sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

A propósito

Comentando o post abaixo, a propósito da morte da líder Benazir Bhutto, gostaria de dizer que, assim como no Brasil, no mundo inteiro a população tem, em última análise, CULPA sobre muitas coisas que acontecem no cotidiano.

Senão, vejamos: a mesma população que condena uma tentado horroroso como este, que amava Benazir como uma líder promissora e influente, que tinha esperança em um novo Paquistão livre de autoritarismo e intolerância e rumo ao progresso, é a mesma população que tolera o fundamentalismo religioso, canal de toda intolerância, abuso e absurdo.

Como não considerar como COVARDES aqueles que impõem sua vontade pela força? E como não considerar como CORAJOSOS aqueles que lutam por um ideal, ainda que de forma pacífica?

Até para evoluir é preciso ter coragem.

Benazir Bhutto


Dia 26/12/2007: morre a líder paquistanesa Benazir Bhutto - inteligente, bela e muito querida do povo, vítima da intolerância brutal dos terroristas islâmicos, que se julgam os "salvadores do mundo", guardadores dos bons costumes (aqueles mesmos bons costumes que dizem que mulheres andem de burca, que sejam culpadas quando são estupradas, que condenam coisas como internet, cinema, fotografia e artes em geral, entre outras aberrações).

Fatos relevantes

Vou tentar durante um ano inteiro, registrar aqui neste humilde blog, o fato mais relevante do dia sob meu ponto de vista. Veja bem: MEU ponto de vista. Portanto pode ser uma notícia global, uma notícia nacional, ou mesmo regional.

De qualquer forma creio que poderá ser interessante. Vejamos o resultado. E vejamos se eu consigo também rsrsr

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Transposição do São Francisco

Caso você seja como eu, que não sabe os porquês que movem um homem maduro de 61 anos e bispo católico a fazer martírio pessoal contra a transposição do São Francisco, leia os dois artigos que seguem abaixo e saiba finalmente os detalhes.

Antes de qualquer coisa quero que saiba que, embora eu seja A FAVOR da integração da bacia do São Francisco, eu fiz questão de publicar os argumentos dos dois lados neste blog sem qualquer interferência, para que você mesmo exerça seu senso crítico.

E sou a favor porque acredito que num lugar paupérrimo como o Nordeste somente o progresso pode trazer alento e esperança, para não dizer renovação. Assistencialismo ajuda, mas resolve só uma parte do problema do semi-árido, cisternas, açudes e poços ajudam as famílias, mas não acelera a implantação de empresas e indústrias.

O Nordeste precisa de água e energia em abundância, não só para a população como para todo o seu desenvolvimento. E tomara que isso aconteça mesmo, que não só a terra produza mais, mas também que as empresas se estabeçam e que a classe política ordinária e vampira que trabalha há séculos para manter as coisas como estão (paupérrimas) seja vencida em definitivo.

E tomara que daqui há alguns anos possamos passear pelo mesmo semi-árido nordestino e ENCONTRAR UM LUGAR DE ABUNDÂNCIA E BELEZA.

Literatura de cordel (PARTE 2): a greve do bispo e a transposição do São Francisco - os argumentos do BISPO

Publicada em 10/12/2007 às 12h47m
Cleide Carvalho - O Globo Online
(Eu citei a fonte: quer me processar, processa. )

Dois anos após sua primeira greve de fome de onze dias, contra a transposição do Rio São Francisco , o bispo de Barra Dom Frei Luiz Flávio Cappio entra no 14 dia de seu novo período de jejum - A Tarde

SÃO PAULO - Aos 61 anos, o bispo dom Luis Cappio quer viver muitos anos. Ele tem amor à vida, diz. Mas há 14 dias está em jejum por um tema que muitos brasileiros conhecem bem de perto, mas a maioria só ouviu falar: a seca. Dom Cappio deixou de comer e promete ir até o fim até que seja paralisada a obra de transposição das águas do Rio São Francisco e homens do Exército desocupem canteiros montados no eixos leste e norte. Para ele, o rio é "inegociável assim como o ar que se respira" e o projeto de transposição só repete o que sempre se fez com o povo nordestino: enganação.

Nesta entrevista ao GLOBO ONLINE, Dom Cappio diz quais as razões de ser contra a transposição do São Francisco e afirma que o presidente Lula, ao defender o projeto, não faz mais jus a ser chamado de nordestino.

O Globo Online - Qual o fato novo no projeto de transposição do rio que o fez a voltar a jejuar?

DOM CAPPIO - Não existe nada de novo no projeto. Ele sempre foi o mesmo. Retornei porque há dois anos, quando fiz o primeiro jejum em Cabrobó, depois de muitas tentativas da sociedade dialogar com o governo para discutir o projeto, fizemos um acordo com o governo, que foi assinado e chancelado. O jejum foi um grito que sensibilizou o governo e a sociedade e no 11º dia um emissário do presidente Lula nos procurou. O acordo dizia que o processo de transposição seria interrompido, porque as obras não tinham começado, e se abriria amplo diálogo com todas as representações, universidades, comunidades ribeirinhas, ONGs, igreja. Dada a magnitude do problema, achávamos que o projeto deveria ser discutido.

E isso não ocorreu?

DOM CAPPIO - Dada ao acordo, interrompi o jejum em outubro de 2005. Acreditamos que o governo seria fiel ao que estava sendo assinado. Nestes dois últimos anos fizemos as mais diversas tentativas, não apenas eu, mas vários segmentos Os movimentos sociais se mobilizaram, tomaram o canteiro de obras para iniciar o diálogo, fizeram de tudo para que o diálogo acontecesse. Tudo em vão. O governo se manteve surdo.

A obra de fato começou?

DOM CAPPIO - A resposta foi o início da obra com o uso do Exército. Eles estão no eixo norte e no eixo leste. Não foram poucas as tentativas de fazer com que acontecesse o que foi acordado.

" O projeto é socialmente injusto. Ele vai transpor estas águas, com gasto imenso, e os endereços não são as comunidades carentes de recursos hídricos. "

O que o faz ser contra o projeto de transposição do São Francisco?

DOM CAPPIO - São quatro pontos que nos fazem ser contra e serei didático. Primeiro: Esse projeto é economicamente inviável. O próprio governo já tem alternativas pela metade do preço. No começo deste ano, a Agência Nacional das Águas (ANA) lançou o Atlas do Nordeste com 530 alternativas para abastecimento hídrico das comunidades urbanas de todo o Nordeste. Elas atenderiam 34 milhões de pessoas e são mais baratas e viáveis do que a transposição. Há ainda as alternativas para a população rural do semi-árido, que atenderiam 10 milhões de pessoas. Somando as alternativas rural e urbana, elas atenderiam 44 milhões de seres humanos com abastecimento direto para as comunidades carentes. A transposição do Rio São Francisco atenderia 12 milhões. É economicamente inviável.

Segundo: O projeto é socialmente injusto. Ele vai transpor estas águas, com gasto imenso, e os endereços não são as comunidades carentes de recursos hídricos. O endereço é o incremento do capital, a criação de camarão em cativeiro, a produção de frutas nobres para exportação e o fornecimento à indústria pesada do Nordeste. Não é o povo, mas as iniciativas de capital para incrementar os negócios. Por isso, o interesse das empresas no projeto.

Ao incrementar os negócios, a transposição do São Francisco não vai criar renda e emprego para a população do Nordeste, dando nova condição de vida à região?

DOM CAPPIO - Quem mora aqui sabe o que não é ter água para beber. Antes de falar de emprego, é preciso falar da sobrevivência da população. Desenvolvimento para quem? Para o povo? Esta é a manutenção da velha política, do povo usado e manipulado em benefício de um pequeno grupo. Outro ponto é quem vai pagar a conta: o mecanismo de subsídio cruzado. Quando a água chegar ao destino, na Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará, pode-se imaginar o preço desta água. O subsídio cruzado significa que cada cidadão do Nordeste vai pagar a conta da água que vai beneficiar os grandes negócios.

"O Rio São Francisco não está na UTI. Quem está na UTI tem médicos e recursos. O São Francisco está na fila do SUS "

Quais são os outros argumentos?

DOM CAPPIO - O terceiro é que o projeto é ecologicamente insustentável. O Rio São Francisco - moro há 33 anos na beira do rio e tive oportunidade de ir da nascente à foz - não está na UTI. Quem está na UTI tem médicos e recursos. O São Francisco está na fila do SUS e não sabe se será atendido.

Quais os problemas do rio?

DOM CAPPIO - É a degradação à calha principal e de toda a bacia. Todo o parque industrial de Belo Horizonte deságua no São Francisco pelo Rio das Velhas e o do sudoeste de Minas também. Da mata ciliar do rio restam apenas 5%. O desmatamento deu lugar à monocultura do eucalipto, ao latifúndio para a criação do gado. O Rio São Francisco pede socorro. É preciso um projeto de revitalização sério e ele não pode estar atrelado à revitalização. Para justificar ecologicamente a transposição, fala-se em revitalização. É apenas uma casca que justifica o projeto, mas na realidade não há interesse na revitalização. Imagine esta água caminhando 2 mil quilômetros por canais de 25 quilômetros de largura por 5 de profundidade. Com que qualidade esta água vai chegar? É essa água que queremos oferecer aos irmãos do Nordeste?

Falta ainda o quarto argumento. Qual é?

DOM CAPPIO - A transposição é, eticamente, impossível de ser aceita. Este projeto inaugura o hidronegócio no Brasil, coloca a água na banca do mercado. A água é um dom para a vida. Ninguém pode pagar o ar que respira, nem a água que bebe. A partir dele, a água passa a ser objeto de compra e venda e é eticamente inaceitável. Não podemos aceitar que a água, um bem de Deus, vire produto à banca do mercado.

O presidente Lula é nordestino. Qual a posição pessoal dele em relação ao projeto?

DOM CAPPIO - Na época que ele fazia jus a seu nome de nordestino, ele era contra. Fez discurso contra o projeto em Petrolina e Juazeiro. 'Não me fale nesta palavra', dizia quando falavam em transposição. Agora, depois de ter se tornado presidente e freqüentado as altas esferas do Brasil e do mundo, mudou de pensamento. Não só ele, mas boa parte de seus companheiros de partido que se manifestaram contrários. A curriola vai toda atrás.

As pessoas acham seu jejum um ato isolado. O que o senhor diz sobre a crítica?

DOM CAPPIO - Digo que elas estão desinformadas. Neste momento, aqui na paróquia (Dom Cappio está em uma paróquia de Sobradinho) estão cerca de 100 pessoas. Tem gente de várias cidades. Na manifestação de ontem eram 5 mil, com delegações da Alemanha e da Áustria, inclusive.

O senhor deve manter o jejum até suas exigências serem atendidas?

DOM CAPPIO - As exigências são duas: paralisação da obra e saída do Exército. A presença do Exército é um desrespeito à população do Nordeste. O São Francisco não é assunto a ser negociado, vidas não se negociam. Não quero morrer. Tenho muito amor à vida. Tenho 61 anos, quero viver muitos anos. Mas coloquei a vida para defender o meu povo. Minha missão é esta. Se for necessário, a gente dá a vida. As vezes é necessário que a semente caia no chão e apodreça para que renda frutos.

Literatura de Cordel (Parte 1): A greve do Bispo e a transposição do São Francisco

Artigo descaradamente copiado de um certo blog na internet. Trata-se de uma carta de Ciro Gomes a Letícia Sabatella, que declarou publicamente seu apoio à greve do Bispo Cappio contra a integração da bacia do São Francisco nas áreas do semi-árido nordestino.

Diz Ciro Gomes:

“Letícia, ando meio quieto por estes tempos, mas, ao ver você visitando o bispo em greve de fome no interior da Bahia, pensei que você deveria considerar algumas informações e reflexões. Poderia começar lhe falando de República, democracia, personalismo, messianismo... Mas, sendo você a pessoa especial que é, desnecessário. O projeto de integração de bacias do Rio São Francisco aos rios secos do Nordeste setentrional atingiu, depois de muitos debates e alguns aperfeiçoamentos, uma forma em que é possível afirmar que, ao beneficiar 12 milhões de pessoas da região mais pobre do país, não prejudicará rigorosamente nenhuma pessoa, qualquer que seja o ponto de vista que se queira considerar.

Séria e bem intencionada como você é, Letícia, além de grande artista, peço-lhe paciência para ler os seguintes números: o Rio São Francisco tem uma vazão média de 3.850 metros cúbicos por SEGUNDO (!) e sua vazão mínima é de 1.850 metros cúbicos por SEGUNDO (!). Isto mesmo, a cada segundo de relógio, o Rio despeja no mar este imenso volume de água.

O projeto de integração de bacia, equivocadamente chamado de transposição, pretende retirar do Rio no máximo 63 metros cúbicos por segundo. Na verdade, só se retirará este volume se o rio estiver botando uma cheia, o que acontece numa média de cada cinco anos. Este pequeno volume é suficiente para garantia do abastecimento humano de 12 milhões de pessoas.

O rio tem sido agredido há 500 anos. Só agora começou o programa de sua revitalização, e é o único rio brasileiro com um programa como este graças ao pacto político necessário para viabilizar o projeto de integração.

No semi-árido do Nordeste setentrional, onde fui criado, a disponibilidade segura de água hoje é de apenas cerca de 550 metros cúbicos por pessoa, por ANO (!). E a sustentabilidade da vida humana pelos padrões da ONU é de que cada ser humano precisa de, no mínimo, 1.500 metros cúbicos de água por ano. Nosso povo lá, portanto, dispõe de apenas um terço da quantidade de água mínima necessária para sobreviver.

Não por acaso, creia, Letícia, é nesta região o endereço de origem de milhões de famílias partidas pela migração. Converse com os garçons, serventes de pedreiros ou com a maioria dos favelados do Rio e de São Paulo. Eles lhe darão testemunhos muito mais comoventes que o meu.

Tudo que estou lhe dizendo foi apurado em 4 anos de debates populares e discussões técnicas. Só na CNBB fui duas vezes debater o projeto. Apesar de convidado especialmente, o bispo Cappio não foi. Noutro debate por ele solicitado, depois da primeira greve de fome, no palácio do Planalto, ele também não foi. E, numa audiência com o presidente Lula, ele foi, mas disse ao presidente, depois de eu ter apresentado o projeto por mais de uma hora (ele calado o tempo inteiro), que não estava interessado em discutir o projeto, mas "um plano completo para o semi-árido".

As coisas em relação a este assunto estão assim: muitos milhões de pessoas no semi-árido (vá lá ver agora o auge da estiagem) desejam ardorosamente este projeto,esperam por ele há séculos. Alguns poucos milhões concentrados nos estados ribeirinhos ao Rio não o querem. A maioria de muitos milhões de brasileiros fora da região está entre a perplexidade e a desinformação pura e simples. Como se deve proceder numa democracia republicana num caso como este?

O conflito de interesses é inerente a uma sociedade tão brutalmente desigual quanto a nossa. Só o amor aos ritos democráticos, a compaixão genuína para entender e respeitar as demandas de todos e procurar equacioná-las com inteligência, respeito, tolerância, diálogo e respeito às instituições coletivas nos salvarão da selvageria que já é grande demais entre nós.

Por mais nobres que sejam seus motivos - e são, no mínimo, equivocados -, o bispo Cappio não tem direito de fazer a Nação de refém de sua ameaça de suicídio. Qualquer vida é preciosa demais para ser usada como termo autoritário, personalista e messiânico de constrangimento à República e a suas legítimas instituições.

Proponho a você, se posso, Letícia: vá ao bispo Cappio, rogue a ele que suspenda seu ato unilateral e que venha, ou mande aquele que lhe aconselha no assunto, fazer um debate num local público do Rio ou de São Paulo. Imagine se um bispo a favor do projeto resolver entrar em greve de fome exigindo a pronta realização do projeto.
Quem nós escolheríamos para morrer? Isto evidencia a necessidade urgente deste debate fraterno e respeitoso.
Manda um abraço para os extraordinários e queridos Osmar Prado e Wagner Moura e, por favor, partilhe com eles esta cartinha. Patrícia tem meus telefones.

Um beijo fraterno do Ciro Gomes”

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Minhas poesias

Há alguns dias eu resolvi publicar minhas poesias num formato simples e que tornasse possível distribuir para amigos, leitores do blog e apreciadores de poesias sem grande esforço. Hoje eu consegui concluir meu livro de poesias, ao qual dei o nome de "falando de amor".

Coloquei o link para download na barra lateral... é um livro simples contendo todas as poesias que criei até o final de 2007. Foi algo em torno de 2 anos... todas absolutamente falando de amor, a única que faz a vida valer a pena.

Obrigado aos que apreciam meus humildes e limitados textos... obrigado pelo carinho e consideração...

Feliz Natal... beijos... Próspero 2008 para você!...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Por que a extinção do CMPF foi um tiro no pé?

Quando o CMPF foi criado, ainda na gestão tucana de FHC, era advinha de um movimento que já existia na mente dos executivos políticos há muito tempo, recheados de estudos, sobre a possibilidade de criação de um imposto único no Brasil - coisa provadamente inviável - mas que por um lado trazia em sua bagagem uma grande sacada: a questão da proporcionalidade de pagamento de impostos.

Com o pagamento de impostos vinculados a produtos e serviços todos pagam proporcionalmente, o que não é errado, pois é justo que todo cidadão pague seus impostos. Mas também, os mais ricos sentem muito menos o peso dessa proporção, ao passo que os mais pobres sofrem mais, semprte considerando a proporção renda/consumo.

O imposto sobre movimentação financeira - CMPF - taxava a movimentação de dinheiro nos bancos. E quem movimenta dinheiro em banco nesse Pais? Só o pessoal da classe média para cima, com poucas excessões, e isso todo mundo sabe. O CMPF portanto estabelecia uma porporção relativa. Quem movimenta mais paga mais.

A classe pobre quase nao pagava CMPF. Quem pagava era a classe média e principalmente as empresas e a classe rica desse País. E ainda ajudava a polícia pois, como um sujeito que ganha 10.000,00 pagaria CMPF muito acima da média se não houvesse algo errado?

E por aí vai. Infelizmente a CMPF foi extinta, e isso foi um terrível equívoco. Não que eu seja a favor de impostos, mas é bom lembrar que o governo de um País é estabelecido por seu povo. É uma máquina pública para gerir o bom comum, o patrimônio comunitário. Logo, precisamos pagar para ter escolas, estradas, saúde, etc.

Acredito que a extinção em si foi um erro não por si só, mas pelo momento e pelas razões que motivaram esse cancelamento. As razões foram puramente políticas. Cancelando a CPMF o governo não conseguirá realizar muita coisa do PAC, plataforma de lançamento do sucessor do atual governo para 2010, abrindo o caminho para a oposição inchar-se de fervor patriótico e descer o pau no governo atual, cantando de galo como defensor da economia popular - a despeito de eles mesmos terem criado a porcaria do imposto.

E o momento não podia ser pior, porque agora será acelerada de uma maneira mal preparada, mal debatida, uma reforma tributária no Brasil. Mas não sem que antes haja uma reformulação nas alíquotas de vários impostos. Se a gente sempre paga, agora vamos pagar mais, mais rápido, e mais dolorosamente.

O governo é uma máquina lenta. Não dá pra cancelar uma contribuição que coloca bilhões em funcionamento da máquina e em programas sociais sem planejamento. Até para cortar gastos - o que seria o ideal considerando o tamanho da máquina - é preciso tempo! É como você ganhar 3.000,00 de salário em um mês, tendo compromissos, prestação do carro, prestação da casa, contas para pagar, e no mês seguinte teu chefe chegar em você e dizer: olha a partir de agora vc ganha 500,00!!

Portanto, preparem-se para altas de juros, altas de preços, de combustíveis, do dólar. Preparem-se também para queda na confiança do consumidor, inadimplência, queda da confiança externa, aumento do risco Brasil e tudo aquilo que no fim das contas afeta o dia a dia da gente humilde desse País.

Os ricos conseguiram novamente. Desculpem-me a expressão, mas são uns malditos filhos de uma puta.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Músicas que eu amo

Veja o vídeo e curta a letra abaixo!

Eu acredito no amor

Believe - Elton John
I believe in love, it's all we got
Love has no boundaries, costs nothing to touch
War makes money, cancer sleeps
Curled up in my father and that means something to me
Churches and dictators, politics and papers
Everything crumbles sooner or later
But love, I believe in love

I believe in love, it's all we got
Love has no boundaries, no borders to cross
Love is simple, hate breeds
Those who think difference is the child of disease
Father and son make love and guns
Families together kill someone
Without love, I believe in love

Without love I wouldn't believe
In anything that lives and breathes
Without love I'd have no anger
I wouldn't believe in the right to stand here
Without love I wouldn't believe
I couldn't believe in you
And I wouldn't believe in me
Without love

I believe in love
I believe in love
I believe in love


Tradução

Eu acredito no amor, é tudo que nós temos
O amor não tem fronteiras, não custa nada alcançá-lo
A guerra faz dinheiro, o câncer adormece
Enrolado em meu pai, e ao que significa algo para mim
Igrejas e ditaduras, políticas e autoridade
Tudo se desintegra, mais cedo ou mais tarde
Menos o amor

Eu acredito no amor, é tudo que nós temos
O amor não tem fronteiras, sem limites para cruzar
O amor é simples
O ódio se origina d
aqueles que pensam que a diferença é filha da maldição
Pais e filhos fazem amor e armas, famílias juntas matam alguém, sem amor

Sem amor
Eu não acreditaria
Em qualquer coisa que vive e respira
Sem amor
Eu não teria raiva
Eu não acreditaria no direito de permanecer aqui
Sem amor
Eu não acreditaria
Eu não poderia acreditar em você
E não acreditaria em mim
Sem amor, sem amor
Eu acredito no amor
Eu acredito no amor
Eu acredito no amor

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Minha Procura

Eu procuro um amor bonito
Que me faça esquecer os tempos
Que me faça viver o infinito
Que me lance no soprar dos ventos

Eu procuro um amor profundo
Que me vista de um colar de cores
Que me lembre de esquecer do mundo
Em que esqueça de lembrar das dores

Eu procuro um amor preciso
Que escancare em minha cara um riso
Que me banhe de um feliz desejo

Não precisa ser perfeito, enfim
Só precisa sê-lo para mim!
Este é o gigantesco amor que almejo!...

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Músicas que eu amo

E segue a letra ali embaixo rsrsr

Pela luz dos olhos teus

Coisas do Tom Jobim

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só pra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar

Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Mais coisas do amor

Se é amor, por que me dói?
Se é amor, por que maltrata?
Se é amor, por que corrói?
Se é amor, por que me mata?

É pra doer assim? Não sei...
É pra ferir assim? Sei lá!
Amor é mal ou bem? Talvez...
...sou eu quem não sabe amar!

Um amor é como mel
É doce, etc e tal
Nos leva até o céu...

É bom, é bem legal
Comeu pouco? Quer mais
Comeu demais? Fez mal!

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Estrada Paraíso

... eu caminho pela estrada Paraíso...
... que me leva ao destino impreciso...
... ninguém me espera no final...
... não me espera ali o teu sorriso...

... eu caminho pela estrada solidão...
... levo dentro do meu bolso o coração...
... já que me manter vivo, afinal...
... tem sido sua única função...

... eu caminho pela estrada da tristeza...
... sem esperar ao chegar qualquer surpresa...
... carrego dentro de mim este mal...
... pois que tenho sido sua maior presa...

... eu caminho, e isso tem sido meu consolar...
... que ainda tenho eu pernas para andar...
... que ainda tenho eu saúde para ver...
... o fim dessa história toda me chegar...

Músicas que eu amo

O que me importa - Marisa Monte

Musicas que eu amo

Just when I needed you most - Dolly Parton

Músicas que eu amo

We're All Alone - Versão original de Rita Coolidge

Just when I needed you most - Dolly Parton & Alisson Krauss

Linda canção!

You packed in the morning

I stared out the window
And I struggled for something to say
You left in the rain without closing the door
I didnt stand in your way
Now I miss you more
Than I missed you before
And now where Ill find comfort, God knows
cause you left me
Just when I needed you most
Yes, you left me
Just when I needed you most
Now most every morning
I stare out the window
I think about where you might be
Ive written you letters that Id like to send
If you would just send one to me

cause I need you more
Than I needed before
And now where Ill find comfort, God knows
cause you left me
Just when I needed you most
Yes, you left me
Just when I needed you most

You packed in the morning
I stared out the window
And I struggled for something to say
You left in the rain without closing the door
I didnt stand in your way

Now I love you more
Than I loved you before
And now where Ill find comfort, God knows
cause you left me
Just when I needed you most
You left me
Just when I needed you most
Oh, you left me
Just when I needed you most

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

não te iludas

De que ilusões hão de ser derradeiros
Os prantos deixados nos vãos do passado
De que medos sofrem os olhos molhados
Sofridos de não terem sido os primeiros

De que ilusões vamos ser os herdeiros
De erros, de contos, de casos contados?
Que que ilusões nós seremos lembrados?
De amores ou dores, ou ambos certeiros

Não temo vergonhas, açoites, falados
Que vultos me lancem seus rostos fechados
Que cantem meu chôro a canção dos festeiros

Porque de ilusões sei que vivo cercado
Pois que não há limite a este enganado
Pois que de ilusões me consumo inteiro

amei

andávamos de mãos dadas pelas ruas e pelas vidas
distantes dos mundos e dos pensamentos
éramos livres dos medos, das coisas e dos tempos
cheirávamos jasmim, perfumes, alegrias e amores
sentíamos calma, liberdade e todos os carinhos
vestíamos paz, certezas, sorrisos e verdades
iluminávamos os caminhos por onde passávamos
e flores nasciam à sombra que deixávamos
os sonhos mais lindos vivemos e sofremos
eternos, completos, profundos e plenos
transborda meu peito, minh'alma, meus nervos
sabendo que amor eu amei... e sem medo!!

Notícias que veremos dentro de um século:

Inglaterra (e God save the Queen!...)
- Ação policial sob suspeita no caso Jean Charles
- Carro de Diana pode ter sido fechado
- Príncipe Charles passeia com Camila Parker-Bowles
- Príncipe William beija namorada em boate londrina
- Primeiro ministro britânico defende relação com os EUA
... e de bônus - Rainha Elizabeth retira-se em férias: "Estava exausta"


Oriente Médio (aí God save us all!...)
- Ataque terrorista palestino em Jerusalém trocentos
- Ataque israelense em Gaza mata trocentos
- Ataque suicida no Iraque mata trocentos
- Ataque terrorista na Cashemira mata trocentos
e de bônus... - Novo vídeo de Bin Laden é autêntico, diz CIA


Estados Unidos
- Bolsa de NY oscila com rumores de aumento nos juros
- Garoto de 9 anos mata um monte e se suicida em escola primária
- Governo americano rejeita novo protocolo ambiental
- Presidente americano pede ao senado mais trocentos bilhões para a guerra
e de bônus... - Microsoft se defende de acusação de monopólio


Brasil (pensou que eu tinha esquecido, né? hehehe...)
- Brasil pretrecretacampeão de futebol
- Rio espera trocentos milhões de turistas para o carnaval
- Brasil bate recorde de internações por dengue
- Descoberta quadrilha que desviava dinheiro de órgãos públicos há 200 anos
- Deputados aumentam o próprio salário em sessão secreta, Judiciário segue
e de bônus... - Xuxa e Didi lançam seu novo filme esta semana

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Oi.

Soneto da fidelidade

Vinícius de Moraes

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.


Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.


E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama


Eu possa (me) dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.


...
Ao inacreditável
talento poético vivo e surreal deste que foi um dos maiores poetas que eu já li.
Saudoso Vinícius de Moraes, sou um teu fã!

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

amoremar

Estou longe do amor que eu quero
bem longe do mar que eu amo
tão longe de tudo que espero
tão perto do nada e do engano
vagueiam tão tristes os dias,
diante dos meus próprios passos
vão serpenteando na terra
mostrando o caminho do fosso
lugares tão mais tenebrosos
e para onde ainda me hão de levar

Não fosse eu esse escravo
Cantaria a beira do mar.

Nas sombras mais densas passeio
de olhos fechados, repousam
lembranças de água salgada
de ondas quebrando na areia
nas rochas, nas faces coradas
barulhos de gente, de vida,
sussurros, sorrisos, risadas
no vento, na praia, no olhar
ali nós andamos sem tempo
com tempo de sobra para amar.

Nao fosse eu esse escravo
Amaria a beira do mar.

Estou longe do amor que eu quero
bem longe do mar que eu amo
se perto estão os meus sonhos
ao longe esses sonhos se vão
e de lá à minh'alma eles lançam
um pouco do aroma e do gosto
daquilo que ainda um pouco
aviva o meu caminhar
na vida não sinto desgosto
Pois sei que existe um lugar

Não fosse esse escravo...

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Em que o mundo está se tornando?

- No Brasil, todos os dias se acha um bebê morto, ou entregue à morte
- Violência nas escolas entre gangues de adolescentes
- Tráfico e comércio de drogas totalmente sem controle
- Crianças se prostituindo, meninas engravidando a torto e a direito
- Juventude sem emprego, sem renda, sem ter o que fazer
- Corrupção, roubo, mentira daqueles que escolhemos para resolver o problema

Está terrível viver nesse país.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Vídeo made in Brazil

Tem muita coisa boa nesse nosso Brazil!

Che guevara

Hoje se cumprem 40 anos da morte de Che Guevara. O ícone pop revolucionário, que popula o imaginário político de esquerda, dando aquele arzinho romântico, de que os povos sejam livres do jugo do totalitarismo, do poderio dos impérios... blá blá blá...

Che Guevara não foi, nem de longe, isso que se apregoa. Era um homem da guerrilha, um golpista, tão ruim, ou ainda pior que o líder do governo que ele ajudou a derrubar... Deixassem o assassino frio que existia dentro do Che Guevara reinar frouxo e vocês iam ver o lado mala do famoso ícone pop revolucionário. O Fidel taí para não deixar eu mentir.

Um homem com uma arma na mão deixa de ser o mesmo homem. E se Che Guevara tinha la ternura, essa o abandonou no dia em que ele se tornou um guerrilheiro. De arma na mão.

Me desculpe se quem lê não gostou de eu ter falado do Fidel Castro, mas veja a fortuna pessoal desse líder "revolucionário". Veja a miséria que Cuba vive por conta da teimosia desse homem... Como enaltecer pessoas como Che e Fidel?! Não me entra na cabeça.... Mas de um país que endeusa um cara igual o Cazuza... esperar o quê?!

Pode-se dizer que Che Guevara - mesmo sendo o que era - inspira o ideário popular porque foi um homem capaz de se prender a seus ideais e ir com eles até o limite da vida - no caso, a morte. Mas se o princípio for esse, teríamos que falar também de Stálin, de Hitler, de Mussolini, etc...

Olha, bem que eu queria que houvesse uma revolução de social, que equiparasse as classes e fizesse os que andam a pé e os que andam de Ferrari terem direitos iguais. DIREITOS e DEVERES iguais. Por exemplo, trabalho.

Mas aos preguiçosos, aos incompetentes, aos malandros, aos que enriquecem à custa alheia, aos mafiosos, enfim, nada. E aos que não querem nada com nada, bastante NADA.

É... porque tem muito malandro pedindo esmola no sinal ganhando mais do que muitos que andam ralando de ônibus em ônibus, de sol a sol, aí... pra defender o mínimo. Assim como tem muito sujeito elegante e bonitinho, andando de 4x4, que conseguiu subir na vida na base da malandragem, da "parceria", do "negócio por baixo dos pano".

E também, deixando a acidez de meus comentários de lado... vamos parar no popular exemplo da cigarra e da formiga, que já tá bom.

Ao meu ver a igualdade, neste mundo, é impossível... porque é impossível que as pessoas tenham sempre a mesmo a boa vontade umas com as outras, que uma trabalhe igual a outra, que uma pense igual a outra. Também porque é impossível que as pessoas não se apaixonem, não se irritem, não tenham inveja, ciúmes. E finalmente porque é impossível impedir que as pessoas morram.

Ah, e voltando ao nobre assassino popularíssimo, digníssimo senhor Che Guevara, leia mais sobre o rapaz... procura saber o histórico "polido" dele. Há de ser que os que o defendem tentem justificar que o massacre seja um caminho válido para libertar os povos do mundo da tirania imperialista. Eu acho que não.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Obra de ET'S

Existe algo correndo na mente de muitas pessoas e que está virando moda: a desconfiança de que determinados avanços tecnológicos recentes não são fruto da capacidade humana, mas sim pequenos, digamos... "empurrõezinhos" oferecidos por ninguém mais, ninguém menos, do que eles: sim, eles... aqueles seres idênticos ao homem, e que vivem entre nós discretamente: os EXTRATERRESTRES!!

Acreditam os crentes que tecnologias como o circuito integrado - também conhecido como chip - em suas mais variadas formas e funcionalidades são frutos dessa parceria homem/et. Assim como invenções absolutamente fantásticas como o automóvel, o avião, o forno microondas, o raio laser, os satélites, a seleção de 70 e a energia nuclear.

Bem... do que me toca, eu incluiria o mousse de chocolate também. E o de Maracujá.

Apesar do meu jeito de escrever, eu não costumo ironizar as crenças das outras pessoas, afinal eu também, vá lá, tenho as minhas. É que a questão da vida extraterrestre é tão polêmica que faz desse um debate muito interessante.

Mas há uma coisa nessa história absurdamente intrigante.. muito mais intrigante que o final de Paraíso Tropical. Qual seja: "Se eles estão entre nós...por que afinal ninguém jamais viu um deles?"

Ouço dizer que isso se deve ao fato de não estarmos preparados. Preparados para o quê? Desde que existimos como humanidade, convivemos com catástrofes terríveis como guerras, fome, doenças, holocaustos e coisas como o funk carioca e humor americano. Como não estaríamos preparados para essa revelação, para esse encontro com a cultura extraterrestre?

Talvez eles não se mostrem pelo óbvio motivo que nós os exterminaríamos, provavelmente por medo. Medo de que nos exterminem, medo de que nos superem, medo de que nos subjuguem... Ou só pra comer mesmo. Tudo depende do visual hehehe.....

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Coisas que eu quero aprender urgente

Não agir na hora em que eu estiver irritado.
Não agir com base no que eu "acho", mas com base no que é "certo".
Ouvir todos os lados da história.
Amar sem esperar retorno.

sábado, 15 de setembro de 2007

Curiosidades bélicas

Confira nesse vídeo de poucos minutos o poder e a beleza desse incrível caça russo, o MIG29 Fulcrum. A briga entre esse caça e o F16 americano é braba, e não falta polêmica sobre qual dos dois é o melhor.

Curiosidades bélicas

E o que você acha desse tanque T34 russo da segunda guerra mundial? Ele foi capturado pelos nazistas, usado numa batalha e afundado num rio logo em seguida para que não fosse recapturado. Sessenta anos depois, ele é encontrado e retirado do fundo da água lamacenta e... incrível... suas engrenagens ainda funcionam!...

Curisosidades bélicas

E com vocês o incrível cargueiro russo Ekranoplan. Não é um navio: é extremamente mais rápido. Também não é um avião: ele na verdade não voa, apenas plana no limite da superfície do oceano. Incríveis invenções humanas impulsionadas pelo terrível período da guerra fria.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

O gigante

Não espere o tempo a pagar para ver
Nem por esperar enquanto age o vento
Se levantará o nobre com o argumento
Que suas ações se façam entender

Seu corcel impávido a levantar olhares
Cruzará os céus e se fará notado
Com poder e força, o rosto flamado
A buscar a única entre as milhares

Moverá os céus, pilares, firmamentos
Andará os passos de seus sentimentos
E em suas mãos, por sinal, a flor

Estremeçam povos, curvem-se a gente
O herói lhe busca o que a si pertence
Única em milhares, o seu grande amor.

Sangra a mim

Se sangra meu peito, meu choro, agudo
contido e sereno repousa meu canto
se em contos e versos revelo meu pranto
a culpa é tua, meu anjo, meu tudo

Se choro segredos, e em versos desnudo
O puro e intenso calor do meu manto
Se rasgo alma minha ao meu desencanto
a culpa é tua, minh'alma, meu mundo

Me quebro, me esqueço, me largo, abandono
me solto, me deixo, me entrego ao sono
me lavo das águas em que me atiraste

Não sei mais do senso das coisas corretas
só sei das palavras que expressam os poetas
das mesmas palavras que me vomitaste

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Vida

quero tanto aprender a vida, essa personagem fantástica
essa misteriosa autora... quero tanto descobrir sua mente!

tenho tanta fome
de entender tudo o que não entendo....

vida que nos arrasta através de fatos
sobre os quais não temos o mínimo controle

que nos afasta de quem mais amamos, pelo tempo e pelo espaço...
e cinicamente nos coloca na rota de quem nos odeia, e a quem odiamos...
(isso quando não faz com que permaneçamos apegados em sentimentos a quem nos odeia!)

vida que nos dá o amor e felicidade a conta-gotas
e ódio e tristezas aos baldes

vida que transforma heróis em vilões sem nunca terem sido nem uma nem outra coisa

eu amo a vida, sou grato e não abro mão dela... mas eu queria entender direito como funciona
queria poder corrigir alguns erros tidos por outros como incorrigíveis
queria poder perdoar a quem eu não suporto nem tenho capacidade para tolerar

queria poder viver o amor e a felicidade todos os minutos do dia
e ser feliz mesmo com as dificuldades

Procura

E assim caminho
entre amor e medo
entre paz e choro
sonho e segredo
sem saber direito
se é real ou sonho
se é tenro ou bruto
se é doce ou medonho

Sem saber ao certo
se é fim, começo
se é raro o custo
se é caro o preço
sem saber ao menos
se é puro, pecado
se é justo, injusto
se é certo, errado

Sem saber notícia
se é triste mesmo
se a tristeza é breve
se ela vem a esmo
sem saber de nada
sem ser bem querido
Sem ousar meu grito
Ser sequer ouvido

E assim caminho
Entre rôtas rotas
entre espinheiros
entre linhas tortas
procurando abrigo
procurando pão
esperando o amigo
esperando a mão...

Ventos

Que esperas tu? Um amor insano?
Que esperas ver? Um senhor galante?
que desejas tu? Um nobre amante?
Que desejas ter? Um amor cigano?

O insano amor se me fez triste dano
O galante homem se me fez pequeno
O amante nobre se me fez veneno
O amor mais louco se me fez engano...

Desejamos tudo, nada conquistamos
Sombras e vapores, ventos e orvalhos
nos premiam dores que conosco temos

Mas a dor aguda que mais lamentamos
Não é a que temos por não ter vivido
Mas foi a do dia em que nos perdemos...

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Fly Away From Here - Aerosmith

(frederickson/chapman)

You gotta find a way
yeah, i can't wait another day
ain't nothin' gonna change
if we stay 'round here
gotta do what it takes
cuz it's all in our hands
we all make mistakes
yeah, but it's never too late
to start again, take another breath
and say another prayer

Then fly away from here

anywhere, yeah, i don't care
we'll just fly away from here
our hopes and dreams are
out there somewhere
won't let time pass us by
we'll just fly

If this life gets any harder now

it ain't ,no, never mind
you got me by your side
and any time you want
yeah, we can catch a train and
find a better place
yeah, cuz we won't let nothin'
or no one keep gettin' us down
maybe you and i
can pack our bags and hit the sky

And fly away from here
anywhere, yeah i don't care
we'll just fly away from here
our hopes and dreams are out there somewhere
won't let time pass us by
we'll just fly

Do you see a blue sky now?

you can have a better life now
open your eyes
cuz no one here can ever stop us
they can try but we won't let them
no way
maybe you and i
can pack our bags and say goodbye

And fly away from here

anywhere, honey, i don't care
we'll just fly away from here
our hopes and dreams are out there somewhere
fly away from here
yeah anywhere honey
i don't i don't i don't care
we'll just fly...

sábado, 11 de agosto de 2007

Um dia típico em minha vida

Não sou nem candidato a popstar, por falta de vários itens indispensáveis, a começar por talento, beleza e grana. Mas há quem tenha curiosidade em saber o que faço da vida no cotidiano. Aos que têm lá essa morbid...digo... curiosidade, segue meu relato de um dia típico:

Entre 7 e 8 horas em me levanto e, obviamente como todo o resto do mundo, faço minha higiene pessoal - coisas como escovar os dentes, lavar o rosto, tomar um banho etc. Quer dizer banho não. Bom.. er...... de vez em quando.

Saio para o trabalho por volta das 8 a 8:30hs. No meu Fiestinha 98 amassado. Coloco Aerosmith para tocar, pois é bom começar o dia ouvindo boa música. E saio me achando... como se estivesse numa S10 tunada. Meto o pé no carango e vou embora. Às vezes, com um pouco de sorte, consigo pegar até 70 nele. Juro que já consegui umas duas vezes. Na descida.

O trajeto ao trabalho é rápido, leva cerca de 10 minutos em linha reta, ou 10 minutos dando uma volta de uns 5 km por outro setor. Considere isso uma piadinha sutil sobre o engarrafamento.

Ao chegar leio meus emails, respondo o que tiver que responder e mergulho no trabalho. Daí sim, eu me concentro legal, porque trabalho eu levo a sério mesmo. Afinal é de lá que eu tiro a gasolina do meu carro, a querosene do meu helicóptero, o óleo do meu iate e o caviar dos meus 12 pitbulls... aqueles que ficam em minha casa no... Pantanal.

O dia é todo envolvido em programas de computador, demonstrações de sistemas, treinamento de usuários e atendimento online. Vale para mim e também para meus 4 colegas. Li esses dias que 1 em cada 5 pessoas tem algum tipo de problema mental. Como eles parecem normais o retardado devo ser eu. Brincadeira hahahah... lá a proporção não bateu. Nenhum dos 5 é normal. Obs: isso inclui a secretária.

Meu almoço é num restaurante de preços acessíveis que fica do outro lado da avenida. Eu almoço todos os dias lá.... quer dizer.... todos os dias que eu tenho ânimo suficiente para atravessar a passarela. Não me chame de preguiçoso! Considere que... há uma certa indisposição, eventualmente, em caminhar demais no horário do almoço... (Fatores como calor, cansaço, umidade relativa do ar e alertas de Tsunami devem ser considerados).

Quando dá 17:30hs em ponto eu junto meus cacarecos e levanto vôo para o meu segundo emprego, que é no setor de tecnologia de um órgão do estado, e no qual eu tenho que bater ponto antes das 18:00hs. Falando assim parece tão chique, né... rsrsrs... Saiba que eu tenho que encarar turnos em fins de semana, feriados, ou seja... tem um preço a ser pago nisso tudo aí.

É curioso esse emprego no estado. Como não inventaram um jeito de cobrar impostos da alma ainda, eu sigo pagando impostos só como pessoa física e jurídica mesmo. Se eu sou um contribuinte e um funcionário público ao mesmo tempo, logo, eu sou meu próprio empregador. Ou pelo menos sou um dos que pagam meu próprio salário.

Epa... peraí... eu pago "x" de impostos... eu ganho "y"... PÔ! Eu trabalho de graça!!

Certo... deixa pra lá.
Bom, saio do trabalho a ZERO horas de um novo dia. Ou seja, eu começo meus dias voltando para casa. Durmo sempre rapidinho. Assim que termina o JÔ. E a sessão corujão.

E é isso... minha rotina. Se você não está chorando ainda é porque não leu direito. A propósito, seja um parceiro investidor. Se você se sentiu tocado por essa mensagem, não seja negligente.. ouça a voz do seu coração e bota uma grana na minha conta. Vai estar ajudando um maior abandonado a tirar o pé da lama... e finalmente adquirir a TV de plasma que tanto sonhou!

Teoria da conspiração

O absurdo Duro de Matar 4 me fez pensar numa coisa possível. O que um ser humano precisa de mais básico para viver?

Imagine que o mundo de repente, devido a um problema qualquer corriqueiro, desses que acontecem todo dia - como um asteróide se chocando contra a Terra, por exemplo - fique sem tecnologia.

Imagina o mundo sem energia elétrica, sem telefone, TV, rádio, internet, celular. Sem gás, água tratada, etc.

Aliás não pensa no mundo não. Pense em você mesmo. Você sobreviveria a um mundo sem tecnologia? Eu talvez, não dá pra saber. Mas o pessoal do sítio iria. Eles têm tudo lá que precisam. As galinhas, os porquinhos, as vaquinhas. A hortinha... A plantação de arroz, milho e café.

Considerando que haja saúde, oxigênio é o item primário. O secundário é comida.

Taí, vou comprar um sítio.
Talvez eu consiga sobreviver a um cataclisma.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Amizade Homem x Mulher existe?

Mito é o nome que se dá à tentativa de explicar algo nada simples de explicar . E uma lenda, é tudo aquilo que não pode ser provado.

Amizade entre homem e mulher... para uns é mito, para outros é lenda, mas para mim é algo possível. Se tivesse que resumir, eu diria que tá mais para mito.

A questão passa pelo possível enlace emocional que a proximidade provoca. Amizade entre homem pode (não quer dizer que vai) acabar em flerte, o flerte em paixão, e a paixão em sabe-se lá o quê... tudo é possível daí em diante, basta apenas usar criatividade e, dependendo da situação coragem e discrição.

Mas eu, que sou homem e tenho amigas, inclusive meu maior amigo é uma MULHER, fico me perguntando...

- Um HOMEM que afirma que amizade com mulher existe... fica mais predisposto à amizade com uma mulher bonita do que com uma ... digamos... não tão bonita?

- Um HOMEM vai ter liberdade de conversar qualquer coisa, inclusive buscar algum aconselhamento, com uma MULHER? (Considerando que há assuntos que são realmente íntimos, ou seja, provocam uma exposição de sua própria natureza e, cá entre nós, é típico de muitos não expor-se, e em especial suas fraquezas...)

Invertam-se os termos HOMEM e MULHER das perguntas acima e fica valendo para vocês mulheres também.. rsrsr

terça-feira, 24 de julho de 2007

Só "Eu te amo" não diz tudo

Arnaldo Jabor

Ele(a) diz que te ama... então tá! Ele(a) te ama! Assunto encerrado!!! Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de quilômetros. A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras. Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas, e que dá uma sacudida em você quando for preciso. Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás, e vê-lo(a) tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ele(a) fica triste quando você está triste, e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d`água. Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; Quem não levanta a voz, mas fala; Quem não concorda, mas escuta. Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Mulheres da minha vida

Minha querida, a ordem não importa... :-)

Dido
Janeane Garofalo
Annie Lennox
Sheryl Crow
Maitê Proença
Laura Pausini

quarta-feira, 11 de julho de 2007

A HISTÓRIA DE JOÃO E MANÉ

JOÃO

João era um importante empresário. Morava em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade. Naquele dia, João deu um longo beijo em sua amada e fez em silêncio a sua oração matinal de agradecimento a Deus por sua vida, seu trabalho e suas realizações.
Após tomar café com a esposa e os filhos, João levou-os ao colégio e se dirigiu a uma de suas empresas. Chegando lá, cumprimentou com um sorriso os funcionários, inclusive Dona Teresa, a faxineira. Tinha ele inúmeros contratos para assinar, decisões para tomar, reuniões com vários departamentos da empresa, contatos com fornecedores e clientes, mas a primeira coisa que disse para sua secretária foi:

- "Calma, faça uma coisa de cada vez, sem stress".

Ao chegar a hora do almoço, ele foi para casa curtir a família.
A tarde, tomou conhecimento que o faturamento do mês superou os objetivos e mandou anunciar que todos os funcionários teriam gratificações salariais no mês seguinte.
Apesar da sua calma, ou talvez, por causa dela, conseguiu resolver tudo que estava agendado para aquele dia. Como já era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar e depois foi ministrar uma palestra para estudantes, sobre motivação para vencer na vida.


MANOEL ou MANÉ

Enquanto isso, no bairro mais pobre de outra capital, vive Manoel, ou Mané, como era mais conhecido. Como fazia em todas as sextas-feiras, Mané foi para o bar jogar sinuca e beber com amigos. Já chegou lá nervoso, pois estava desempregado. Um amigo seu tinha lhe oferecido uma vaga em sua oficina como auxiliar de mecânico, mas ele recusou, alegando não gostar do tipo de trabalho. Mané não tinha filhos e estava também sem uma companheira, pois sua terceira mulher partiu dias antes dizendo que estava cansada de ser espancada e de viver com um inútil.
Ele estava morando de favor, num quarto imundo no porão de uma casa.
Naquele dia, Mané bebeu mais algumas, jogou, bebeu, jogou e bebeu até o dono do bar pedir para ele ir embora. Ele pediu para pendurar a sua conta, mas seu crédito havia acabado, então armou uma tremenda confusão e o dono do bar o colocou pra fora.
Sentado na calçada, Mané chorava pensando no que havia se tornado sua vida, quando seu único amigo, o mecânico, apareceu e, após levá-lo para casa e curando um pouco o porre, perguntou a Mané:

- "Diga-me, por favor, o que fez com que você chegasse até o fundo do poço desta maneira?"

Mané então desabafou:

- "A minha família... Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável.
Quando minha mãe morreu doente, por falta de condições, eu saí de casa, revoltado com a vida e com o mundo. Tinha um irmão gêmeo, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma".

ENQUANTO ISSO...

...na outra capital, João terminava sua palestra para
estudantes. Já estava se despedindo quando um aluno ergueu o braço e lhe fez a seguinte pergunta:

- "Diga-me por favor, o que fez com que o senhor chegasse até onde está hoje, um grande empresário e um grande ser humano?"
João emocionado, respondeu:

-"A minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum, tínhamos uma vida miserável. Quando minha mãe morreu, por falta de condições, eu saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família. Tinha um irmão gêmeo, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma".

MORAL DA HISTÓRIA:

O que aconteceu com você até agora, não é o que vai definir o seu futuro, e sim a maneira como você vai reagir a tudo que aconteceu. Sua vida pode ser diferente, não se lamente pelo passado, CONSTRUA VOCÊ MESMO O SEU FUTURO, MAS SEMPRE SEGURANDO NA MÃO DE DEUS. Encare tudo como uma lição de vida, aprenda com seus erros e até mesmo com o erro dos outros.
O que aconteceu é o menos importante. O que realmente importa é o que você vai fazer com o que acontecer.

"Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de
sucesso. O sucesso é conseqüência" (Albert Einstein).

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Derrotas

É assentados no solo frio da derrota, às vezes esgotados pela batalha, que os guerreiros se sentem os seres mais desafortunados.

Todos os guerreiros têm medo da derrota. Todos eles têm medo da morte. Todos têm medo do que vem depois.

E todos os guerreiros, quando derrotados, vislumbram esse momento de solidão, tristeza e dor interior.

Alguns guerreiros ficarão presos nesse momento moral pelo resto de suas vidas. Permanecerão assentados ali contemplando os vencedores e lamentando sua pouca força, sua pouca sorte, ou sua pouca fé.

Mas para outros guerreiros, entretanto, esse momento irá durar somente o tempo suficiente para a lição ser assimilada. Para saberem que a derrota faz parte da batalha. E para saber que vencedor é o guerreiro que luta com sua alma, com seu corpo, e com seu espírito.

Eu suspiro em meu coração, que você seja um guerreiro como este último.

Anseios

Me olhou e acenou
de longe, a beira da praia
de onde meus olhos não alcançam
acenou à minh'alma.

Não escrevo para redenção
Escrevo porque quero.

Se entristeceu e disse adeus
ao que foi e nunca foi
e disse adeus a mim
e até nunca mais, assim.

Não escrevo para redenção
Escrevo porque não espero.

terça-feira, 5 de junho de 2007

Nada a ver

Tenho um cliente que me deve algumas mensalidades. Há algum tempo eu não ouvia nada muito inusitado - pois já ouvi coisas estranhas, absurdas e cômicas durante esses 15 anos em que trabalho no ramo.

Mas esse cliente inadimplente me falou uma hoje que colocou em dia minha agenda de coisas inusitadas algo de totalmente novo. Segue o diálogo:

(Cliente) - Oi, boa tarde..

(Nós) - Sim, boa tarde, pois não?

(Cliente) - Pois é peixe... A impressão da Nota Fiscal aqui está saindo meio desconfigurada... precisa entrar aí por fora e acertar aqui pra gente, peixe.

(Nós) - Certo, faremos o mais rápido possível, mas antes me diga... Vocês ainda não retornaram nossa comunicação sobre as mensalidades em atraso.

(Cliente) - Não.. eu sei , peixe. Já foi passado para o gerente...

(Nós) - Pois é Senhor, estamos impossibilitados de continuar oferencendo a vocês o serviço sem a contrapartida do pagamento, pois são muitas parcelas em atraso e mesmo com inadimplência continuávamos atendendo, compreende?...

(Cliente) - Ei, peraí... Eu preciso do sistema... Uma coisa não tem nada a ver com a outra!...


UMA COISA NÃO TEM NADA A VER COM A OUTRA

Ao ouvir isso eu descobri a fórmula para a solução dos problemas financeiros do mundo inteiro. Foi um tipo de... luz... sei lá!

O cliente vai ao médico precisando ser operado. O médico o opera, mas ele não paga, pois uma coisa não tem nada a ver com a outra. Mas o médico não fica magoado, pois ele sabe que tudo o que ele precisa para viver ele tem a disposição, a casa que ele (não) paga aluguel, a comida que ele pega no mercado (sem pagar, claro), o conserto do carro na oficina, etc...

Outro homem entra no mercado, enche o carrinho e sai sem pagar. Pagar por quê? Uma coisa não tem nada a ver com a outra! E assim por diante... Advogados, cabeleireiros, motoristas, vendedores e toda categoria de profissionais do mundo inteiro. Quem precisa de dinheiro? Quem? Ninguém!

Agora saia, compre, use, qualquer coisa que quiser. Nada tem custo - o custo das coisas e serviços é apenas virtual. E fique a vontade, porque você faz: mas farão com você também. Portanto lembre-se de manter sua empresa, cargo ou função funcionando: nada de ficar em casa de papo para o ar, pois você tem muitos clientes para atender, ok?

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Dizem que um programa de computador tem que funcionar sempre, ou falhar sempre, pois obedece sempre à mesma lógica. Hoje eu acredito nisso em parte, depois de ter apanhado - e muito - de um sistema baseado nuam idéia relativamente simples, que roda na web.

Um funcionamento de um programa de computador realmente obedece a uma lógica. Mas as variantes que compõem essa lógica podem ser muitas: da plataforma ao web server, da concorrência no banco de dados à largura de banda disponível, dos componentes usados aos objetos, do objetivo à técnica... é tanta variável que a lógica senta no meio fio, do lado do programador, e fica esperando para ver no que vai dar. No final das contas vira tudo um samba do criolo doido. Você desenvolve o aplicativo e sabe que tecnicamente ele tem que funcionar. E fica com os dedos cruzados, torcendo para que nenhuma outra variável interfira em seu funcionamento.

Mas hoje é um dia vitorioso para mim. Um dia em que eu passei a respirar mais aliviado. Hoje é o primeiro dia em que não preciso me debruçar sobre um sistema que me ocupou o pensamento e as ações nas últimas semanas... um sistema web que me consumiu horas de muito estudo em função de comportamentos estranhos na relação de algumas variáveis citadas acima.

Consegui fazer o bicho funcionar ontem. Agora espero que o treco me dê o tão sonhado e merecido dinheirinho.

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Um pé de cada vez

Somos todos crianças enquanto não morremos.

Podemos aprender em cada minuto de vida e de fôlego que temos, enquanto tem sangue correndo nas veias. E é possível aprender desde coisas pequenas até coisas grandes, mesmo se você tiver mais de 100 anos.

Aprenda com as decepções, elas são o melhor caminho para profundas transformações interiores.

Aprenda com o medo, ele te protege em algumas coisas, só não deixe ele dominar você.

Aprenda com os velhos, quase tudo o que vc viveu e o que ainda vai viver, eles já viveram.

Aprenda com as criancinhas, porque inocência, alegria e pureza são coisas fáceis de se perder com o tempo.

Aprenda com os amigos. São crianças como você e podem dar um sentido inestimável à sua vida.

Enfim, aprenda.

quarta-feira, 9 de maio de 2007

O espelho

Foi por querer o sonho, e desejar o pleno
dos sentimentos, o mais nobre e denso
aquele vívido calor de amor intenso
ao mesmo tempo meigo, doce, suave, sereno

Foi por sonhar com o belo som, ameno
Como o pousar da tarde no campo, eu penso
que foi por querer sentir o tão imenso
dos sentimentos, sorver todo o veneno

Que me abri sem medo aos julgamentos
E que me expús aos castigos lentos
dos detentores do dom de condenar

E me fiz vil, fascínora e asco
Ante os que se fazem juiz e carrasco
Mas que não têm o sonho de voar.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

I dont want to miss a thing

Aerosmith

I could stay awake just to hear you breathing
Watch you smile while you are sleeping
While you're far away dreaming
I could spend my life in this sweet surrender
I could stay lost in this moment forever
Every moment spent with you is a moment I treasure

I Don't wanna close my eyes
I Don't wanna fall asleep
'Cause I'd miss you baby
And I don't wanna miss a thing
'Cause even when I dream of you
The sweetest dream would never do
I'd still miss you baby
And I don't want to miss a thing

Lying close to you feeling your heart beating
And I'm wondering what you're dreaming
Wondering if it's me you're seeing
Then I kiss your eyes
And thank God we're together
I just wanna stay with you in this moment forever
Forever and ever

I Don't wanna close my eyes
I don't wanna fall asleep
'Cause I'd miss you baby
And I don't wanna miss a thing
'Cause even when I dream of you
The sweetest dream will never do
I'd still miss you baby
And I don't want to miss a thing

I don't wanna miss one smile
I don't wanna miss one kiss
I just wanna be with you
Right here with you, and just like this
I just want to hold you close
Feel your heart so close to mine
And just stay here in this moment
For all the rest of time

I Don't wanna close my eyes
I don't wanna fall asleep
'Cause I'd miss you baby
And I don't wanna miss a thing
'Cause even when I dream of you
The sweetest dream will never do
I'd still miss you baby
And I don't want to miss a thing

I Don't want to close my eyes
I don't want to fall asleep
I don't want to miss a thing

quarta-feira, 25 de abril de 2007

high

James Blunt

Belo amanhecer, ilumina a beira da praia pra mim.
Não há mais nada no mundo, que eu prefira acordar e ver com você...

Belo amanhecer, eu estou correndo atrás do tempo,
Pensei que morreria sozinho, numa noite sem fim...

Mas agora estou nas alturas... correndo alegre no meio das estrelas lá em cima.
Às vezes... é difícil de acreditar que você lembra de mim.

Belo amanhecer, se mistura com as estrelas outra vez.
Você lembra do dia, quando a minha jornada começou?
Você lembrará do fim, (do tempo)?

Belo amanhecer, você está apenas avivando minha memória, outra vez,
Pensei que tivesse nascido numa noite sem fim, até você brilhar...

Mas agora estou nas alturas... correndo alegre no meio de todas as estrelas lá em cima.
Às vezes... é difícil de acreditar que você lembra de mim.

Será você o meu ombro, quando eu estiver grisalho e velho?
Prometa-me que o amanhã começa com você.

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Bemol e Sustenido

Na mente, verdades
Na face, calor
Na alma, liberdade
No peito, um amor

No riso, amizade
Nos braços, abrigo
Na simplicidade
E Deus, meu amigo

Na chuva e no sol
Eu sigo em bemol
Meu canto dorido

E sigo amando
Andando e cantando
Em tom sustenido

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Ode aos preguiçosos

Este é um lugar iluminado
Onde nada nos atrapalha
Onde todo dia é feriado
Porque aqui ninguém trabalha.

Não que haja preguiça
Mas é que quando começamos
Ou é o computador que enguiça
Ou somos nós que cansamos.

E assim, mantendo a fachada
De que há força empenhada
E que a todos engana.

Continuamos trabalhando
De mentirinha, e esperando
O próximo fim de semana.

Desatenção

Um homem esquece seu filho de pouco mais de um ano dentro do carro em Guarulhos por algumas horas. Resultado: a criança, exposta a um calor infernal dentro do carro, dada sua fragilidade, não suporta e morre. Qual a causa? Irresponsabilidade? Fatalidade? Consequência da vida agitada que a gente leva nas grandes cidades hoje em dia?

Acho que nada explica uma situação dessas. É daquelas coisas que se costuma dizer por aí... "Pode acontecer com qualquer um". Mas pode mesmo? Você me responda: você esqueceria seu filho? Você ficaria dentro da sua casa, sem se dar conta da ausência de seu próprio filho? Como explicar uma coisa dessas?...

Leia o a notícia aqui: http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI1545620-EI5030,00.html

Eu tenho uma empatia enorme, costumo me entristecer ou me alegrar com a situação de gente que nem sequer conheço, só de ler uma notícia, ver uma foto, ou coisas assim. E posso dizer que estou transtornado com essa notícia aí. Me dá um misto de revolta e dó.

terça-feira, 10 de abril de 2007

Essa eu tive que rir - Joãozinho

Tenho dois filhos: o Samuca (14) e o Jotinha (11). Os dois são mó comédia. O Jotinha, na verdade chama-se João Paulo. E ele é um autêntico JOÃOZINHO mesmo, tipo o da piada, vive inventando alguma. É comédia mesmo. Em homenagem ao meu Joãozinho, vai umas piadinhas de Joãozinho.

Diante do boletim escolar do Joãozinho, uma coleção de zeros, o pai reage aos berros:
- No meu tempo, notas tão ruins como estas eram punidas com uma surra!
- Pois é, pai! Que tal a gente pegar o professor na esquina depois da aula?

O Joãozinho apanhou da vizinha e sua mãe foi tirar satisfação:
- Porque a senhora bateu no meu filho?
- É porque ele me chamou de gorda!
- E a senhora acha que vai emagrecer batendo nele?

O pai mandou o Joãozinho ir trocar uma nota de dez reais.
Alguns minutos depois, o menino volta com as mãos e os bolsos lotados de bala.
O pai pergunta: - Onde está o dinheiro?
- Troquei por balas!

A professora mandou o Joãozinho escrever 50 vezes a palavra “coube”,
pois o garoto insistia em dizer “cabeu”.
Alguns minutos depois, o Joãozinho entrega uma folha cheia de “coubes”:
- Espere aí. Você escreveu apenas 48 vezes, porquê?
- Ah fessora, é que num cabeu...

Na sala de aula:
- Joaozinho analise a frase: Ha uma mulher olhando pela janela , eh singular ou plural?
-Singular.
-Muito bem. Agora voce Joaozinho: Ha varias mulheres olhando pela janela , o que eh?
-Zona.

Agora pra fechar com chave de ouro

Na sala de aula, a professora que usava uma longa saia, simplesmente escorregou e caiu, de pernas pro alto. Imediatamente ela se levantou do chão, e olhando com aquela cara de raiva, perguntou:

- Juquinha, quando eu caí, o que foi que você viu?
- Ah fessôra... eu vi sua canela.
-_Grrrrrr!! uma semana de advertência! Fora de sala, menino!!!
Juquiinha se levantou da carteira, e foi embora.

- Agora você, Chiquinho, o que foi que você viu quando eu caí?
- Ah fessôra... eu vi seus joelhos.
- Grrrrr!! Um mês de advertência! Fora de sala!!
Ele se levantou e saiu.

- E você, Joãozinho, o que foi que você viu?
Joãozinho se levantou e disse:
- Falô aê galera, até o ano que vem pra vocês!!


Hahahahahahahahahaha

Bug no Orkut

Conforme aparece em meu post, uns quatro ou cinco mais abaixo, eu excluí minha conta no Orkut. Mas antes, eu mandei uma mensagem para todos os meus amigos dizendo que ia fazer isso, dando adeus, etc e tal. Pois é... meu perfil.. NÃO FOI EXCLUÍDO.

Fiz papel de otário, com um bocado de gente duvidando que eu tivesse tomado mesmo a iniciativa de excluir. Um bocado de gente achou que eu só falei da boca pra fora. Pois é gente... não foi, eu cliquei no bendito link "Excluir conta", sim senhor.

Fiquei quebrando a cabeça para tentar descobrir porque cargas d'água o meu perfil não foi excluído, se fui EU quem tomou a iniciativa. E lembrei que a única coisa que eu fiz de diferente foi ter trocado a senha do meu usuário aqui do blog IOKIKO. Mas isso foi depois de ter excluído a conta, afinal, o blog ia passar a ser minha única referência.

Ontem eu fui perceber que o usuário do blog (sandrobe@hotmail.com) é o mesmo do Orkut. Inclusive a mesma senha. E eu troquei a senha. E o Blogspot e o Orkut são, ambos, pertencentes ao império Google. Portanto o usuário é o mesmo, a senha é a mesma.. é uma conta Google (Google Accounts).

Então se você excluir uma conta e se arrepender - o que não foi o meu caso, o meu caso foi o acaso - basta trocar a senha do seu usuário Google Accounts antes do prazo da exclusão expirar que sua conta Orkut permanece. Ou seja, a exclusão é cancelada. Acho que foi isso. Se foi, eu descobri por acaso, por pura coincidência.

Se não foi, me desculpem por estar novamente fazendo papel de otário. E quanto ao Orkut, não vou excluir mais. Como diria a Ana CArolina.. "Que se danem os nós".

sábado, 7 de abril de 2007

Internet

A contribuição da internet para o emburrecimento geral da nação (ou nações) é imenso. O CIEI (Centro Internacional de Estatísticas Imaginárias), acha que algo em torno de 50% do que é feito na internet é bobagem, perda de tempo e inutilidade.

Acho que, como tudo na vida, diversão e lazer é bom e a gente gosta, mas isso deve ser feito com critério. Quando um cidadão chega pra mim dizendo que quer comprar um computador para deixar em casa, para o filho/filha fazer seus trabalhos de escola, eu faço aquela cara de homem sério e comprometido com o objetivo do cliente, mas por dentro eu fico rindo porque, na prática, o computador vai servir para o filho/filha se acabar de tanto jogar, bater papo na internet, e talvez, fazer umas visitinhas em sites não muito recomendáveis.

Ah... e claro, fazer uns trabalhos de vez em quando.

Mas do que é que eu to falando? Eu mesmo gosto de receber aqueles emails, com apresentações anexadas... quando vc abre tem uma bela (ou engraçada) mensagem. Gosto de perder algum tempo durante meus intervalos lendo alguma notícia, vendo alguma foto ou vídeo engraçado e encontrando alguns amigos nos Messengers da vida.

O problema, eu vejo, não está no fato de usar a internet para relaxar, eventualmente. O problema é quando se troca as responsabilidades por futilidades. Eu trabalho com Messenger, meus clientes estão todos lá... e isso me dá uma economia enorme na conta telefônica, se dá!...

Esses tempos atrás eu fui mais cedo ao meu segundo emprego (no estado) e andei observando os monitores das pessoas que trabalhavam em um determinado setor - que não era no mesmo andar onde eu trabalhava, vou logo dizendo. Absolutamente todos estavam com Messenger carregado. Ao meu ver, problema nenhum até aí. O que eu achei estranho é que muitas pessoas estavam com várias janelas de diálogo abertas, aquele pisca-pisca infernal na barra de tarefas que não deixa ninguém quieto. Fica a pergunta: como é que eu consigo me concentrar no trabalho se tem 15 pessoas conversando comigo? Eu não vejo como. A regra, em tese, deve ser a mesma para os outros. Ou pelo menos parecida.

Mas isso foi antes de colocarem um firewall específico para isso, o que cortou o barato da rapaziada. rsrsr...

Ouço muitas histórias de colegas de trabalho, gerentes e donos de empresa que tiveram que ser radicais para acabar com esse problema. Houveram conversas, advertências e demissões por conta do vício. E algumas história macabras também, de gente que monitorou o Messenger dos outros atrás de armamento para uma guerra de interesses, conspirações e chantagem. Coisa braba mesmo. Ouço histórias de gente que criticava, e acabou se tornando um viciado. É... porque internet vicia, viu?

Acho que o ser humano é incrivelmente criativo. Mas é muito interessante... o comportamento da maioria não é compatível com sua capacidade criadora.

quarta-feira, 4 de abril de 2007

Pogramas

Levo a vida fazendo programas. Ok, vamos lá à piada comum: "Garoto de programas".. rsrsr...
Essa piadinha aí tá batida demais.. deixa a piadinha quieta no cantinho dela.

A vida de um programador de sistemas é um pouco curiosa. Muitas pessoas admiram o trabalho desses profissionais, partindo sempre do pressuposto de que - primeiro - se acham incapazes de fazer o mesmo que eles fazem e - segundo - eles são gênios.

Bom lamento informar mas a maioria esmagadora dos programadores NÃO são gênios (como eu obviamente não sou), não passam de gente comum (como eu), que aprendeu a lógica dos bits, comandos e sequências, e fluxos, e etc etc etc (acho que aí nem eu). Assim como um médico aprende a manipular um órgão (éca), ou como um dentista aprende fazer um canal (aff), ou um alfaiate a fazer um bom terno. Ou uma mulher a cozinhar (ops.. brincadeirinha machista hihihi)...

Eu gosto de fazer programas de computador. Minha preferência é por programas que funcionam na internet. Sinto prazer nessa coisa de ver os outros usando minha criação - e ela funcionando, claro. De preferência me dando algum vintém, que ninguém vive só de amor.

Estou trabalhando num sistema hoje, que irá concentrar em si e distribuir aos afiliados (entenda-se: aos que têm o devido login e senha) um certo processo - a um custo único - o que antes era feito por cada afiliado individualmente - a custos igualmente individuais. Ou seja, a tecnologia a serviço da economia. De tempo e de grana. Afinal nessa terra que me há de comer até os ossos, a finalidade da existência humana é o amor, mas a lógica que rege o mundo é a da bufunfa.

Estamos em um trabalho bastante acelerado com esse sistema e acreditamos que vamos conseguir entregá-lo até o verão de 2027.