quarta-feira, 19 de março de 2008

Soneto arredio

Você é a musa sacra em meu cordel vadio
Você é a fonte exata do meu ai tardio
Você é a canção mais bela que eu prestigio
Você é a prova mais dura do meu desafio

Você é a voz a gritar que eu não silencio
Você é a verdade aberta que eu confidencio
Você é a beleza inata que eu mais aprecio
Você é o desejo intenso que eu repudio

Você é o amor profundo que eu acaricio
Você é a força maior com que me digladio
Você é o sonho real que eu não vivencio

Você é a paixão brutal em meu peito bravio
Você é a luz do astro rei a me cortar o frio
Você foi a flecha certeira em meu peito vazio

Ha ha ha ha ha ha ha ha!!....

Ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha!!!

Ainda em entrevista à revista Quem, Bial disse que o BBB 8 é sua edição preferida e comparou o reality show ao escritor Guimarães Rosa. "Acho que tudo é cultura. Big Bhother é tão cultura quanto Guimarães Rosa".

Ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ai.. aaaaaaai... ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha - (pausa para respirar) - Ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ai... pára Bial... essa foi ótima!... Ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha!!!!! ai.. aaaai... ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha ha!!

segunda-feira, 17 de março de 2008

Lua e sol

Lua
Branca como a paz do filho
Filho como a luz do dia
Dia como a luz do sol

Sol
Belo como a flor da terra
Terra como a chuva fria
Fria como a luz da lua

Lua que adora o sol
Sol que não se esconde à lua
Símbolos de amor eterno
Ícones de alma nua

Longe, mesmo assim presente
Como uma canção de rua
Como uma paixão ausente
uma história minha e tua...

sexta-feira, 14 de março de 2008

Homens e Mulheres

APELIDOS:
- Se Adriana, Silvana, Débora e Luciana vão almoçar juntas, elas chamarão umas às outras de Dri, Sil, Dé e Lu.
- Se Leandro, Carlos, Roberto e João saem juntos, eles afetuosamente, se referirão uns aos outros como Gordo, Cabeção, Rato e Negão.

COMENDO FORA:
- Quando a conta chega, Paulo, Carlos, Roberto e João jogam na mesa R$ 20,00 cada um, mesmo sendo a conta apenas R$ 32,50. Nenhum deles terá trocado e nenhum vai ao menos admitir que quer troco - logo o troco será convertido em saideiras.
- Quando as garotas recebem sua conta, aparecem as calculadoras de bolso e todas procuram pelas moedinhas exatas dentro da bolsa.

FILMES:
- A idéia que uma mulher faz de um bom filme é aquele em que uma só pessoa morre bem devagarzinho, de preferência por amor.
- Um homem considera um bom filme aquele em que muita gente morre bem depressa, se possível com balas de metralhadora ou em grandes explosões.

DINHEIRO:
- Um homem pagará R$ 2,00 por um item que vale R$ 1,00, mas que ele precisa.
- Uma mulher pagará R$ 1,00 por um item que vale R$ 2,00, mas que ela não precisa.

BANHEIROS:
- Um homem tem seis itens em seu banheiro: escova de dentes, pente, espuma de barbear, barbeador, sabonete e uma toalha de hotel.
- A quantidade média de itens em um banheiro feminino é de 756. E um homem não consegue identificar a maioria deles.

DISCUSSÕES:
- Uma mulher tem a última palavra em qualquer discussão.
- Por definição, qualquer coisa que um homem disser depois disso, já é o começo de uma outra discussão.

FUTURO:
- Uma mulher se preocupa com o futuro até conseguir um marido.
- Um homem nunca se preocupa com o futuro até que consiga uma esposa.

MUDANÇAS:
- Uma mulher se casa com um homem esperando que ele mude, mas ele não muda.
- Um homem se casa com uma mulher esperando que ela não mude, mas ela muda.

DIVIDINDO:
- Uma mulher dividirá seus pensamentos e sentimentos mais profundos com um completo estranho que lhe dê atenção.
- Um homem só dividirá seus pensamentos e sentimentos mais profundos quando questionado por um advogado artimanhoso, sob juramento, e mesmo assim, apenas quando isso puder diminuir a sua pena.

AMIZADE:
- A mulher encontra com outra na rua: 'Nossa como você tá linda!!!' Quando viram as costas vêm o comentário : 'Nossa como ela tá gorda!'
- Um homem encontra com outro na rua: 'Fala seu gordo-careca-bichona!!!' Quando viram as costas vem o comentário: 'Pô, esse cara é gente fina!'

Dálmata

Mais um desenho da série de desenhos de cães. Dessa vez é um Dálmata.
Clique na figura e veja em melhor resolução.


Antes que me pergunte: Sim, fui eu que fiz. ;-)
Não viu as outras? Clique aqui e veja o Yorkshire e o Boxer!

quinta-feira, 13 de março de 2008

Against all Odds - Phill Collins

Against all odds - Phil Collins







How can I just let you walk away,

Just let you leave without a trace?

When I'm standing taking every breath,
with you, ooohhh.

You're the only one who really knew me at all.



How can you just walk away from me,

When all I can do is watch you leave?

Cause we shared the laughter and the pain,

and even shared the tears.

You're the only one who really knew me at all.



So take a look at me now,

There's just an empty space,

There's nothing left here to remind me,

Just the memory of your face.

So take a look at me now,

Coz there's just an empty space.

And you're coming back to me it's against the odds,

and that's what I've got to face.



I wish I could just make you turn around,

Turn around and see me cry.

There's so much I need to say to you,

so many reasons why.

You're the only one who really knew me at all.



So take a look at me now,

well, there's just an empty space.

There's nothing left here to remind me,

just the memory of your face,

so take a look at me now.

So there's just an empty space,

But to wait for you is all I can do,

and that's what I've got to face.



Take a good look at me now,

cause I'll still be standing here.

And you coming back to me is against all odds,

and that's a chance I've got to take.

Chance I've got to take.

Got to take.



Take a look at me now, ooh.

Take a look at me now.

Take a look at me now.


Como eu posso apenas deixar você ir

Apenas te deixar partir sem um vestígio

Quando estou aqui respirando com você

ooohhh.

Você é o único que realmente me conheceu por inteiro


Como você pode apenas se afastar de mim

Quando tudo o que eu posso fazer é olhar você partir ?

Porque nós dividimos os risos e a dor

E até mesmo dividimos as lágrimas

Você é o único que realmente me conheceu por inteiro



Então olhe para mim agora

Porque há apenas um espaço vazio

E não sobrou nada aqui que me faça lembrar

Apenas a memória do seu rosto

Olhe para mim agora

Oh há apenas um espaço vazio

E você voltar para mim é contra todas as probabilidades

E é isso que eu tive que encarar



Eu queria apenas poder fazer você se virar

Se virar e me ver chorar

Há muito para dizer a você

Muitas razões por que

Você é o único que realmente me conheceu por inteiro



Então olhe para mim agora

Oh há apenas um espaço vazio

E não sobrou nada aqui que me faça lembrar

Apenas a memória do seu rosto

Olhe para mim agora

Oh há apenas um espaço vazio

Mas esperar por você é tudo o que eu posso fazer

E é isso o que tive que encarar



Olhe bem para mim agora

Porque eu ainda estarei aqui

E você voltar para mim é contra todas as probabilidades

Esta é a chance que tive para me agarrar


Olhe para mim agora, ooh.

Olhe para mim agora

Olhe para mim agora

terça-feira, 4 de março de 2008




Hoje eu acordei meio fora deste mundo. Andei desajeitado pelas ruas, tentando enxergar nos olhos de outras pessoas resquícios de uma realidade qualquer, que dê sentido à minha.

Há dias em que tudo parece não fazer muito sentido, e que tudo o que existe faz parte de uma grande piada, ou cena teatral, onde somos todos coadjuvantes de um algo muito maior, e que está acontecendo à margem da ficção em que vivemos.

Pessoas apressadas correm atrás de seus pseudo-compromissos na tentativa de ganhar aquele pedaço de papel que irá garantir o consumo de coisas fundamentais para que continuem vivendo, como pão, frutas, água e qualquer coisa mais. Para si e para os que dependem de si.

Passam umas pelas outras sem se dar conta da grande piada que se tornou o sistema de vida em que estamos submetidos. Bom... mas pelo menos há alguma ordem, e as pessoas parecem compreender que a ordem é algo necessário.

Por alguns minutos eu paro, bem no meio da rua. Me sinto um pouco estranho, como se estivesse sendo retirado para fora da coisa toda. Como se estivesse fazendo um vôo panorâmico sobre uma cidade, ou vendo o globo terrestre a partir do Google Earth - que cômico... até as metáforas que usamos são condicionadas.

Então de repente começo a sentir saudade.

Olhando para as coisas e para a gente que corre apressadamente pela rua, o tempo parece ter dado uma pausa para mim. Meus olhos se desviam da crua e absurda realidade... e me leva a crer que está me faltando algo muito importante... como um relógio perfeito ao qual falta uma engrenagenzinha mínima mas fundamental.

Como a unidade de um computador que, embora seja grande, toda ela depende de uma pecinha muito pequena que, na verdade, dá vida a tudo.

E percebo que toda a realidade, toda ela está construída num único alicerce que, em faltando, faz tudo perder o sentido, como se fosse o moinho rodando e rodando, mas sem a cana para esmagar.

Como a usina sem água para a mover.

Como o catavento sem o vento para o girar.

Como o prato sem o alimento para o completar.

Como a igreja vazia, sem gente para orar.

...

Esse algo que me falta, me esvazia os dias e as forças. Falta-me a grande fonte de águas límpidas e cristalinas que, jorrando, dá vida a tudo o mais ao redor.

Falta-me aquele grande amor.