paulo que achei muito legal. Era um jogo de perguntas e respostas e, solicitada a responder "algo que você detesta", a entrevistada (famosa) respondeu: "Pessoas que se levam a sério demais".

Como bom virginiano, não entendi muito bem na hora, não por falta de entendimento, mas por excesso de opções. Uma "pessoa que se leva a sério demais" pode significar muita coisa, veja.

Poderia ser gente chata, dessas que precisam se esforçar para serem levadas a sério, o que deveria ser algo natural. Poderia ser gente literalmente séria demais, que não ri, que nunca se diverte. Ou gente amarga mesmo, dessas cuja existência é dolorosa para si mesma, ou que faça a dos outros cáustica. Ou gente com alergia a bom humor. Talvez gente que não goste de palhaços, de crianças, de cães, ou de piadas. Quem sabe, gente que córa de raiva quando alguém faz um colocação engraçada durante uma reunião na empresa, ou no púlpito da igreja, ou durante aquele procedimento complicado. Ou gente que não admite erros: nem os próprios, nem o dos outros. Ou quem goste de sofrer, aquele tipo de pessoa que acha que a felicidade é imoral, e o sofrimento, libertador. Talvez quem não goste de amar. Ou que tenha medo de ser. Ou pessoas contagiantemente deprimentes... puxa!...

De qualquer forma, vendo isso tudo, cheguei à conclusão que por aí não ia dar. Há muitas maneiras de se levar à sério demais, todas chatas. Até porque se levar a sério não é o problema. O problema é o sutil complemento: "demais".

Melhor olhar para o OUTRO lado. Portanto imagine - como eu imaginei - uma pessoa que não se leva a sério demais.

Descomplicada, ama e aceita a si mesma, se dá bem com os outros (pelo menos a maioria. Ninguém é de ferro).

...

A propósito, a entrevistada era a Adriana Calcanhoto.

Fui.

Guarde esses nomes

Duas bandas POP interessantes, telentosas e criativas, com suas músicas muito bem elaboradas tecnicamente, além de serem um tremendo barato... divertidas demais!

Guarde esses nomes, porque eu acho qeu farão muito sucesso:

OS SEMINOVOS
Escolha já seu nerd



PEDRA LETÍCIA
Como os nossos pais... (nos aguentam)



PEDTA LETÍCIA
Teorema de Carlão

sexta-feira, 22 de maio de 2009

o vale




Voltei aos meus vales ocultos
Sozinho, sereno, revejo as paragens
pisam meus pés caminhos conhecidos
de lágrimas derramadas e de sonhos furtados
registrados em caules de árvores
sob as quais adormeci amando e sofrendo

Fui eu quem os fiz, então os toco e recordo
que me dêem o alento de um dia ter sonhado

Folhas passam correndo, brincando como crianças
como vivas, porém mortas
e como tal, lembram a mim

A vida é um paradoxo
Pois quem é este que está vivo,
que não anseia por viver?
Todos anseiam, pois mortos se sentem
Como folhas que o vento leva, tão cheias de vida

O grito mais dorido é o feito em silêncio
Quase ouço os meus, andando nesses vales
Ecoam como rumores, ao sabor desses ventos
Me lembram prazeres, confidências e tremores
que o amor e a dor propiciam

O sol não se mostra de todo
Nuvens encobrem sua luz
Tudo na vida é meio encoberto, nada é completo
nem aquele amor que te declaram
Completo é só o momento
pleno em seus início, meio e fim
gotas da chuva, faíscas de fogo,
um molha, outro consome
um entristece, outro alegra,
e ambos colorem

Nesse lugar de profundos quietude e paz
fecho meus olhos para ver melhor
a linda menina mulher
que amei e que me lembra o poder
de todo amor de que sou capaz
não há nada mais perfeito
do que ser o que se é
sem medo

Permito-me amar de novo assim
entre ecos de tortura e desejo
rindo, mergulhado neste momento mágico
Pois nos poucos mas intensos dias da minha vida
não há dor que não tem seu devido tempo
e nem amor que não seja sofrimento

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Sobre homens e cães


Recebi uma interessante apresentação falando sobre o comportamento canino dos cães. A pessoa que o fez, os compara passo a passo com o comportamento humano dos homens para, no final, tascar duas verdades (dele): "O cão é o melhor amigo do homem" e a nova que já virou um clássico: "Quanto mais eu conheço os homens mais eu gosto do meu cão".

Mas eu que já tive vários cães e hoje tenho dois Rotweillers, um macho e uma fêmea posso garantir:

- O cão realmente ama você incondicionalmente. Especialmente se você mantiver o pote de ração dele constantemente de meio para mais.

- O cão realmente ama você incondicionalmente. Mas só vale enquanto não está comendo sua ração. Melhor não testar o amor de um cão enquanto nessa hora. Ele poderá pular direto na sua jugular. (O que não quer dizer que ele não ame você incondicionalmente).

- Cães estão cagando e andando para o fato de você ser rico, pobre, preto, branco, feio, bonito, homem, mulher ou qualquer outra coisa. E cagando e andando, literalmente.

- Cães não se importam se você cheira mal. Não importa o que você faça, dificilmente você irá cheirar pior do que ele depois de uma semana sem banho.

- Cães abandonam a casa em nome de uma boa.... cruzada! (Se fossem humanos eu usaria outra palavra). Eles vão pra cima, pulam o muro, atropelam qualquer um. E você terá que buscar o seu amigão lá, seis quadras adiante, enroscado por meia hora com uma qualquer. (Isso não vale se você tem uma fêmea. Nesse caso, acostume-se com a enxurrada de vira-latas na porta da sua casa de olho na sua musa).

- Cães são fiéis? São. A você e a todos os que brincarem com ele, derem comida a ele, etc. Se um cão abanar o rabinho enquanto te olha, meu amigo, ele já se tornou fiel a você. Inclusive, considerando aparatos mínimos de segurança (corrente), eles podem ir até embora para sempre, junto com aquela nova pessoa à qual o danado do bixinho acabou de se tornar fiel.

...

Brincadeiras a parte, eu sou um admirador de cães, acho super bacana a psicologia canina, embora eu não entenda nada, o que pode ser um indício que eles já estão mais adiantados do que eu neuro-psicologicamente falando.

...

E realmente, os cães são muito mais fiéis que os homens. Quer um exemplo? Experimente prender sua mulher no bagageiro do automóvel por meia hora, e depois faça o mesmo com seu cão.

E registre qual dos dois saiu pulando todo feliz e carinhoso quando você abriu o capô.

domingo, 17 de maio de 2009

Maísa

Considerando as notícias abaixo...

"Menina Maísa chora no palco por medo de mostro"
"Maísa bate a cabeça, chora e chama a mãe durante programa"

... fica a minha pergunta:

Ninguém vai para a cadeia pelo que estão fazendo com essa guria?!

Aborto

Os homens tendem a se fixar em uma posição mecanicamente. Antes que você pense besteira, não estou falando de física, anatomia, em muito menos de xéxo.

Estou falando da tendência humana em colocar os neurônios em ponto morto, como se fosse um carro numa linha reta: acelera-se até um certo ponto considerado como ideal, desengata-se a marcha, e deixa ele seguir sozinho fluindo pela estrada, levado pela inércia, sem qualquer controle a não ser o da direção.

Os seres humanos enquanto criaturas pensantes (ou quase), são assim: pegam carona no raciocínio de alguém que teve menos preguiça para o formular, e montam estruturas sociais às vezes imensas sobre pensamentos, filosofias e culturas que eles mesmo não entendem muito bem. E por não entender muito bem, não o conseguem explicar, ou superar um obstáculo um pouco mais complexo que seja contrário ao que defende.

Ah, daria para citar muitos exemplos de situações que se encaixam nessa verdade. Por exemplo, pessoas que defendem o aborto e pessoas que o combatem; pessoas que seguem um determinado líder religioso ou político e pessoas que o detestam; pessoas que defendem o homossexualismo e pessoas que o condenam. E tem até coisas incompreensíveis como torcer para o Corinthians.

Eu vou aproveitar essa deixa para falar sobre o aborto. No Brasil, o atual código penal só permite o aborto quando a gestante não pode ter sua vida preservada de outra forma, ou caso a gestação seja resultado de um estupro. O código não fala nada, por exemplo, de anomalias fatais do próprio feto.

Há uma proposta de alteração do código penal que sugere o seguinte texto:

Exclusão de Ilicitude

Art. 128. Não constitui crime o aborto praticado por médico se:
I - não há outro meio de salvar a vida ou preservar a saúde da gestante;
II - a gravidez resulta de violação da liberdade sexual, ou do emprego não consentido de técnica de reprodução assistida;
III - há fundada probabilidade, atestada por dois outros médicos, de o nascituro apresentar graves e irreversíveis anomalias físicas ou mentais.

Parágrafo 1o. Nos casos dos incisos II e III e da segunda parte do inciso I, o aborto deve ser precedido de consentimento da gestante, ou quando menor, incapaz ou impossibilitada de consentir, de seu representante legal, do cônjuge ou de seu companheiro;
Parágrafo 2o. No caso do inciso III, o aborto depende, também, da não oposição justificada do cônjuge ou companheiro.

Aqui já se incluem três figuras novas:
A primeira é que fala não só de salvar a vida da gestante, mas "preservar" sua saúde. Muito, muito vago. A segunda é a que inclui anomalias do feto (como anencefalia, por exemplo, o que eu acho bem razoável). E a terceira, a que inclui a necessidade de consentimento, ora da gestante, ora de seu responsável, ora do cônjuge ou companheiro, dependendo de cada caso.

Pois bem.

Não pretendo expôr minha opinião agora, até porque eu não tenho o aparato biológico necessário para uma gestação, o que me deixa apenas na torcida por uma decisão razoável e inteligente das autoridades. Quem sente pra valer o efeito de uma decisão sobre o aborto é, na verdade, a mulher.

A maioria das mulheres irão gerar filhos naturalmente. Mas há aquelas que terão bebês anencéfalos, ou com alguma doença fatal, ou ainda há aquelas que sofrerão abuso, violência sexual, e que engravidarão, e ainda há aquelas que simplesmente - por mais que desejem o filho - estarão sujeitas a morte se continuarem com a gestação. Essas são as maiores interessadas.

(Uh, droga.. eu falei que não ia expôr minha opinião...)
...

Voltando ao tema desse texto, eu percebo que há milhões de pessoas que se colocam em uma posição sem analisar profundamente os porquês, as causas e consequências de um processo de aborto. Apenas são contra ou a favor e pronto. Uns porque viram um powerpoint de um bebezinho segurando o dedo de um médico (aliás, que imagem maravilhosa né não?)... outros porque tem suas razões baseadas basicamente em lógica (1 + 1 = 2), sem levar em conta princípios, valores e questões filosóficas ou religiosas.

Mas há uma coisa em que todos concordam: o que está em jogo não é entregar a uma adolescente que dormiu com o namorado e engravidou, o poder de interromper sua gravidez, ou seja, tornar essa uma decisão tão difícil quando escolher a cor do batom que vai usar para ir para a balada.

O que está em jogo são questões muito mais complexas, de preservação da vida, de defesa da mulher vítima de violência, entre outras coisas. E talvez até mesmo de avançar enquanto sociedade, nos aproximando mais de um modelo com pleno poder do senso crítico, e cada vez mais distante do pensamento medieval.

...

Uma coisa curiosa: Um presidente protestante (Bush) foi o maior aliado da Igreja Católica, ao ser radicalmente contra aborto, união homossexual e pesquisas com células tronco. Agora outro presidente protestante (Obama), é o pior inimigo da linha dura dessa mesma igreja, ao se tornar um (moderado) defensor dessas mesmas idéias.

sábado, 16 de maio de 2009

O que é , o que é

Que tal Quintana ?

Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos – onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo…


(Mario Quintana - Esconderijos do Tempo)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A insustentável inocência do ser

Enquanto eu dilacerava as entranhas de um X-Tudo de três ou quatro andares, observava pela janela, reflexivo, o movimento lento dos carros na avenida a três quilômetros de distância da minha janela, no segundo andar desse prédio público. A avenida tem uma elevação lá naquele ponto, o que torna o movimento dos automóveis, à noite, interessante de observar, especialmente para quem está matando 6 horas de trabalho lentamente, minuto a minuto, com a frieza dos mais experientes assassinos.

Não sei exatamente o que me levou a isso, se foi o deslocamento de recursos e energia de regiões periféricas (como o meu cérebro) para regiões de maior... digamos... "atividade" (como o meu estômago naquele momento), ou se foi algum milagre ou efeito físico ainda não explicado que me tornara repentinamente um filósofo dos problemas da atualidade... mas o fato é que eu passei a pensar sobre as grandes catástrofes contemporâneas, metaforicamente falando.

Entre uma mordida e outra em meu supersanduba, me lembrei da hipocrisia humana. A hipocrisia é, basicamente, uma mentira, normalmente muito bem contada. Às vezes tão bem contada que até o próprio hipócrita não sabe que a está contando. Se a sua hipocrisia vem de uma fonte natural (seja lá o que isso quer dizer), isso faz dele inocente. Pelo menos inocente no sentido de não ter refletido muito bem sobre seus princípios, e portanto de não ter tido inteligência o suficiente para perceber que eram hipocrisia pura.

E isso me leva a pensar: é impossível ao ser, enquanto humano - eu incluído, não ter nem sequer uma leve brisa, ou uma sutil sombra de hipocrisia em alguma área de sua vida, de seu comportamento.

Vou citar um exemplo: o religioso que apareceu hoje no Terra, acusado de estuprar por mais de 10 anos as duas próprias filhas, hoje com 17 e 21 anos. Esse é um autêntico exemplo de hipócrita, daqueles indesculpáveis. Prega uma coisa, e pratica outra. Esse é um hipócrita por opção, pois é consciente de sua ambiguidade. De que crê (ou confessa que crê) em uma coisa, mas pratica outra absolutamente contrária.

Mas tem também o exemplo da "hipocrisia implícita" (se é que o termo existe). Imagine uma pessoa preparando uma festa para o próprio aniversário. Ele está exercendo a sua dose de hipocrisia quando - e se - disser coisas como "Ah, gente, não precisa de presentes", "Minha intenção é só alegrar meus amados" ou a máxima "Deixa tudo aí que depois eu limpo tudo com o maior prazer". Embora a palavra "hipocrisia" pareça forte aqui, no fundo no fundo, é ela mesmo mostrando sua cara pois no fundo no fundo, o que o aniversariante mais quer é ser lembrado, se sentir querido, alguns até mesmo paparicados. E alguns até presentes querem (que horror). Senão nem teria feito uma festa.

Pode não ser a clássica e corrosiva hipocrisia do religioso pedófilo, do homossexual enrustido, do policial criminoso, ou do político ladrão. Mas os princípios estão lá: os gestos - muitos deles pensados - apontando para o contrário do que se gostaria de dizer, ou do que se sente. Porque não são gestos naturais. São encenações da vida ideal, mas não da vida real.

Porque a vida real, se fosse vivida ao pé da letra, seria feia.

Políticos diriam que estão indo lá para ajudar a si próprios em primeiro lugar, à família e aos chegados em segundo lugar, e ao resto do povo se sobrar tempo.

Muitos - eu incluído de novo - fariam careta ao comer um prato. Ou nem mesmo comeriam: já fariam careta só de olhar a comida chegando na mesa. Imagine o cara chegando em casa com um pacotinho contendo um X-Tudo (tipo esse aqui que eu acabei de devorar) e uma coca, e isso porque não gosta da comida da mulher. Se ele for hipócrita vai dar uma desculpinha. Se ele não for, vai dizer que não gosta da comida dela, ainda que diga com jeitinho. (Olhando por esse lado... acho é que muitos maridos e mulheres sequer se casariam).

Muitos empregados mandando o patrão ir tomar naquele lugar. E muitos vice-versas.

...

Muita franqueza até aqui, mas não quer dizer que franqueza seja sinônimo de verdade. Uma pessoa pode ser franca, acreditando estar certa, sem estar, e isso porque todo mundo confunde franqueza hoje em dia com arrogância e petulância. Quer um exemplo?

Imagine uma pessoa "A" dizer para a uma pessoa "B" (que acabou de conhecer) que ela é uma prostituta. A pessoa "A" chegou a essa conclusão pelas roupas, estilo, acessórios e postura da outra. E PÁ!! tascou, franqueza pura. Mas não quer dizer que a outra seja, e se não for, tá feita a merda (deixo por conta de sua imaginação o desfecho desse cenário).

Aliás, adoro pessoas que dizem "Ah, eu sou super franca! O que eu tenho que dizer, digo logo na lata.", e dizem como se tivessem acabado de chegar em primeiro lugar em uma maratona - rompendo a fita da chegada. Cabeça erguida, olhar expressivo, passando a idéia de seriedade e objetividade.

Comportamento encontrado no universo feminimo mais do que no masculino, essa normalmente é a personificação da hipocrisia mista (sim, mais um termo novo). Metade da sua hipocrisia é deliberada, a outra metade é inata. Ela (ou ele) normalmente é arrogante, quando quis dizer franca (ou franco).

Porque - digo por experiência própria enquanto vítima - pessoas "super francas" só exercem sua tão abundante franqueza quando é interessante impôr sua presença, sua voz, sua personalidade, sua vontade. Ou quem sabe para humilhar alguém mesmo, que ninguém é de ferro.

...

A verdade sim, essa é importante. Assim como é importante a maneira como ela é dita.

Porque somos todos ilustres amantes da verdade: queremos a verdade acima de tudo! (mas dependendo de qual seja, esperamos que ela seja contada a conta-gotas. Sabe como é... pra não doer muito.)

Ou desejamos, deliciosamente hipócritas, que ela sequer seja dita. (Não éramos nós que queríamos a verdade acima de tudo?)

...

Poxa, muito gostoso isso. Acho que eu preciso fazer mais vezes isso.

To falando do X-Tudo.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

A mulher com o melhor físico do mundo

Você pode imaginar uma mulher com um físico realmente incrível?
Um físico daqueles capazes de mudar a história da humanidade?

Clique aqui e concorde comigo: essa é realmente, a mulher com o melhor físico do mundo!! Sem sombra de dúvida.

O paradoxo do Pinóquio



Pinóquio declara:

- Meu nariz vai crescer agora.

Pinóquio mentiu, pois ele não tem como ter certeza de sua afirmação, portanto seu nariz deve crescer.

Mas se seu nariz crescer, isso fará com que sua declaração se torne uma verdade.


...



Mas afinal, Pinóquio mentiu ou não mentiu?...

terça-feira, 5 de maio de 2009

O elo perdido da humanidade

Torcedores de futebol são uns seres meio estranhos, situados num estágio do desenvolvimento ainda intermediário, um ponto entre nossos ancestrais e o Homo Sapiens que habita em nós. São Sapiens na aparência, gorilas no comportamento. Provavelmente são um tipo de "elo perdido" que está passando despercebido pela ciência, uma vez que arqueólogos não se interessam por nada que não pode ser desenterrado, o que não é o caso dessas criaturas. Pelo menos a maioria.

O que eu não consegui definir muito bem ainda é se eles são uma categoria intermediária entre o Homem de Neanderthal e Sapiens, ou se são alguma outra coisa ainda não totalmente formada. Uma... falha na linha evolutiva. Normalmente equilibrados, essa falha é ativada, curiosamente, por partidas de futebol...

Capazes de tarefas complexas, tudo vai por água abaixo quando a bola começa a rolar. Eu andei analisando seu comportamento e cheguei a algumas conclusões:



Sob circunstâncias normais

Sob influência do futebol

Capacidade de segurar objetos

Arremessa os objetos nos outros... saquinho de refrigerante cheio de urina é um exemplo.

Capacidade de fazer cálculos

Calcula coisas como o tempo que falta para acabar o jogo, quantos pontos faltam para seu time ser campeão... etc.

Habilidade de comunicar-se

Usa sua capacidade para xingar a mãe do juiz, mandar os torcedores rivais tomar naquele lugar, zoar semelhantes, etc.

Habilidade de expressão corporal

Emitem grunhidos, saltam, botam as duas mãos na cabeça com expressões faciais das mais variadas, dão murros no ar, pulam... etc. O mais interessante é a parte em que eles se contorcem com cara de intenso sofrimento, sem que haja, obviamente, dor alguma.

Capacidade de expressar emoções

Normalmente acompanhado da emissão de algum tipo de som, eles ora mostram aflição “UUUUUHHH!...”, ora dão gargalhadas esfuziantes acompanhadas de gritos de “GOOOOOLL” ou “EU JÁ SABIAAA!” e finalmente demonstram raiva ou choram, aos sons de “PUUUUTAQUEPARIU!!!”... etc.

Capacidade de expressar amor

Nessa hora não. No máximo, observações explícitas das bundas alheias.

Capacidade de expressar compaixão

Muito menos. Mas há controvérsias. Alguns estudiosos acham que sim, se “compaixão” tiver alguma relação com o formato e proporção da bunda alheia que estiver sendo observada.

Capacidade de socialização

Usam para ir em grupos, pequenos ou grandes, assistir a jogos. Seja na TV da sala de alguém, seja em um estádio. Também usam para zoar grupos alheios, telefonando, enviando emails, fazendo buzinaços nas ruas da sua cidade, etc.

Capacidade de comparar e associar

Estranhamente, essa capacidade fica reduzida a comparar-se, e aos demais (inclusive os rivais) a animais. Acredito que deve ser algum gene que os aproxima de suas origens na natureza livre. Assim, alguns passam a ser galos, peixes, raposas... e até mesmo gambás, urubus e porcos! (Já se ouviu o termo “veado” em algumas situações).

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Latrocínio


Metrópole. Noite. Trânsito. Esquina. Farol. Carros. Cruzamento. Sinal. Fila. Escuridão. Tensão. Motos. Duas. Capacetes. Quatro. Incognitude. Escolhem. Sondam. Seminovo! Encontram. Ricos! Param. Descem. Apontam. Esmurram. Gritam. Abre! Abre! Medo. Abrem. Perdeu! Entrega! Bolas. Pastas. Jóias. Dinheiro. Tudo! Rápido! Pânico. Urgência. Mãos. Movimento. Susto. Raiva. Reação. Tiros. Um. Dois. Três! Perdeu! Correm. Sobem. Partem! Gritos. Dor. Choro. Sangue. Desespero. Socorro. Ajuda. Gente. Desconhecidos. Medo. Sirenes. Buzinas. Partida. Fraqueza. Cansaço. Dormência. Frio. Frio..

Frio...

Frio........

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Relacionamentos 2

A morte do Chagas
O funcionário de uma agência funerária está examinando os corpos antes destes serem sepultados.
Examina um corpo, identificado como José Chagas, que está pronto para ser cremado, e descobre que o defunto tem o maior pênis que ele já viu na vida.
- Desculpe, Sr. Chagas - (falando consigo mesmo) - Mas não posso mandá-lo para o crematório com essa coisa enorme. Ela tem que ser conservada para a posteridade!
Com um bisturi, remove o pênis do morto, guarda-o num frasco e vai para casa.
A primeira pessoa a quem ele mostra a monstruosidade é sua mulher.
- Tenho algo inacreditável para te mostrar, querida. Vôcê nem vais acreditar!
Depois, abre o frasco e... ao ver o conteúdo, a sua mulher grita, estarrecida:
- Oh, céus! O Chagas morreu!

Oops...
No bar de sempre, o sujeito encontra o amigo cheio de hematomas, sentado em um canto.
— Kléber? O que aconteceu, cara?
— Putz, é que ontem eu apertei o peito da minha mulher e levei uma surra.
— O quê? — grita ele, assustado — Ela ficou louca? Quando eu aperto o peito da minha mulher ela fica excitada, me faz carinho, aí começa né...
— É... Mas aposto que não foi com a porta do carro...

Respeito com o velório
O sujeito estava no boteco tomando umas cachaças, jogando baralho com mais três amigos, quando vê um enterro passando pela rua.
Mais que depressa ele interrompe o jogo, levanta-se, vai até a porta, tira o chapéu e fica observando o cortejo, durante vários minutos, em silêncio, com semblante visivelmente entristecido.
Quando a comitiva termina de passar, ele recoloca o chapéu na cabeça e volta a sentar-se.
— Esse foi o gesto mais comovente que eu já vi em toda a minha vida! — comenta um dos amigos. — Acho que todos deviam seguir o seu exemplo.
— Bem, depois de quinze anos de casado, acho que era o mínimo que eu podia fazer!

Veneno, só com receita
A mulher chega na farmácia e fala:
— Eu quero o veneno mais forte que você tem aí!
— Mas minha senhora, eu não posso te vender veneno!
— Não quero saber... Eu quero o veneno e pronto!
— Mas pra que a senhora quer o veneno?
— Pra quê? Meu marido sai com todas as mulheres do bairro... É um safado, sem vergonha...
— Piorou minha, senhora! Não posso vender algo que vai tirar a vida de uma pessoa!...
A mulher abre a bolsa e tira uma foto do seu marido abraçadinho com a mulher do farmacêutico.
— Olha só... Meu marido e tua mulher agarradinhos! Tem certeza que não vai me vender mesmo?
— Ah bom! Por que a senhora não disse logo que tinha a receita?

Tática
O casal dormindo numa boa, alta madrugada quando, do nada, a mulher acorda o sujeito, com aquela cara de terror:
— Foge! Foge! — grita a mulher, desesperada — Deve ser o meu marido!
O cara nem pensa: dá um pulo da cama peladão, e rapidamente pula pela janela.
Depois de cair em cima de um arbusto, ele volta, muito irritado:
— Bandida! O seu marido sou eu!
— Ah, é? — pergunta ela, sarcástica — E você pulou pela janela por quê?

Falar a verdade é importante
O sujeito tinha quatro filhos, três bonitos, fortes e saudáveis e um, o mais novo, que se chamava Josias e era mirradinho, raquítico, todo estropiado.
Viveu a vida toda, desconfiando da mulher, mas nunca tivera coragem de tocar no assunto, porém, já em seu leito de morte, desabafa:
— Meu amor... Eu gostaria de saber se o Josias é realmente meu filho.
— Ah, querido...
— Por favor, não minta pra mim. Se não for, não tem problema... Eu te perdôo desde já. Eu só queria saber a verdade...
— Sim, querido. — responde a mulher. — Você é o pai de Josias sim, juro por tudo o que é mais sagrado...
— Puxa, que bom ouvir isso... — solta o seu último suspiro e morre.
E a esposa, aliviada:
— Ufa... ainda bem que ele não perguntou dos outros três!

sábado, 18 de abril de 2009

Jackson Lago, corrupção e capitania hereditária

Ninguém pode dizer que o Maranhão pertence aos Sarney - e ao mesmo tempo pode.

Não pode dizer porque, em primeiro lugar, os dois últimos mandatos foram eleitos democraticamente e assumidos por oposicionistas da família Sarney.

Mas também dá pra dizer que sim, o Maranhão PERTENCE aos Sarney porque, de fato, todo o funcionamento das instituições políticas e praticamente todos os mecanismos públicos daquele estado são infestados de gente que se dobra à vontade daquela família, contribuindo para a perpetuação do seu poderio e à manutenção de sua gigantesca influência.

Estabeleceu-se uma cultura no Maranhão que mostra que, quando um grupo alcança determinado patamar de poder e influência, ele consegue determinar os caminhos da própria população, abatendo a força e a vontade de qualquer possível nova liderança, e culminando em um senso comum ao estilo "ruim com eles, pior sem eles".

O último episódio, envolvendo o governador Jackson Lago mostra um exemplo clássico de como a coisa acontece no Maranhão e, não raro, em vários lugares do Brasil. E também, mostra a incompetência da oposição em muitos desses covis eleitorais.

Jackson Lago teve seu mandato cassado, à revelia da maioria da população que o apóia porque, sem que houvesse necessidade (visto que possuía maioria nas intenções de voto), apoiou-se no populismo, distribuição de vales-gasolina, cestas básicas e convênios duvidosos para angariar uma simpatia que.. pasmem... já possuía. Ou seja, seguindo a influência do seu predecessor José Reinaldo (que morria de medo de passar a faixa para a família Sarney), acabou se envolvendo nos movimentos mais simples de detectar e de incriminar numa eventual disputa jurídica. Colocou a corda no próprio pescoço. Desculpe dizer, mas foi ingenuidade e incompetência.

Afora esse detalhe, vale lembrar que assume o estado a mesma Roseana que caiu no episódio dos milhões do caso Lunus, e que foi forçada a renunciar à candidatura à presidência por causa daquele monumental escândalo, num flagrante preparado nos porões mais obscuros do PSDB (FHC e Serra) e que usou abundantemente a máquina pública (PF) para abater o que na época era uma forte concorrente ao cargo maior.

O caso do Jackson Lago não chega sequer aos pés do caso Lunus. A diferença é que Jackson já estava em exercício do mandato e caiu. Rosena era apenas candidata, e igualmente caiu.

Para se vencer os "donos" de um lugar, precisa-se de mais inteligência... e competência.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Internet, twitter e enguinorância

Não consigo entender muito bem a tendência dos seres humanos de se isolarem uns dos outros enquanto buscam justamente o oposto: aproximação. Taí a internet que não me deixa mentir.

Há uma nova moda da internet, mais uma daquelas que demoram para passar: o Twitter. A idéia é que qualquer pessoa que criou sua conta, comece a publicar mensagens curtinhas, que obrigatoriamente devem caber em 140 caracteres. Então os "twitteiros" começaram a publicar o que estão fazendo o dia todo, alguns minuto a minuto, inclusive. Coisas como "Preparando o jantar", "lendo uma revista" e até mesmo o clássico "dormindo" passam a ser de conhecimento público. Para qualquer um ler.

Isso parece meio paradoxal, porque se a pessoa escreve "Preparando o jantar", ela na verdade não está. Está postando mensagens no twitter, o jantar é só depois. O que vem em seguida? "Estou descascando a batata"... dois minutos depois vem "Batata descascada: vou ferver a água"... Mas isso não é o pior. O pior é saber que ninguém, em seu perfeito estado de sã consciência, vai dedicar algumas horas para ler a sequência de ações de seus amigos no Twitter, porque o pressuposto é que todo mundo tem uma vida e, inserida nela, muito mais o que fazer.

Isso parece meio irracional para mim. Mas ser irracional é da natureza do ser humano né, fazer o que. Veja esse blog por exemplo. Quer algo mais irracional do que isso? E eu nem tenho desculpa alguma para me defender agora. Soa como mesquinharia. "Eu posso, mas os outros não". Mas embora eu não saiba explicar o porquê, o danado do microblog twitter continua me incomodando apesar da minha própria irracionalidade. Deve ser porque, em um blog como este, a pessoa dedica 15 minutos, escreve o que tem para escrever, e tchau. No twitter não: a pessoa fica presa, digitando pequenas frases ao longo do seu dia, cosntruindo a história do seu dia com uma sequência um mínimo lógica de fatos, e acreditando piamente que alguém está dando a mínima para o que lhe acontece. Ou então meu problema é idade mesmo.

Acho que qualquer um que consegue se viciar em uma coisa ridícula como o Twitter, daria um ótimo estudo de caso para neurologistas.

terça-feira, 24 de março de 2009

Ausência

Por que os casais brigam?

Minha esposa sentou-se no sofá junto a mim enquanto eu passava pelos canais.
Ela perguntou, "O que tem na TV? "
Eu disse, "Poeira. "
E a briga começou....

...

Minha esposa estava dando dicas sobre o que ela queria para seu aniversário que estava próximo.
Ela disse, "Quero algo brilhante que vá de 0 a 200 em cerca de 3 segundos. "
Eu comprei uma balança para ela.
E então a briga começou...

...

Quando cheguei em casa ontem a noite, minha esposa exigiu que a levasse a algum lugar caro.
Então eu a levei ao posto de gasolina.
E então a briga começou...

...

Minha esposa e eu estavamos sentados numa mesa na minha reunião de colegial, e eu fiquei olhando para uma moça bêbada que balançava seu drinque enquanto estava sozinha numa mesa próxima. Minha esposa perguntou, "Você a conhece ?"
"Sim," disse eu, "Ela é minha antiga namorada...Eu sei que ela começou a beber logo depois que nos separamos há tantos anos, e pelo que sei ela nunca mais ficou sóbria."
"Meu Deus!", disse minha esposa, "quem pensaria que uma pessoa poderia ficar celebrando por tanto tempo?"
E então a briga começou...

...

Depois de aposentar-me, fui até o INSS para poder receber meu benefício. A mulher que me atendeu solicitou minha identidade para verificar minha idade.
Chequei meus bolsos e percebi que a tinha deixado em casa. Disse a mulher que lamentava, mas teria que ir até minha casa e voltar depois.
A mulher disse, "Desabotoe sua camisa."
Então, desabotoei minha camisa deixando exposto meus cabelos crespos prateados. Ela disse, "Este cabelo prateado no seu peito é prova suficiente para mim," e processou meu benefício.
Quando cheguei em casa, contei entusiasmado o que ocorrera para minha esposa.
Ela disse, "Por que você não abaixou as calças? Você poderia ter conseguido auxilio-invalidez também..."
E então a briga começou...

...

A mulher esta nua, olhando no espelho do quarto de dormir. Ela não está feliz com o que vê e diz para o marido, "Sinto-me horrível; pareço velha, gorda e feia. Eu realmente preciso de um elogio seu. "
O marido retruca, "Sua visão está perto da perfeição. "
E então a briga começou...

...

Eu levei minha esposa ao restaurante. O garçom, por algum motivo, anotou meu pedido primeiro. "Eu vou querer churrasco, mal-passado, por favor."
Ele disse, "Você não está preocupado com a vaca louca ?"
"Não, ela mesma pode fazer seu pedido."
E então a briga começou...

sábado, 21 de março de 2009

Bobeira coletiva

Sou só eu que percebi mas para todo lado que se olha hoje em dia, encontram-se fotos de garotos e garotas com máquina digital na mão, fazendo uma pose pin-up, tiradas contra o... espelho?!... As modas vêm e vão na internet, mas algumas demoram mais para passar (como o maldito internetiquês)... Siga os passos abaixo para entrar nessa onda:

1-Escolha um lugar sexy
A experiência de fotógrafos internacionais (por exemplo os da Playboy, Sexy e Globo Rural) mostra que não há lugar com mais apelo do que o banheiro. Melhor que natureza, quartos ou salas bem decorados, ou ambientes requintados. O velho e bom banheiro desperta a libido mais do que qualquer outro na face da terra. E.. bem... tem espelho.

2 - Fique na frente do espelho
Cuidado com o cenário aqui: ninguém vai querer ver objetos estranhos como brinquedos sexuais, roupa suja caindo do cesto, vaso sanitário recheado com seres alienígenas, ou papel higiênico usado no reflexo. Isso vale também para coadjuvantes sentados no vaso sanitário.

3 - Prepare um visual sexy
Assim como a atitude, a roupa também é importante. Procure algo que não esteja rasgado, que tenha menos de 20 anos de uso, que esteja limpo de preferência, e que tenha um visual diferenciado. Isso deixa de fora aquela bermuda do teu irmão, aquele maiô da tua mãe, e, para os rapazes aquela cueca descosturada e com o elástico solto. Pendurar celulares e deixar notas de dinheiro a mostra também são alternativas.

4 - Faça uma pôse sexy
Aqui cabe interpretação. O que parece sexy para você? Colocar uma perna encima do vaso sanitário? Debruçar-se encima do cesto de roupas sujas? Ficar de costas, fazendo contorcionismo para que a bunda e o rosto apareçam na mesma foto? Livre expressão, baby. Aqui podem ser considerados também aquele olhar meio de lado, talvez a boca entreaberta mostrando a língua virada de lado (provando que a língua, como qualquer ser humano, também tem epilepsia). Vale também fazer bico, para tentar fazer sua boca ficar parecida com a da Angelina Jolie, que já é deformada por natureza.

4 - Cuide do ângulo de câmera
A posição da imagem também é importante, há quem goste de otimizar a imagem: o máximo de exposição no mínimo de espaço, de modo que o ângulo da foto reúna seios, pernas, bunda e rosto no mínimo espaço possível. Use a criatividade. Pense no corcunda de notredame e capriche na foto.

O resultado é altamente sensual como na foto abaixo, tirada num crube: