segunda-feira, 19 de março de 2007

Eu quis

Eu quis cantar uma canção tão bela
Que se calassem os ignorantes
Que iluminasse os pés itinerantes
Que desse vida às cores da aquarela

Quis entoar a palavra que sela
Dentro dos peitos o calor da ira
Que libertasse o amor que delira
Pela beleza das coisas singelas

Eu quis fazer das minhas mãos, pintura
Entrecortada de amor e doçura
Que desse luz e rosto ao "ser feliz"

O que eu quis, enfim, não é loucura?
Não é do mundo aquela face dura?
Não era meu o desistir... eu quis.

Nenhum comentário: