quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Ventos

Que esperas tu? Um amor insano?
Que esperas ver? Um senhor galante?
que desejas tu? Um nobre amante?
Que desejas ter? Um amor cigano?

O insano amor se me fez triste dano
O galante homem se me fez pequeno
O amante nobre se me fez veneno
O amor mais louco se me fez engano...

Desejamos tudo, nada conquistamos
Sombras e vapores, ventos e orvalhos
nos premiam dores que conosco temos

Mas a dor aguda que mais lamentamos
Não é a que temos por não ter vivido
Mas foi a do dia em que nos perdemos...

Nenhum comentário: