sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Passa tempo

Vôa contra mim o vento, bato contra o vento o rosto
É preciso prosseguir, eu sinto
prosseguir é algo qu'eu preciso...

Em minha face rude chora toda uma história tola
É difícil admitir, mas penso
Que o mais certo a fazer é isso...

Passam abaixo dos meus pés caminhos
Que eu não mais pisarei por certo
Pelo menos com esses pés, eu vejo
Que o destino não me quer por perto...

Vôam contra mim as luzes, linda e livre segue a alma
Lá no fim eu sei - sabemos
chegaremos ao final destino...

E não mais será possível, ele se esquivar de nós...

Nenhum comentário: