sexta-feira, 30 de junho de 2006

Notícia 1/2 nonsense

Olha só essa notícia:

Horas extras matam 600 mil chineses por ano

Posso estar enganado, mas acho que tem algo errado com ela. 600 mil pessoas morrerem por excesso de trabalho, por ano, não parece um pouco exagerado?! Tudo bem que a população lá é de 2 bilhões, a maioria na área rural.

Ou sou eu que não tô tendo o devido discernimento dos números, por serem grandes demais?!

quinta-feira, 29 de junho de 2006

Henry, Henry...

O Henry, atacante francês, saiu com essa de que o jogador brasileiro joga bem porque, já criança, fica jogando bola por aí desde cedinho até o anoitecer. E nada de escola. Ao contrário dele, garoto comportado, esforçado, que só tirava boas notas. Veja você mesmo:

Henry insinua que brasileiros não estudam, e por isso é que jogam bem

O Henry sabe tudo de Brasil, com certeza. Eu é que não entendo nada de França. Eu não sabia, por exemplo, que os franceses tinham que estudar tanto para se transformarem em... JOGADORES DE FUTEBOL...

Dois videozinhos

Veja : Haja coração!

e

Veja: A física não permite!

sábado, 24 de junho de 2006

Transmissão ao vivo

Hoje, por concidência, estou no trabalho preparano a instalação do nosso sistema de informática em uma empresa. E, por coincidência a TV está ligada, e começou a transmissão ao vivo do jogo Argentina e México.

Então resolvi fazer dessa minha primeira experiência de pegação no pé do Galvão ao vivo. Vou tentar registrar alguma coisa dele, hehehe.

Então vamo lá.
PRIMEIRO TEMPO
15:00 - Começa CORINTHIANS x MÉXICO. (Ei... aqui onde eu estou começa às 15:00 mesmo...)
15:03 - Pausa para eu ir ao banheiro.
15:07 - GOL DO MÉXICO!! Que momento mágico!!!
15:09 - Ainda que mal lhe pergunte... "Corte de cabeça" não seria uma expressão meio dúbia?!
15:09 - GOL DA ARGENTINA!! Que porcaria!!
15:11 - O Galvão dá uma demonstração de sua estranha admiração pelos pibes argentinos, entoando uma canção conhecida dos torcedores portenhos, muito bem decorada, por sinal.
15:17 - Depois de uma falta de um argentino, o Galvão disse que o juiz podia trocar seu sorriso por um cartão. Já o Arnaldo disse que é comum árbitros europeus acharem graça das faltas. Deve ser uma diversão ser árbitro na Europa.
15:18 - Da série frases curiosas: "Perigosa enfiada do Cambiasso!"
15:24 - A primeira vez na vida que eu vejo o Arnaldo reconhecer que não prestou atenção. Deu uma opinião esquisita, e em seguida tascou: "Ou será que eu tô enganado?!". Foi legal. hihihihih
15:35 - Na terça feira "Prepare seu coração" pela primeira vez no jogo.
15:36 - Biba la milonga muchachooo!!
15:39 - O Galvão está especialmente inspirado em suas análises táticas hoje. Não narrou 10 minutos do jogo, entre prognósticos, projeções, comentários e análises. Que aliás são importantíssimas para a compreensão do jogo em si, claro.
15:40 - Entrou o vocalista do Scorpions no time do México.
15:41 - Maradona, sempre um torcedor entusiasmado da Argentina. Na verdade, eletrizado. Quase tendo um treco. Por que será?!
15:45 - Momento cultural. Galvão e mais uma musiquinha da torcida argentina. Tinha que ver que camisa é essa que o cara tem por baixo do uniforme, hein.
15:46 - Arnaldo e uma observação brilhante sobre a constante insistência da bola em passar pelo meio do campo, cruzando o caminho do juiz. Isso o força a pular, de vez em quando.
15:48 - Legal BATE BOCA do Galvão com o Arnaldo, sobre um lance de regra. Uma falta do argentino. Não importa, quero ver é porrada.
Ah... cabou o primeiro tempo sem uma gota de sangue sequer.

INTERVALO
Como não encontraram nenhuma comunidade de mexicanos que tivesse o mínimo de beleza para mostrar na TV, então criaram uma comunidade de brasileiros torcendo pelo México. Tinha mexicano de Campos do Jrodão, mexicano de Minas Gerais... etc. O importante é ter o que mostrar. E no nosso caso, melhor ver isso do que ser cego.

Mas a observação que eu destaco é a - finalmente confessada - paixão do Galvão Bueno pela Argentina. Isso explica, com certeza, muita coisa. Aliás, segundo o Galva, lá come-se muito bem.
Tá bom então né.

SEGUNDO TEMPO
Boas perspectivas. É no segundo tempo que o Galvão Bueno sai com as melhores pérolas.
16:05 - Aquilo que no começo o Galvão Bueno chamou de um time que "joga uma coisa parecida com futebol", agora "atropelôôôu o time da Suécia e já está nas quartas".
16:06 - O Galva perguntou pro Arnaldo "Por que é que você tá balançando a cabeça?". Ah... se o Arnaldo tivesse criatividade.
16:07 - Não sei porque me sinto um idiota quando o Galvão vira para um dos comentaristas e traduz o que o cara disse, começando com... "Vamos explicar melhor que é para o pessoal de casa entender...".
16:08 - Da série frases curiosas: "Quem sai pelo meio é Torrado!..."
16:22 - Da série frases curiosas: "O jogo pára porque o Guardado tá caído ali no meio!..." ou ainda "O Guardado levou uma pancada."
16:30 - Aó o Galvão pergunta "E você brasileiro, tá a fim de ver tempo extra?" - E eu respondo: "Sim, tô... o problema é só a narração mesmo, hahaha." Aliás, se der tempo extra nesse jogo da Argentina, vai ser uma chatice aquele assunto de que "o time cansa mais, se desgasta mais para os próximos jogos, etc, etc, etc nhe nhe nhe". Quando eu era mais novo eu jogava umas três partidas seguidas de tão fominha que eu era. Isso, que a rapaziada não tinha preparo nenhum, era só fome de bola mesmo. Agora esses caras altamente preparados, não podem jogar trinta, quarenta minutos a mais?! Ah... pára.
16:35 - Sai Cambiasso (aquele da enfiada) e sai Crespo. Entram Aimar e Tevez.
16:36 - "O jogo vai ficando dramático" pela segunda vez no jogo. A primeira tinha sido no primeiro tempo. E tinha sido só um prognóstico, na verdade. Tipo... "No segundo tempo, vai ficar dramático".
16:40 - Ainda que mal lhe pergunte... "Sorin" não é o nome de um remédio para desentupir o nariz?!...
16:46 - entra o brasileiro "Zinha". Guenta o Galvão e seu ufanismo.
16:47 - E o Galvão canta mais uma vez aquela musiquinha da torcida argentina.
16:50 - Pela quadragésima nona vez o Galvão nos avisa que vai ter tempo extra.
16:52 - Acabou esse joguinho milonguento.

Agora vamos ver o México fazer um gol no primeiro minuto e segurar até o final. Prepare o seu coração. Vai ser dramático. hehehehehe.

PRIMEIRO TEMPO EXTRA
16: 59 - O Galvão pergunta pro Arnaldo explicar o que vem agora. O Arnaldo começa a narrar o juiz jogando a moeda. hahahahaha. Hilário...
17:00 - Pausa para eu comer uns biscoitos.
17:01 - Segundo o Galvão, o Pac-Man, técnico da argentina, está preocupado. Será?!
17:02 - Segundo o Falcão, a Argentina de hoje é diferente da Argentina das outras fases.
17:04 - Falta do Riquelme. Tinha que expulsá-lo do jogo e bani-lo do futebol.
17:05 - Gol da Argentina. Que pena. Meu prognóstico do intervalo se mostrou inóquo.
17:06 - Podem falar o que quiserem, mas esse time do México é ruim demais.
17:10 - O técnico Argentino da seleção mexicana se abate com a vitória parcial de sua pátria mãe tão querida.

SEGUNDO TEMPO EXTRA
17:15 - Argentino fazendo milonga, caido pra cá, enrolando pra lá... Ah. ficou sem graça.
17:23 - A Argentina se fecha cada vez mais. O perigosíssimo México sufoca dramaticamente a Argentina, encurralando-a em seu campo. A Argentina parece um animal acuado. Tá bom.
17:24 - Finalmente apareceu o "Toca me voy" Argentino. Segundo o chato do Galvão. Acho que ele tem olho clínico para o "Toca me voy" argentino, que apareceu para ele numa visão.
17:26 - Ah, timinho, esse do México.
17:30 - O que dizer? Essa copa não tá revelando grandes surpresas mesmo, como aconteceu na última.

Finalmente acabou esse futebol enrolado com essa narração amassada.
Abração.

sexta-feira, 23 de junho de 2006

Galvão hilário

Vamos começar com um comentário hilário do Galvão bueno, que saiu com essa no jogo do Brasil: "Era esperado mais o menos o seguinte: A croácia joga, a Austrália bate e o Japão Corre!". A propósito... analisando nosso arredondado ataque... pode-se dizer que o Brasil róla! hahahah

Mas continuando com o meu post de hoje, ainda me sinto inspirado a criticar o cara, ainda que de maneira bem humorada, pois nunca se sabe quando o crítico passará a ser a vítima. Peço que se eu for, um dia, a vítima, que me algoz pelo menos tenha bom humor.

O fato é que o Galvão Bueno tem um quê de humorista. Ele é um cínico crítico - como eu - dos comentários infelizes do Arnaldo César Coelho, aquela figurinha rica de cara redonda que fica sentada ao lado do narrador traçando comentários óbvios de coisas evidentes ao longo das partidas de futebol. Mas para captar o sarcasmo do mestre Galvão tem que ter óculos de grau, daqueles que facilitam a leitura das entrelinhas.

No jogo do Brasil, logo de cara, ele tasca "Aí vem o árbitro francês Eric Poulat, que segundo o Arnaldo é pesado, tal tal tal..." E continuou falando, fusilando o telespectador com as informações do pré-jogo, e legando a pobre figura do Arnaldo àquele lugar chamado "segundo plano", que é um claustro frio, de onde é impossível que alguém te ouça gritar. Mas o sarcasmo do mestre estava lá, nas entrelinhas, quando tornou público o fato do Arnaldo conhecer o pêso do árbitro. Foi sutil, Galvão, você tá ficando craque.

terça-feira, 20 de junho de 2006


Papai do céu... faz o Galvão se tocar que o tempo dele já passou... mais uma copa não, papai do céu..

Galvão pra presidente

Coisas engraçadas do Galvão Bueno, que nunca vou esquecer.

Copa do mundo de 2002: a turma entra tocando pandeiro na sala da TV e o Galvão, todo eufórico e ao mesmo tempo atrapalhado, tasca: "Quero uma escuta no Rivaldo! Quero uma escuta no Rivaldo!"... :O

Campeonato Brasileiro 2005: O Galvão bueno começa a bater boca com o Arnaldo César Coelho sobre uma falta que o Arnaldo - porque já tinha errado na primeira - continuou afirmando que o cara se jogou acintosamente. Os dois ficam batendo bôca até que o Arnaldo tasca: "Pô, Galvão!".

Essa foi recente: Copa do mundo 2006: A fantástica visão que a equipe teve para transmitir o jogo Brasil e Austrália... do fundo do gol... essa foi pra cabá né...

a mais preciosa pérola do Galvão

Falem mal, mas falem de mim, deve estar pensando o Galvão. Com tanta gente de saco cheio com o cara, estão falando muito dele mesmo. E mal.

A mais preciosa pérola que eu já ouvi na transmissão esportiva em todos os tempos aconteceu neste último domingo, durante a transmissão do jogo Brasil e Austrália:

O Galvão, dado momento, estava tão radiante com a posição que foi colocado para transmitir, que tascou: "A posição em que estamos, aqui no fundo do gol, é privilegiada! A visão que temos das jogadas é fantástica! Todos os jogos deveriam ser transmitidos desse lugar!" Deixa a organização ouvir isso Galvão, e em todos os jogos até o fim da copa vocês da Globo terão essa posição tão excelente.

Descobri que sou um idiota! Tento imaginar o que é que eu tinha na cabeça... Desde pequeno, ao ir a um estádio, procurei sempre me posicionar o mais próximo possível do meio do campo, para ver as jogadas que acontecem nos dois "limites extremos" do campo. Nunca tinha cogitado a possibilidade de escolher um dos lados somente, e ter essa visão tão "privilegiada". Com o sacrifício do outro "limite extremo", claro.

O que dizer... Só tenho a agradecer ao Galvão Bueno, que transmitiu um jogo de trás do gol, por abrir os meus olhos.

Antes de concluir, uma perguntinha... Será que todos os jogos da Globo são transmitidos dali, ou essa posição "privilegiada" foi só no jogo do Brasil? Tento imaginar uma TV do Brasil, transmitindo um jogo do Brasil, do fundo do gol do adversário. Pelo menos um tempo. É... viva os monitores!

mais do Galvão

Esse blog eu recomendo. O cara consegue capturar os momentos mais brilhantes do mala do Galvão Bueno. Coisas que normalmente passam imperceptíveis, ele pega. E publica. Ótimo.

http://www.hajacoracao.com.br/

Divirta-se!

quarta-feira, 14 de junho de 2006

coisas do Galvão Bueno

Todo mundo viu, ou foi só eu?! Parece até implicância, mas olha só:

1 - Antes do jogo Brasil e Croácia, fazendo uma inteligente análise dos times do mundial, ele soltou a célebre pérola galvanística costumeira: "A Alemanha, que joga um negócio parecido com o futebol...". Pô Galvão... arrogante essa, não?!

2 - No intervalo do jogo Brasil e Croácia, o Galvão vira para o CasaGrande e tasca: "Tá dando pra gostar?". Se eu fosse o Casa, respondia: "É ruim hein?!"

3 - O Galvão disse no final da partida: "O Ronaldo teve uma certa dificuldade de movimentação...". Primeiro que, para o Galvão falar isso do RRRRRRRRRRonaldo, é que o trem tava feio mesmo. O Ronaldo andou em campo, amigo da rede Globo. Aliás nem andou, né. Mas a culpa não é dele. A culpa é do Parreira, que pôs ele. Tivemos que tolerar duas chatices: o futebol do RRRRRonaldo e a narrrrrração do Galvão.

sexta-feira, 9 de junho de 2006

pequenos flashes do mundial

Não sei se foi o Kibe Loco quem falou. Só sei que eu vi por aí em algum lugar. Festa por causa da copa mundial está contecendo em todos os cantos...

... menos na Alemanha.

pequenos flashes do mundial

O presidente LULA pergunta:
- Afinal o Ronaldo, tá gordo ou não tá?!

Se o Ronaldo pudesse responder, responderia com uma pergunta:
- Afinal o Lula sabia ou não sabia?!

terça-feira, 6 de junho de 2006

mundial 2006 - parte I

Muita exposição. É isso que chateia na mídia. Você, mesmo que não queira, fica sabendo de cada passo dos caras. Você liga a televisão querendo saber alguma novidade sobre o mundial, e consegue. Só que, junto, vem um caminhão de bobagens como... o horário que o Ronaldinho dormiu, que o Émerson tomou banho, que o Kaká telefonou pra mãe.

A novidade são as bolhas do Ronaldo. A maior delas está na região abdominal, e ninguém fala.

segunda-feira, 5 de junho de 2006

pmdbada

Por que o PMDB é o maior partido brasileiro?
Porque é exatamente isso que eles são
Todos eles, os políticos, o bando inteiro
é gente que dança de acordo com a canção.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u79249.shtml

quinta-feira, 1 de junho de 2006

Big Bank 1

Um dia comum de domingo, acordamos pela manhã com alguém batendo à nossa porta. Ao abrir, um oficial nos comunica que precisamos deixar a residência imediatamente.
-Mas como?! Estou com os aluguéis em dia!
-Não importa. O dono deve o banco. E o banco quer a casa.
Deixamos melancolicamente nosso lar. Os móveis, roupas, malas... tudo na rua. Sim, porque os caras eram bem eficientes.
Olhamos para os dois lados da rua, procurando um destino. Para nossa surpresa, havia muitas outras famílias na mesma situação. Bem, na verdade, todas as da rua. Da rua não, do bairro. Aliás, do País.
Procuramos um telefone para usar, mas infelizmente os bancos se apoderaram das empresas e seus serviços de telefonia e estavam fazendo auditorias e ajustes antes de iniciarem a administração direta.
Os ônibus, táxis e metrôs? Fechados e os equipamentos devidamente armazenados. O banco os havia tomado. As empresas não aguentaram os juros e quebraram.
Os serviços públicos foram todos interrompidos. O governo estava fazendo o esforço final para pagar a "repescagem da renegociação final do mínimo dos juros da dívida". Para os bancos, claro. Nada de alimentos, em lugar nenhum. Sem comida. Ninguém teve mais dinheiro para produzir. Os bancos não emprestam dinheiro para essa gente do nome sujo, esses agricultores.
Achamos que o banco de dados de negativação é o próprio banco de dados dos bancos, unificado. Todos os clientes estão lá. Todos os brasileiros, pelo menos.
Paramos para refletir. Como começar novamente? O que temos, como ponto de partida?
- Bem, temos oxigênio ainda. Sufocado ninguém morre. Também temos água. Basta cavar uma cisterna, ou se dirigir ao rio mais próximo. De sede também ninguém morre.

três coisas impossíveis:

- Chover de baixo pra cima.
- Assoviar e chupar cana.
- Banqueiro ir pro céu.

corte dos juros

Eu sou a favor do corte dos juros.
Acho que um homem de verdade não precisa ficar jurando por isso, por aquilo, por aqueloutro.
Um homem tem que ter palavra. Fio do bigode.