quarta-feira, 24 de maio de 2006

ódio declarado

Odeio Bancos. Odeio. Bancos, eu os odeio. Odeio mesmo. É ódio. Bancos, como os odeio. Odeio. Só vou parar de odiar o dia que um banqueiro for aceito no céu.

Nenhum comentário: