sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Os poetas

Os poetas cantam suas vãs sonatas
Para reviver as esperanças mortas
Cultivar o belo entre linhas rotas
Encantar a vida em suas faces ingratas

Os poetas vivem de trazer à vida
Cheiros de alegria e paixões inatas
Lágrimas de amor em cores abstratas
Alguma beleza à pedra embrutecida

Resgatando amores em palavras perdidas
Perseguindo sonhos ora tão distantes
Como diamantes aos quais dilapida

Em canções ora alegres, ora doridas
Sequestrando almas, consciências, mentes
Pr'a voar contentes em asas coloridas

Um comentário:

Daya disse...

bem disse Cecília Meireles:
"Não sou alegre nem sou triste: sou poeta"


=D