sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Sangra a mim

Se sangra meu peito, meu choro, agudo
contido e sereno repousa meu canto
se em contos e versos revelo meu pranto
a culpa é tua, meu anjo, meu tudo

Se choro segredos, e em versos desnudo
O puro e intenso calor do meu manto
Se rasgo alma minha ao meu desencanto
a culpa é tua, minh'alma, meu mundo

Me quebro, me esqueço, me largo, abandono
me solto, me deixo, me entrego ao sono
me lavo das águas em que me atiraste

Não sei mais do senso das coisas corretas
só sei das palavras que expressam os poetas
das mesmas palavras que me vomitaste

Nenhum comentário: