segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Che guevara

Hoje se cumprem 40 anos da morte de Che Guevara. O ícone pop revolucionário, que popula o imaginário político de esquerda, dando aquele arzinho romântico, de que os povos sejam livres do jugo do totalitarismo, do poderio dos impérios... blá blá blá...

Che Guevara não foi, nem de longe, isso que se apregoa. Era um homem da guerrilha, um golpista, tão ruim, ou ainda pior que o líder do governo que ele ajudou a derrubar... Deixassem o assassino frio que existia dentro do Che Guevara reinar frouxo e vocês iam ver o lado mala do famoso ícone pop revolucionário. O Fidel taí para não deixar eu mentir.

Um homem com uma arma na mão deixa de ser o mesmo homem. E se Che Guevara tinha la ternura, essa o abandonou no dia em que ele se tornou um guerrilheiro. De arma na mão.

Me desculpe se quem lê não gostou de eu ter falado do Fidel Castro, mas veja a fortuna pessoal desse líder "revolucionário". Veja a miséria que Cuba vive por conta da teimosia desse homem... Como enaltecer pessoas como Che e Fidel?! Não me entra na cabeça.... Mas de um país que endeusa um cara igual o Cazuza... esperar o quê?!

Pode-se dizer que Che Guevara - mesmo sendo o que era - inspira o ideário popular porque foi um homem capaz de se prender a seus ideais e ir com eles até o limite da vida - no caso, a morte. Mas se o princípio for esse, teríamos que falar também de Stálin, de Hitler, de Mussolini, etc...

Olha, bem que eu queria que houvesse uma revolução de social, que equiparasse as classes e fizesse os que andam a pé e os que andam de Ferrari terem direitos iguais. DIREITOS e DEVERES iguais. Por exemplo, trabalho.

Mas aos preguiçosos, aos incompetentes, aos malandros, aos que enriquecem à custa alheia, aos mafiosos, enfim, nada. E aos que não querem nada com nada, bastante NADA.

É... porque tem muito malandro pedindo esmola no sinal ganhando mais do que muitos que andam ralando de ônibus em ônibus, de sol a sol, aí... pra defender o mínimo. Assim como tem muito sujeito elegante e bonitinho, andando de 4x4, que conseguiu subir na vida na base da malandragem, da "parceria", do "negócio por baixo dos pano".

E também, deixando a acidez de meus comentários de lado... vamos parar no popular exemplo da cigarra e da formiga, que já tá bom.

Ao meu ver a igualdade, neste mundo, é impossível... porque é impossível que as pessoas tenham sempre a mesmo a boa vontade umas com as outras, que uma trabalhe igual a outra, que uma pense igual a outra. Também porque é impossível que as pessoas não se apaixonem, não se irritem, não tenham inveja, ciúmes. E finalmente porque é impossível impedir que as pessoas morram.

Ah, e voltando ao nobre assassino popularíssimo, digníssimo senhor Che Guevara, leia mais sobre o rapaz... procura saber o histórico "polido" dele. Há de ser que os que o defendem tentem justificar que o massacre seja um caminho válido para libertar os povos do mundo da tirania imperialista. Eu acho que não.

Nenhum comentário: