segunda-feira, 28 de abril de 2008

A perda

Entre um passo, outro passo e outro passo
Sigo andando como a vida manda, eu sigo
Sem me importar mais com qualquer perigo
Nem me importa se em vida eu me desfaço

Como era perfeito meu regaço!
Onde oferecia eu abrigo
Triste foi morrer à mão do amigo
É um túmulo escuro e frio como aço

Foi assim que por querer eu esqueci
Daquele negro dia em que morri
Em que me tiraram tal pedaço

Nesse instante vazio de tempo e espaço
Entre um passo, outro passo e outro passo
Tento não lembrar do tanto que perdi

sábado, 26 de abril de 2008

Revolta e versos

O mundo me vê: um homem... e me mede!... O mundo vê a este mesmo homem usando uma barba e a medida já é outra. O mesmo homem com uma camiseta do Greenpeace? O mesmo homem de terno e gravata? O mesmo homem de cabelos compridos? O mesmo homem idoso? Para cada maneira que um homem se exibir haverá uma nova maneira de medi-lo e enquadrá-lo... tudo muda! Não entendo, é um problema sem solução, impossível fazer-se reconhecer por suas idéias e por quem você é... sem que para isso seja necessário muito tempo e uma platéia atenta!!

É o que se vê, e o que se tem
É o que se espera desse mundo
Que dá tanta honra o vagabundo
Que não sobre nada a mais ninguém

O mundo é uma coisa complicada, até gostamos do estado de coisas porque a ordem deve ajudar a gente a não enlouquecer... eu preciso da ordem e da rotina para minha própria sobrevivência. Eu acho que deve ser insuportável para o ser humano viver sem uma rotina mesmo que mínima...

Eu quero a luz do sol em seu explendor
E quero pássaros cantando, alegria e beleza
E quero toda a aquarela de toda a natureza
Quero a rotina de canção, de fé, paz e amor

Eu sou um insatisfeito! O que eu queria até ontem não é mais o que me satisfaz.. eu quero mais... Você quer mais.E depois que vc alcançar esse mais, você e eu iremos querer ainda mais...e mais... e mais... e se possível, urgente!!! No amor não é diferente... Pai!! Preciso da paz...

Te dei minha via abundante
Estendi os braços, me lancei
Todas as tolices aprontei
E te amei demais, nao foi o bastante

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Leia isso! - American Idol's Britânico

Mais uma audiência, mais candidatos, mais gente chata e cantores de chuveiro numa seletiva em algum lugar na Inglaterra.. mais um programa American Idol's em algum lugar do mundo.

As pessoas em suas fileiras acompanhando a seletiva, todos prontos para torcer por algum talento ou outro, rir das performances estranhas ou memso dar muitas gargalhadas dos mais patetas...

... QUANDO DE REPENTE...

... entra um sujeitinho gordinho, um vendedor balconista, feio, com os dentes tortos, vesguinho e extremamente tímido. Parecia mais uma vítima perfeita para um público implacável e sedento de diversão.

Mas o inacreditável aconteceu. Veja você mesmo. E não fique constrangido se chorar. Eu chorei.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Idiocracia

Assisti ao filme que eu presumo se se chame "Idiocracia" em português, pois se chama "Idiocracy" no original em inglês.

Esse filme é uma comédia bizarra sobre um mundo futurista onde a humanidade, em vez de progredir, regrediu intelectualmente. E olha, sinceramente faz a gente pensar.

Sempre houve um caminho muito largo, atraente e cheio de opções para quem quer deixar o cérebro estacionado nos primeiros estágios da adolescência. O desenvolvimento do senso crítico, da capacidade de raciocínio, da maturidade intelectual e da sabedoria, entretanto é um caminho bastante estreito e espinhoso.

Porque quase tudo que é fútil, imprestável e inútil, normalmente é divertido e abundante. E o que é útil, aprazível e edificante, normalmente é chato e difícil de alcançar ou obter. E assim como a mentira normalmente é a maneira mais fácil de resolver as coisas (e às vezes até agradável para quem quer enganar e ser enganado) do que a verdade, que dói e machuca, mas transforma.

A questão é que as pessoas deviam se divertir sim - porque lazer é importante - mas também pensar mais, estudar mais, ler mais. Há quem o faça, mas a maioria tem preguiça de ler um livro. Nunca leu um clássico sequer, não sabe quem é Machado de Assis, Érico Veríssimo ou Carlos Drumont de Andrade. Não que eu esteja criticando de maneira vazia... é que eu me sinto um pouco frustrado em ver nosso País sem muita perspectiva, sem uma educação eficiente, sem o surgimento de cientistas e pesquisadores capazes, praticamente sem homens e mulheres de renome.

Nos países mais desenvolvidos, independente do continente em que estejam, se assiste ao fenômeno social da imigração, onde multidões do "terceiro mundo" fazem as estatísticas populacionais transbordarem pelo ladrão. E os nativos? São os descendentes das gerações que construíram seus países e os inseriram no mapa das nações ricas e desenvolvidas MAS... estão envelhecendo sem filhos, ou quase.

Assim se verá em breve uma nação como a França tendo mais africanos, latinos e asiáticos do que franceses propriamente ditos. E o fenômeno se repete na Espanha, no Japão, na Coréia do Sul, na Alemanha, na Inglaterra...

O que será que vai acontecer com nosso mundinho em 20 ou 30 anos? Quero estar vivo e saudável para ver!

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Pseudo-democracia

Notícias aparentemente superficiais como esta (clique aqui) se revelam de uma profundidade assutadora. Na notícia o clérigo Moqtada Al-Sadr se dispõe a desfazer seu imenso exército miliciano SE essa for a vontade dos demais clérigos xiitas.

Isso me faz pensar sobre a essência da democracia. Segundo a teoria a democracia é o poder do povo, sendo exercido pelo povo, e em benefício do povo. Perfeito!

Eu entendo que a democracia é a expressão coletiva de uma postura individual. Cada cidadão tem que ser um democrata, para que um País possa ser chamado de democrático. E para ser um democrata toda pessoa precisa ter em sua essência algumas coisas importantes:

- Senso crítico para avaliar o melhor caminho, a melhos escolha, e se proteger de enganadores;
- Grandeza de caráter para conquistar vitórias com humildade e respeito a opositores;
- Maturidade e paciência para reconhecer a derrota e oferecer oposição sem promover destruição;
- Amor pelo bem comum, consciência de que este é de todos, inclusive dos que hão de vir.

A notícia acima coloca bem à mostra como a humanidade atual administra suas "democracias".

O clérigo muçulmano xiita (e ser um, por si só já eleva um homem à qualidade de um semi-deus, ainda que os muçulmanos não o admitam) possui uma influência imensurável sobre seus seguidores, até porque estamos falando de um regime cujo questionamento em certas localidades beira ao suicídio. Um povo que vota na pessoa que o líder indicar.

Portanto uma democracia só funciona quando as pessoas são livres para pensar e escolher. Mas as pessoas gostam de ser manipuladas, elas praticamente imploram que um líder escolha por elas. E dependendo da influência desse líder, raramente este terá suas orientações questionadas!...

É muito tentador à pessoa que lidera um grupo, manipular a opinião dos seus liderados. Por isso é que assusta ver um ou outro líder berrando coisas contra americanos (e nao estou dizendo que ele não sejam democráticos), ou um governo como o americano enfiando seu poderio imperial goela abaixo de um povo paupérrimo e miserável como o do Iraque (logo ele que se diz democrático).

E no Brasil?

No Brasil então, a democracia é um paradoxo! Ao mesmo tempo em que se têm instituições claramente definidas e conceitualmente fortes, elas estão repletas de gente incompetente, manipulada e interesseira.. saindo pelo ladrão!... As grandes decisões ficam na mão de um único homem, que por sua vez não tem como supervisionar sequer o trabalho de seus ministros mais próximos. Que por sua vez não têm como supervisionar, fiscalizar e nem cobrar o trabalho da hierarquia abaixo de si. Que por sua vez nada no dinheiro público - grande troféu da democraria brasileira.

Veja o exemplo do congresso e do senado. A maioria dos deputados federais que o povo elege atualmente não é capaz de exercer sequer um bom nível de senso crítico, vários não possuem diploma superior, muitos estão envolvidos em esquemas subversivos, inclusive assassinatos, estelionatos e roubo... Esses são os homens que, ao chegar ao congresso "completam a bancada", ou seja, formam o número para os movimentos que, via de regra, são gerenciados sempre pelos mesmos 20 ou 30 políticos altamente tarimbados e conhecedores do jogo.

Aí, nós chamamos nosso País de democrata. Será? Só porque votamos e elegemos nosso presidente? Será que o presidente é o verdadeiro dono do poder nesse País? Será que um presidente governa do povo, pelo povo e para o povo?

A democracia é um conceito utópico, porque requer a plena consciência de cada cidadão sobre sua importância para o próximo, através das gerações. E nem eu nem o próximo sabemos nos comportar democraticamente.

---

Isos me lembra o casamento de um amigo meu. A mulher manda e ele obedece.

Superdemocrático isso.