sexta-feira, 24 de agosto de 2007

O gigante

Não espere o tempo a pagar para ver
Nem por esperar enquanto age o vento
Se levantará o nobre com o argumento
Que suas ações se façam entender

Seu corcel impávido a levantar olhares
Cruzará os céus e se fará notado
Com poder e força, o rosto flamado
A buscar a única entre as milhares

Moverá os céus, pilares, firmamentos
Andará os passos de seus sentimentos
E em suas mãos, por sinal, a flor

Estremeçam povos, curvem-se a gente
O herói lhe busca o que a si pertence
Única em milhares, o seu grande amor.

Nenhum comentário: