sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Quer saber mais sobre a historinha de Daniel? Eu conto!

Acompanhe.

Cenário: Babilônia. Situação: Toda a população de Israel foi transportada para o Iraque, como cativos (escravos), depois que seu território foi invadido pelo poderoso império do rei Nabucodonosor. Período: cerca de 1.000 anos antes de Cristo. Portanto coisa de 3.000 anos atrás. Protagonista dessa história: Daniel, um judeu extremamente inteligente e sábio, e com uma profunda intimidade com Deus.

...

A vida seguia tranquila em Babilônia, o povo adaptado ao trabalho pesado que os babilônicos não queriam fazer e tals... Estava Daniel bem tranquilo um dia - ele era servidor do rei como conselheiro - quando de repente chegou um emissário do rei com a espada na mão avisando: hoje vai morrer todo mundo aqui!! Daniel se antecipou e como era amigo do chefe, foi logo perguntando:

- Morrer por quê? O que é que está havendo?

O chefe dos eunucos então explicou que o rei acordou de mau humor porque tinha tido um sonho perturbador. E chamou os sábios e mágicos do reino para interpretar o sonho, mas eles não conseguiram. Revoltado, o rei mandou eliminar a todos.

- Me conta o sonho que eu interpreto. - Disse Daniel.
- Aí é que tá, Daniel. O rei não contou o sonho. Disse que se o sábio for realmente sábio, terá que dizer não só a interpretação, como o próprio sonho! Afinal ele não quer enrolação.

Daniel se recolheu e mais uma vez fez suas orações, e Deus lhe revelou tudo. Sonho e interpretação. No dia seguinte, marcaram uma audiência com o rei e lá foi Daniel. Na audiência, Daniel conta ao rei tanto o sonho, como sua interpretação.

O sonho era sobre uma estátua:

"Tu, ó rei, na visão olhaste e eis uma grande estátua. Esta estátua, imensa e de excelente esplendor, estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível.
A cabeça dessa estátua era de ouro fino; o peito e os braços de prata; o ventre e as coxas de bronze;
as pernas de ferro; e os pés em parte de ferro e em parte de barro.
Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mãos, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou.
Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se podia achar nenhum vestígio deles; a pedra, porém, que feriu a estátua se tornou uma grande montanha, e encheu toda a terra."

Daniel 2:31-35

Em seguida, Daniel contou para o rei que aquela estátua era, trocando em miúdos, o símbolo da desintegração futura do seu próprio império. a cabeça era o próprio reinado de Nabucodonosor. Os demais membros, seus sucessores. E, de sucessor em sucessor, o império seria cada vez mais frágil, até a desintegração total, nas mãos de um novo reinado (simbolizado pela pedra que foi cortada).

O rei ficou muito grato a Daniel, tanto que o cobriu de honrarias e de-lhe um cargo altíssimo no reino. Enfim. É isso. A história é muito bela. Se quiser conhecê-la, ela ocupa todo o capítulo 2 do livro de Daniel: qualquer Bíblia, seja católica, ou evangélica, mostra.

Nenhum comentário: