quinta-feira, 25 de maio de 2006

e por falar em astronauta...

Esta notícia (clique e rache o bico você também) mostra o que foi o impulso astronáutico brasileiro. Depois de alguns anos e cerda de US$ 10.000.000,00 (Dez milhões de d-ó-l-a-r-e-s), Marcos Pontes, nosso querido astronauta, resolveu ir para a reserva. E vai viver de palestras.

Vamos analisar.

Pegaram US$ 10.000.000,00 (Dez milhões de d-ó-l-a-r-e-s) do meu dinheiro e enfiaram no projeto e o sujeito beneficiado, depois de passear no espaço, resolveu ir para a reserva para viver de palestras?!

Não era para ele se tornar um ícone do desenvolvimento científico no Brasil?!

PS - Ainda que mal lhes pergunte... alguém vai devolver o meu dinheiro?!

ciência pura

Nos laboratórios obscuros de faculdades sinistras, escondidas pelo mundo afora, proliferam cientistas inescrupulosos capazes de qualquer coisa para provar as suas mais mórbidas teorias. E se valem de toda a tecnologia imaginável. São doentes. Aqui, uma demonstração.

Misturador de genes de cobaias

quarta-feira, 24 de maio de 2006

ódio declarado

Odeio Bancos. Odeio. Bancos, eu os odeio. Odeio mesmo. É ódio. Bancos, como os odeio. Odeio. Só vou parar de odiar o dia que um banqueiro for aceito no céu.

ouro de tolo

Não sei não, mas às vésperas da Copa do Mundo de Futebol, não consigo sentir entusiasmo nenhum com isso. Então hoje, por causa desse marasmo emocional, comecei a vasculhar a mente a procura de uns porquês. E achei.

Puxa vida, né... Nosso País celebrou, neste ano, a ida de um brasileiro ao espaço, por exemplo. E agora celebra nossa constelação de atletas disputando o campeonato mundial de futebol. Mas a quem isso tanto interessa, senão somente ao próprio ego?! Até porque um e outro são coisas vazias, desprovidas totalmente de valor, não acrescentam abolutamente nada. Zero. Em nosso bolso não entra nenhum, só sai.

Acho que eu me sentiria muito, mas muito mais motivado, se estivéssemos celebrando
a descoberta da cura da AIDS nos laboratórios de pesquisa no Brasil. Por um grupo de cientistas brasileiros. Ou a descoberta de uma nova forma de energia. Ou a conquista da capacidade de beneficiamento da matéria prima em todos os pólos do País (pra gente parar de vender bruto e recomprar beneficiado).

Por que não celebramos a miséria de nossa classe política? Ou a fome nos guetos das metrópoles? Talvez a qualidade de nossos serviços públicos... saúde, pra começar. Talvez a posse de todo o patrimônio do País pela meia dúzia de bancos que temos.

livros para as multidões

Pretendo repetir e até ampliar o sucesso de "o Código da Vinci". Para isso tenho projetos que estou desengavetando para escrever o meu próximo (e primeiro) livro. Algumas idéias já estão encima da minha mesa. Eis aí algumas delas:

1 - A história de um cidadão brasileiro (claro) que, pilotando seu avião sobre a floresta amazônica, sofre um acidente, tendo que sobreviver a incríveis situações. Durante o desenrolar da trama, vou explorar ao máximo as emoções humanas, expondo seu cerne, enquanto elaboro um crescente de drama e suspense.

2 - A história de um cidadão brasileiro (claro), fotógrafo, que se lança deliberadamente em uma aventura profissional na tentativa de fazer um documentário sobre o conflito mas, inesperadamente, estoura uma guerrilha e ele se vê numa tentativa desesperada de sobreviver. Durante o desenrolar da trama, vou explorar ao máximo as emoções humanas, expondo seu cerne, enquanto elaboro um crescente de drama e suspense.

3 - A história de um soldado brasileiro das forças de paz da ONU num país da África com locais devastados pela miséria e doenças, vivenciando humanidade no meio das tribulações, e aprendendo muito mais do que ensinando. Durante o desenrolar da trama, vou explorar ao máximo as emoções humanas, expondo seu cerne, enquanto elaboro um crescente de drama e suspense.

Beleza.

As idéias anteriores não me pareceram muito boas. Entre elas cito:

1 - A história de uma professora gaúcha que se apaixona por um soldado russo durante uma excursão. O soldado russo segue numa missão no Kursk - que como todo mundo sabe acaba afundando. Mas a idéia afundou.

2 - A história de um contador do jogo do bicho que resolve delatar seu chefe em troca de diminuição da pena. Suas revelações acabam expondo todo um império de influência e poder dentro da estrutura do estado. Mas a idéia parecia óbvia demais, considerando os fatos aqui no Mato Grosso...

3 - A história de um inventor que, ao fazer a descoberta de uma forma de energia capaz de mudar a história do mundo, acaba sequestrado por fanáticos religiosos que têm por objetivo acelerar o fim do mundo. Como eu não quero que o mundo acabe comigo vivo, desisti da idéia.

4 - A história de uma série de pragas provocadas pelo desequilibrio do meio ambiente. A única esperança do mundo seria uma trupe formada por um experiente ex-soldado, um robô obsoleto, uma artista de circo que possui um olho verde e outro azul, e o presidente dos Estados Unidos.

Tenho chance?

quinta-feira, 18 de maio de 2006

frases manjadas

Tem algumas frases que são reproduzidas aos milhares por milhares de pessoas diferentes, em situações mais ou menos parecidas. Algumas, de tão manjadas, ficam até hilárias. Vejamos:

- "É isso aí!" Muito usada por apresentadores de programas de marketing na TV, locutores de rádio e propagandas de todo tipo. O cara vira pra TV e diz "É isso aí! a Loja Brasil está com tudo em promoção! É isso aí!"

-"É isso mesmo!" Utilizada até a exaustão em tudo quanto é coisa que se possa imaginar. Muito comum em propagandas na TV, quando o garoto (ou garota) propaganda que te dar a idéia de que você é meio surdo ou meio débil mental, por não ter conseguido entender da primeira vez. Eles dizem "A Loja Brasil está com tudo em promoção! É isso mesmo! A Loja Brasil está com tudo em promoção!"

- "A Loja Brasil faz aniversário e quem ganha o presente é você!" - Cara, sem comentários para esta frase. É simplesmente hilária. Daquelas que, quando alguém começa a pronunciar, você é capaz de dublar, inclusive fazendo aquela cara de entusiasmo. Só de sacanagem.


Você sabe alguma? Comente!

segunda-feira, 15 de maio de 2006

socorro!

Depois da gripe aviária, "Lulinha-sabe-nada", e Bolívia Morales
Ambulância superfaturada e deputados inocentados no mensalão
Não imaginava ter que ver ainda piores e nunca imaginados males
A polícia correndo do ladrão!!