sábado, 26 de abril de 2008

Revolta e versos

O mundo me vê: um homem... e me mede!... O mundo vê a este mesmo homem usando uma barba e a medida já é outra. O mesmo homem com uma camiseta do Greenpeace? O mesmo homem de terno e gravata? O mesmo homem de cabelos compridos? O mesmo homem idoso? Para cada maneira que um homem se exibir haverá uma nova maneira de medi-lo e enquadrá-lo... tudo muda! Não entendo, é um problema sem solução, impossível fazer-se reconhecer por suas idéias e por quem você é... sem que para isso seja necessário muito tempo e uma platéia atenta!!

É o que se vê, e o que se tem
É o que se espera desse mundo
Que dá tanta honra o vagabundo
Que não sobre nada a mais ninguém

O mundo é uma coisa complicada, até gostamos do estado de coisas porque a ordem deve ajudar a gente a não enlouquecer... eu preciso da ordem e da rotina para minha própria sobrevivência. Eu acho que deve ser insuportável para o ser humano viver sem uma rotina mesmo que mínima...

Eu quero a luz do sol em seu explendor
E quero pássaros cantando, alegria e beleza
E quero toda a aquarela de toda a natureza
Quero a rotina de canção, de fé, paz e amor

Eu sou um insatisfeito! O que eu queria até ontem não é mais o que me satisfaz.. eu quero mais... Você quer mais.E depois que vc alcançar esse mais, você e eu iremos querer ainda mais...e mais... e mais... e se possível, urgente!!! No amor não é diferente... Pai!! Preciso da paz...

Te dei minha via abundante
Estendi os braços, me lancei
Todas as tolices aprontei
E te amei demais, nao foi o bastante

Nenhum comentário: