sexta-feira, 11 de agosto de 2006

conto: o vendedor estressado

Dessa vez ele tava vendendo perfumes.

- Oi moço, você vende perfume?
- Não eu só cheiro. Você passa, eu cheiro seu pescoço. É isso que eu faço.

- Moço, você tem aquele perfume... como que chama...?
- Não tenho. Volte outro dia quando eu tiver.

- Moço, você tem um perfume com uma fragância igual ao do Ferrari?
- Sim, tenho. Está no tanque do meu carro, aguarde um minuto que eu vou pegar um pouco com uma mangueira.

- Moço, esse perfume é bom para o dia ou para a noite?
- Nem o dia nem a noite usam perfumes, querida. Se você comprar, vai ser bom pra você
mesmo.

- Moço, diz aí algo para uma noite assim... matadora?
- Tente um revolver.

- Moço, esse perfume dura bastante no corpo?
- Depende do corpo, querida.

- Moço, esse perfume é bom para sair?
- Não sei, ele nunca me convidou para sair.

Nenhum comentário: